João de Berry

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de João, Duque de Berry)
Ir para: navegação, pesquisa
João de Berry
Duque de Berry
225px
Imagem de João, Duque de Berry do Très Riches Heures
Esposas Joana de Armagnac
Joana II, Condessa de Auvergne
Descendência
João de Valois, Conde de Montpensier
Bona de Berry
Maria, Duquesa de Auvergne
Nome completo
Jean de Berry
casa Real Casa de Valois
Pai João II de França
Mãe Bona de Luxemburgo
Nascimento 30 de novembro de 1340 (674 anos)
Castelo de Vincennes
Morte 15 de junho de 1416 (75 anos)
Paris
Brasão

João de Valois, o Magnífico (Vincennes, 30 de novembro de 1340 - Nesles, 15 de março de 1416) foi Duque de Berry e de Auvergne, Conde de Montpensier, de Etampes, de Bolonha e de Mâcon, conde de Poitiers, par de França. Era o 3º filho do rei João II de França e irmão de Carlos V de França, Luis I de Nápoles e de Filipe II, Duque da Borgonha.

Depois da batalha de Poitiers, em virtude do Tratado de Brétigny, permaneceu como refém na Inglaterra até 1367. Reinando o sobrinho, Carlos VI, assinalou-se no governo do Languedoc de 1380 a 1388 por extorsões e malversações. Privado do cargo quando da chegada ao poder dos Marmousets, vingou-se quando o rei enlouqueceu. Repartiu então a autoridade com o irmão, duque da Borgonha e o sobrinho, duque de Orleans. Entre ambos, teve de início um papel conciliador, embora manifestando preferências por Borgonha. Reprovou o assassinato de Orleans por João Sem Medo em 1407 mas não o impediu de fugir. Mal recompensado por sua boa disposição natural, a partir de 1410 mudou bastante - sem abandonar o papel de mediador, favoreceu os Armagnacs e depois negociou com os Ingleses, em 1412. Nomeado capitão de Paris, tenente do Languedoc em 1412, dotado de pensões, pôde pagar suas dívidas - cuja importância se explica por seus gostos dispendiosos. Vaidoso, sensual, sem escrúpulos, protegeu as artes e letras e foi grande mecenas. Decorou com magnificência seus castelos (em Mehun-sur-Yèvre, Riom, Poitiers, Bicêtre). André Beauneveu, Jacquemart de Hesdin, os irmãos Limbourg das belíssimas iluminuras, trabalharam para ele - sua biblioteca continha os mais belos manuscritos do século XIV.

Apesar de ser um político experiente, tinha pouco interesse na vida militar e gastava grande parte do seu tempo e do seu dinheiro (muito do qual recebido dos impostos da região do Languedoc que governava) na sua colecção de objectos de arte e curiosidades. Seus interesses, que incluíam um Jardim Zoológico e um casal de ursos que o acompanhava por toda a parte, tornaram-no bastante impopular. Em 1388, Carlos VI tirou os tios do conselho de estado e Berry retirou-se para suas propriedades.

Na segunda fase da Guerra dos Cem Anos, Berry foi uma figura respeitada e um político moderado que influenciou como negociador nos conflitos entre os sobrinhos João, Duque da Borgonha e Luís de Valois, Duque de Orléans que fracturavam a unidade francesa. Está sepultado em Bourges.

Casamentos e posteridade[editar | editar código-fonte]

Casou em Mehun-sur-Yèvre em 24 de junho de 1360 com Joana ou Jeanne d´Armagnac (morta em março de 1387), filha de João I, conde de Armagnac, e de Beatriz de Bourbon, condessa de Charolais; teve cinco filhos.

Casou depois em Riom em 5 de junho de 1390 com Joana II (1378-1424), condessa de Auvergne e Boulogne, filha de João II, conde de Bolonha, Delfim de Auvergne e de Eleonora de Comminges; sem posteridade.

  • 1 - Carlos de Berry (1362-1382), Conde de Montpensier. Casou com Marie de Sully, senhora de Sully, filha de Luís de Sully.
  • 2 - João II de Berry ( morto em 15 de abril de 1416), conde de Montpensier, Duque de Berry. Casado em Saint-Ouen em agosto de 1386 com sua prima Catarina de France (Paris 4 de fevereuro de 1377-outubro de 1388 sepultada na abadia de Maubuisson), filha de Carlos V e de Joana de Bourbon; casou em 1401 com Anne de Bourbon-La Marche (morta em setembro de 1408 em Paris), filha de João I de Bourbon, Conde de Vendôme, e de Catarina de Vendôme. Sem posteridade.
  • 3 - Luís de Berry (1364-1383).
  • 4 - Bona ou Bonne de Berry (1365-30 de dezembro de 1435 em Carlat, sepultada em Rodez. Casada em Paris em 18 de janeiro de 1377 com Amadeu VII (24 de fevereiro de 1360-1º de novembro de 1391), Conde de Savóia; casou depois em Mehun-sur-Yevre em 2 de dezembro de 1393 com Bernardo VII (1364-1418), Conde de Armagnac.
  • 5 - Maria de Berry (1370-junho de 1434 em Lyon, sepultada em Souvigny), Duquesa de Auvergne (1400). Casada em 29 de março de 1386 com Luís II de Châtillon (morto em 5 de julho de 1391), Conde de Dunois e de Blois; casada depois em Paris em 27 de janeiro de 1392 com Filipe d'Artois (1358-1397 Micalizo (Anatólia) conde de Eu, condestável de França, filho de João de Artois, o sem terra, Conde d´Eu, e de Isabel de Melun; casada por terceira vez em Paris em 22 de junho de 1400 com João I de Bourbon (1380-1434 Londres aprisionado), Conde de Clermont (1406) et de Montpensier, duque de Bourbon, filho de Luís II de Bourbon, Duque de Bourbon (1356) e de Ana de Auvergne.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre João de Berry

  "Berry, John". Encyclopædia Britannica (11th) 3. (1911). Ed. Chisholm, Hugh. Cambridge University Press.