Itapeva (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Itapeva
"Itacity, Terra da Pedra Chata, Tupi-Guarany City"
Bandeira indisponível
Brasão de Itapeva
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Fundação 30 de dezembro de 1962(criação) 1 de março de 1963(instalação)
Gentílico itapevense
Prefeito(a) Claudia Viveani de Moraes Andrade (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Itapeva
Localização de Itapeva em Minas Gerais
Itapeva está localizado em: Brasil
Itapeva
Localização de Itapeva no Brasil
22° 46' 04" S 46° 13' 15" O22° 46' 04" S 46° 13' 15" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008 [1]
Microrregião Pouso Alegre IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Camanducaia, Extrema, Senador Amaral, Munhoz
Distância até a capital 458 km
Características geográficas
Área 177,992 km² [2]
População 8 673 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 48,73 hab./km²
Altitude 989 m
Clima Tropical de Altitude Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,720 alto PNUD/2010[4]
PIB R$ 88 654,873 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 11 063,88 IBGE/2008[5]
Página oficial

Itapeva (do tupi-guarani itá’peba, que significa pedra chata) é um município brasileiro situado no extremo sul do estado de Minas Gerais, a 460 km da capital Belo Horizonte.

Localiza-se a uma latitude 22º46'05" sul e a uma longitude 46º13'15" oeste, estando a uma altitude de 989 metros. A cidade está situada na encosta da Serra da Mantiqueira. Possui área de 178,48 km² e mais de 8 mil habitantes, sendo que mais da metade vive na área urbana. A maior parte da cidade se desenvolveu na margem direita da Rodovia Fernão Dias, tendo como referencial o trajeto São Paulo–Minas Gerais. O Município de Itapeva faz divisas com Cambuí, Senador Amaral, Munhoz, Toledo, Extrema e Camanducaia.

História[editar | editar código-fonte]

Em 30 de dezembro de 1962, deu-se a emancipação através da Lei Estadual Mineira 2.764 de 30 de dezembro de 1962. Até então, era um dos Distritos da Camanducaia (como hoje os são São Mateus de Minas e Monte Verde).

Na época da emancipação de Itapeva, o prefeito de Camanducaia, o Sr. Onofre Vargas, administrava o Distrito. Não houve relutância por parte de Camanducaia para a emancipação, sendo que parte do território onde está o Bairro Campo Redondo na verdade é pertencente à Camanducaia até hoje, mas é administrado e cuidado como que se fosse de Itapeva.

Emancipado em 1° de Março de 1963, Itapeva, que antes era denominado “Vila Itapeva” desde 1948, tornou-se politicamente independente de Camanducaia/MG. O desenvolvimento se deu nas imediações da Igreja de São Sebastião, mas ao contrário de muitas cidades na região, a praça principal não fica junto à Igreja Matriz (Católica).

Relevo, vegetação e hidrografia[editar | editar código-fonte]

Encontra-se em um vale em uma área de topografia montanhosa, o que define o seu traçado bastante irregular. O clima que predomina é o tropícal de altitude. O Rio Camanducaia percorre a cidade, sendo que em determinadas épocas tende a causar enchentes, principalmente no Distrito de Areias e no Bairro Divinéia.

Divisão interna[editar | editar código-fonte]

Há os distritos: Areias de Itapeva e Tropical Flores.

Política[editar | editar código-fonte]

A Prefeitura conta com cerca de 400 servidores públicos e funcionários contratados/comissionados divididos nas áreas de administração, finanças, educação, saúde, assistência social, planejamento e obras públicas e esporte, cultura. lazer e turismo. No legislativo, a bancada de situação predomina com 5 das 9 cadeiras. Foi feito recenseamento eleitoral no município sendo que Itapeva atualmente conta com pouco mais que 5.900 eleitores

Histórico de prefeitos[editar | editar código-fonte]

