Isaura Bruno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
Isaura Bruno
Outros nomes Ysaura Bruno
Nascimento 23 de junho de 1926
Jaú,  São Paulo
Nacionalidade brasileira
Morte 2 de maio de 1977 (50 anos)
Campinas,  São Paulo
Ocupação Atriz
IMDb: (inglês)

Maria Isaura Bruno (Jaú, 23 de junho de 1926 - Campinas, 2 de maio de 1977) foi uma atriz brasileira, tendo sido a primeira negra a protagonizar uma telenovela, O Direito de Nascer, na extinta TV Tupi. Após o sucesso de O Direito de Nascer,[1] em que viveu a Mamãe Dolores, Isaura fez mais três novelas e alguns filmes.

História[editar | editar código-fonte]

Nascida numa fazenda no interior de São Paulo Isaura ficou órfã de pai aos três anos, órfã de mãe aos 11 anos e foi criada pela avó materna até que esta morresse, quando decidiu ir para a cidade. Após trabalhar como doméstica, divertia-se nos fins de semana nas gafieiras, onde encontrou Walter Forster, que a convidou para trabalhar no filme Luar do Sertão, em 1949.[2]

Isaura teve um sucesso relâmpago com a novela O Direito de Nascer da antiga TV Tupi de São Paulo. Pode ser vista em um especial de 25 anos da TV Tupi , prestando depoimento sobre a novela que protagonizou , mas já esquecida pelo público.

Nos anos 70 sua carreira declina e ela não consegue mais trabalhos na televisão. Pobre e esquecida, ela morreu vendendo doces nas ruas de Campinas, São Paulo, em 2 de maio de 1977, vítima de um ataque cardíaco.

Isaura foi autora de um livro de culinária intitulado " Deliciosos quitutes de Mamãe Dolores " no entanto é um exemplar raríssimo que não teve mais publicações.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Telenovelas
Série

Cinema[editar | editar código-fonte]

Filmes

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. ARAÚJO, Joel Zito. «O negro na telenovela, um caso exemplar da decadência do mito da democracia racial brasileira». Buala. Consultado em 7 de agosto de 2015 
  2. BONVENTTI, Rodolfo (23 de junho de 2014). «Eterna Memória: Isaura Bruno». Cartão de Visita (R7). Consultado em 7 de agosto de 2015 
Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.