Ibuki (satélite)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ibuki (satélite)
Descrição
Tipo Observação terrestre
Duração da missão 5 anos
Propriedades
Massa 1.750 kg[1]
Data de lançamento 23 de janeiro de 2009
Veículo de lançamento H-IIA
Local de lançamento JapãoCentro Espacial de Tanegoshima,´Japão
Planet - The Noun Project.svg Portal Astronomia


O Satélite de Observação de Gases do Efeito Estufa (inglês: Greenhouse Gases Observing Satellite ou GOSAT; em japonês: いぶき (Ibuki), significando "vitalidade"[2]), é um satélite de observação terrestre e o primeiro satélite do mundo dedicado à monitoração de gases do efeito estufa,[3] que será usado para medir as densidades de gás carbônico e metano de 56.000 locais da atmosfera terrestre.[2] O Ibuki foi desenvolvido pela Agência Japonesa de Exploração Espacial (JAXA) e lançado em 23 de janeiro de 2009, do Centro Espacial de Tanegashima.[2] O Ministro do Meio Ambiente do Japão, e o Instituto Nacional Japonês de Estudos Ambientais, irão usar os dados para acompanhar a evolução da concentração dos gases do efeito estufa na atmosfera, e os dados também serão compartilhados com a NASA e outras organizações científicas e espaciais de outros países.[3]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O Ibuki foi lançado juntamente com outros Piggybacks de testes científicos usando H-IIA, o principal sistema de lançamento descartável de grande escala do Japão, exatamente às 03:54 (UTC) de 23 de janeiro de 2009, em Tanegashima, uma pequena ilha no sul do Japão. O lançamento foi adiado por dois dias devido ao mau tempo.[4][2][3] Cerca de 16 minutos após o lançamento, a separação do satélite Ibuki do foguete lançador foi confirmada.[5]

Instrumentos[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Agência Japonesa de Exploração Espacial (JAXA), o satélite Ibuki está equipado com um sensor de observação de gases do efeito estufa (TANSO-FTS) e um sensor de nuvens/aerossol (TANSO-CAI), que suplementa o TANSO-FTS. O sensor de observação de gases do efeito estufa de Ibuki observa uma grande faixa de comprimento de ondas (desde a região quase-infravermelha à região infravermelha termal) dentro da faixa infravermelha para melhorar a precisão da observação.[5] O satélite usa um espectrômetro para medir diferentes elementos e compostos baseados na resposta destes materiais a certos tipos de luz. Esta tecnologia permite ao satélite medir "a concentração de gases do efeito estufa na atmosfera uma resolução super alta".[6]

Referências

  1. «Outlines of GOSAT and TANSO Sensor» (PDF) (em inglês). Consultado em 26 de janeiro de 2009. Arquivado do original (PDF) em 5 de fevereiro de 2009 
  2. a b c d «Japan launches satellite to monitor greenhouse gases». Reuters (em inglês). 23 de janeiro de 2009. Consultado em 23 de janeiro de 2009 
  3. a b c «Japan launches rocket with greenhouse-gas probe». Associated Press (em inglês). 23 de janeiro de 2009. Consultado em 23 de janeiro de 2009 
  4. "To boldly go ... | Grist | News | 23 Jan 2009." Environmental News.<http://www.grist.org/news/2009/01/23/japan-satellite/index.html[ligação inativa]>.
  5. a b «Greenhouse gases Observing SATellite "IBUKI"(GOSAT)». Agência Japonesa de Exploração Espacial (em inglês). Consultado em 23 de janeiro de 2009 
  6. Gerein, Keith (21 de janeiro de 2009). «Alta. scientists to track greenhouse gases from space». Calgary Herald (em inglês). Consultado em 24 de janeiro de 2009. Arquivado do original em 31 de janeiro de 2009