Gravity Recovery and Climate Experiment

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de GRACE)
Ir para: navegação, pesquisa
Current event marker.png
Este artigo ou seção contém material sobre uma missão espacial atual.
As informações podem mudar durante o progresso da missão.
CELstart-rocket.png
GRACE
Representação artística dos dois satélites gémeos do programa GRACE. A distância entre eles é exagerada apenas para fins representativos.

Operação Estados UnidosNASA / AlemanhaDLR
Tipo de missão Ciências da Terra
Contratante Space Systems Loral / Astrium
Satélite da Terra
Lançamento 17 de março de 2002
Local Rússia Cosmódromo de Plesetsk, Rússia às 09:21:00 UTC
Veículo de Lançamento Rokot
Duração da missão Tempo estimado em 5 anos
Massa 500.0 kg
NSSDC ID 2002-012A
Site oficial GRACE
Elementos orbitais
Semieixo maior
Excentricidade 0.002857
Inclinação 89,0º
Apoastro 508.0 km
Periastro 483.0 km
Período orbital 94.5 minutos

O Gravity Recovery and Climate Experiment - GRACE é um projecto conjunto entre a NASA dos Estados Unidos e o DLR da Alemanha. Tem como objectivos a obtenção de medidas precisas do campo gravítico e também da sua variabilidade.

O lançamento foi a 17 de março de 2002.

Características da órbita do GRACE[editar | editar código-fonte]

  • I = 89.016° (Inclinação da órbita relativamente ao plano equatorial)
  • h = 485 a 500 km (Altitude)
  • a = 6849.898 km (Semi-eixo maior da órbita)
  • e = 0.002857 (Excentricidade orbital)
  • Vida útil prevista de 5 anos

O GRACE consiste em dois satélites, na mesma órbita, um perseguindo o outro a uma distância de 220 km. A intercomunicação entre os dois satélites é efetuada através de uma ligação na banda K no espectro das micro-ondas, permitindo medir distâncias e variações de distâncias entre os dois satélites com uma precisão de aproximadamente 1 micrómetro por segundo.

Devido à força causada pela resistência das partículas das altas camadas da atmosféricas, a altitude dos satélites irá decair ao longo do tempo. Os satélites serão mantidos, através de manobras programadas, à altura adequada e a uma distância de separação de 220±50 km durante a maior parte do período de vida esperado de cinco anos.

Instrumentação de bordo[editar | editar código-fonte]

Observações[editar | editar código-fonte]

A partir das medidas do GRACE é possível determinar os comprimentos de onda do potencial gravitacional terrestre, com uma resolução de cerca de 170 km (nmáx~120). O correspondente valor do geoide para estes comprimentos de onda deverá ter uma precisão quase centimétrica. O GRACE permite também detetar variações temporais do campo gravítico. Para isso são geradas soluções mensais de modelos geopotenciais, a partir das quais pode ser estudada essa variação.

Modelos geopotenciais gerados a partir de medidas GRACE[editar | editar código-fonte]

Nome nmáx número de coeficientes
GGM01S 120 7378
GGM01C 200 20298
GGM02S 160 13038
GGM02C 200 20298
EIGEN_GL04C 360 65338(?)

Descobertas[editar | editar código-fonte]

Em 2006 uma equipa de investigadores liderada por Ralph von Frese e Laramie Potts usaram os dados do GRACE para descobrir a cratera Wilkes Land de 480 km diâmetro na Antártida, que foi provavelmente formada há aproximadamente 250 milhões de anos.[1]

Outras aplicações[editar | editar código-fonte]

Os dados do GRACE também têm sido usados para analisar as derivas da crusta terrestre causadas pelo terramoto causador do tsunami do Índico de 2004.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Gorder, Pam Frost (1 de junho de 2006). «Big Bang in Antarctica -- Killer Crater Found Under Ice». Research News 
  2. Chang, Kenneth (8 de agosto de 2006). «Before the '04 Tsunami, an Earthquake So Violent It Even Shook Gravity». New York Times 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]