Idade da Pedra na Suécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dólmen de Haga, na ilha de Orust
Cerâmica da Idade da Pedra na Gotalândia Ocidental

Com o recuo dos glaciares que cobriam a Escandinávia, por volta de 12 000 a.C., ficou a descoberto uma passagem terrestre à Europa continental, banhada a leste pelo mar Báltico, que era então um mar fechado e de água doce.[1][2] Os primeiros grupos nómadas de caçadores de renas, provenientes da Europa, atravessaram a ligação entre a Europa e a Península da Escandinávia por volta de 10 000 a.C., estabelecendo-se no Sul da Suécia, na atual Escânia e Halândia. Estes primeiros habitantes viviam da caça, da pesca e da recolha de alimentos, dispondo de um enorme território e sem terem necessidade de entrar em conflitos uns com os outros.[1][2][3]

Idade da Pedra Antiga[editar | editar código-fonte]

O período mais antigo da Idade da Pedra na Suécia é designado pelos historiadores suecos por Idade da Pedra Antiga (Äldre stenåldern) ou Era dos Caçadores (Jägarstenåldern), e é datada aproximadamente entre 10 000 e 4 000 a.C..[4] Existem vestígios da presença humana no país desde esses tempos - como por exemplo: pontas de setas usadas pelos caçadores da época, machados, enxadas, ferramentas micrólitas, lixos domésticos contendo conchas de ostras, vasos de cerâmica, e o esqueleto da Mulher de Barum (Bäckaskogskvinnan) datado de 6 000-7 000 a.C..A subsistência era completada pela recolha de alimentos vegetais.[3][4][5]

Idade da Pedra Recente[editar | editar código-fonte]

O período seguinte – apelidado pelos historiadores suecos de Idade da Pedra Recente (Yngre stenåldern) ou de Era dos Camponeses (Bondestenåldern), e datado aproximadamente entre 4 000 e 1 800 a.C. - é marcado pelo advento da agricultura e da pecuária, sendo a subsistência assegurada paralelamente pela caça, pesca e recolha de alimentos vegetais.[4][5] Apesar de o clima ter ficado um pouco mais frio e úmido, ainda era fácil viver da caça, da pesca e da recolha de vegetais, proporcionando a agricultura e habitação sedentária um novo estilo de vida cada vez mais dominante face à vida nómada. Uma conquista importante deu-se quando o homem aprendeu a fazer peças de sílex com arestas afiadas, que podiam ser usadas em armas de caça e utensílios de corte. Como reflexo da cultura desta época, aparecem então os monumentos funerários megalíticos - dólmens, túmulos em corredor e cistas - de dimensões variadas e contendo as sepulturas de uma ou mais pessoas, chegando até à centena de indivíduos enterrados num só túmulo.[3]

Referências

  1. a b Harrison 2002, p. 19.
  2. a b Hadenius 1996, p. 11.
  3. a b c Melin 2006, p. 14-16.
  4. a b c Larsson 1999, p. 9-23.
  5. a b Åberg 1978, p. 9-21.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Åberg, Alf (1978). «Stenåldern». Vår svenska historia (em sueco). Estocolmo: Natur och Kultur. 560 páginas. ISBN 91-27-01445-2 
  • Hadenius, Stig; Nilsson, Torbjörn; Åselius, Gunnar (1996). «Ett rike träder fram - 1520». Sveriges historia - Vad varje svensk bör veta (História da Suécia – O que todos os suecos devem saber) (em sueco). Estocolmo: Bonnier Alba. 447 páginas. ISBN 91-34-51784-7 
  • Harrison, Dick (2002). «Före historien». Sveriges historia medeltiden (em sueco). Estocolmo: Liber. 384 páginas. ISBN 91-47-05115-9 
  • Larsson, Hans Albin (1999). «Forntiden». Boken om Sveriges historia (em sueco). Estocolmo: Forum. 344 páginas. ISBN 9789137114842 
  • Melin, Jan; Johansson, Alf; Hedenborg, Susanna (2006). «Forntiden». Sveriges Historia. Koncentrerad uppslagsbok, fakta, årtal, kartor, tabeller (em sueco). Estocolmo: Prisma. ISBN 9789151846668 
Precedido por
Idade do Gelo
Idade da Pedra
13 000 - 1 800 a.C.
Sucedido por
Idade do Bronze