Prefeito Mandato: início fim
Edu Valentim Vilaça 1 de Março de 1963 29 de Agosto de 1963
João Lemes da Silva (Zico da Ponte) 30 de Agosto de 1963 31 de Dezembro de 1964
Hilton Monteiro 1 de Janeiro de 1965 31 de Dezembro de 1968
João Lemes da Silva (Zico da Ponte) 1 de Janeiro de 1969 31 de Dezembro de 1972
Hilton Monteiro 1 de Janeiro de 1973 31 de Dezembro de 1976
Juvenal Machado de Lima 1 de Janeiro de 1977 31 de Dezembro de 1982
Dalmir Dantas 1 de Janeiro de 1983 31 de Dezembro de 1988
Hilton Monteiro 1 de Janeiro de 1989 31 de Dezembro de 1992
José Paula de Morais 1 de Janeiro de 1993 31 de Dezembro de 1996
Hilton Monteiro 1 de Janeiro de 1997 31 de Dezembro de 2000
Hilton Monteiro 1 de Janeiro de 2001 31 de Dezembro de 2004
Denni Carlos Queroz 1 de Janeiro de 2005 27 de Março de 2006
Benedito Paula da Silva 28 de Março de 2006 1 de Fevereiro de 2007
Silvia Antonia Ferreira Santiago 2 de Fevereiro de 2007 30 de Novembro de 2007
Urias Paulo Furquim 1 de Dezembro de 2007 8 de Setembro de 2008
Silvia Antonia Ferreira Santiago 9 de Setembro de 2008 31 de Dezembro de 2008
Urias Paulo Furquim 1 de Janeiro de 2009 31 de Dezembro de 2012
Cláudia Viveani de Morais Andrade 1 de Janeiro de 2013 atualidade

Economia[editar | editar código-fonte]

Segundo o IBGE/2008, Seu PIB gira em torno de R$ 21.848.000,00 e a renda per capita R$ 2.820,55 (dados de 2006).

Na economia, a agropecuária foi predominante até os anos 90, mas se iniciou há alguns anos o processo de industrialização. A cidade é cortada ao meio pela recém-privatizada BR-381 Rodovia Fernão Dias, fator que facilita em partes o acesso à adesão industrial, o que vem ocorrendo de modo tímido ainda , devido dilemas com falta de terrenos para instalações de empresas e incentivos fiscais.

Destacam-se as empresas CBS Médica, Dubar, Espam Lavanderia, Starminas, Plascotec, Acmos, Natique Xiboca.

No Distrito Tropical Flores, ocorre a produção de flores diversas que são vendidas no país e exportadas para países da América do Sul e Europa, principalmente. Neste setor, sobressai-se a empresa Reijers. Há algumas empresas de confecções de vestuários na zona urbana da cidade. O setor de serviços já é o novo predominante e deste segmento ocorre o emprego de muitos cidadãos.

Educação[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com uma escola estadual com ensino médio (EE. Dr. José R. Seabra) e três escolas municipais com ensino fundamental (EM. Dirce M. Lopes, EM. Edu V. Vilaça e EM. Prof. Januário Barbosa). Nas escolas da zona rural (EM Edu Vilaça e EM Januário Barbosa) há cooperação com a Secretaria Estadual de Ensino e o nível médio foi implantado lá, sob tutela da EE Jósé R. Seabra. Há também o EJA.

A rede pública de ensino atingiu notas 5,8 (até 5º ano) e 5,3 (até 9º ano) no IDEB 2011. A cidade conta com uma biblioteca pública municipal (Thelma D. Fonseca) e um Centro de Informática.

Saúde Pública[editar | editar código-fonte]

No município há duas Unidades Básicas de Saúde: Ápio Cardoso (na sede) e Luiz Alves da Silva (Bairro Sertão Grande). Há também um posto de PSF (Programa de Saúde da Família) e um centro onde há atendimento social, psicológico e de fisioterapia.

Turismo e Lazer[editar | editar código-fonte]

Itapeva conta com um clube recreativo (capacidade para 600 pessoas), dois ginásios poliesportivos; um estádio de futebol com iluminação e duas piscinas públicas artificiais e duas academias de ginástica. Somam-se a esses, a piscina natural da "Pedra Chata" e as famosas cachoeiras em que se sobressai a do "Gusto Caipira".

São eventos relevantes no município:

  • a Festa do Padroeiro São Sebastião (20 de janeiro)
  • o aniversário da cidade (1 de março),
  • a Junifest {União das Festas Juninas de Itapeva/MG} (junho),
  • a Festa do Carreteiro (julho),
  • a Festa de São Benedito/Capetinga (julho),
  • a Festa do Peão de Boiadeiro (outubro).

O Carnaval de Rua foi criado também no ano de 2003.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 15 de junho de 2015 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.