John F. Kelly

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
John F. Kelly
28.º Chefe de Gabinete da Casa Branca
Período 31 de julho de 2017
a 2 de janeiro de 2019
Presidente Donald Trump
Antecessor Reince Priebus
Sucessor Mark Meadows
Secretário da Segurança Interna dos Estados Unidos
Período 20 de janeiro de 2017
a 31 de julho de 2017
Presidente Donald Trump
Antecessor Jeh Johnson
Sucessor Kirstjen Nielsen
Dados pessoais
Nome completo John Francis Kelly
Nascimento 11 de maio de 1950 (70 anos)
Boston, Massachusetts, USA
Nacionalidade norte-americano
Alma mater Universidade de Massachusetts
Cônjuge Karen Hernest
Filhos 3
Profissão Militar, político
Serviço militar
Lealdade  Estados Unidos
Serviço/ramo Fuzileiros Navais dos EUA
Anos de serviço 1969 (USMS)
1970–1972(USMC)
1972–1975 (reserva)
1975–2016(USMC)
Graduação General US Marine 10 shoulderboard.svg
Conflitos Guerra do Golfo Pérsico
Guerra do Iraque

John Francis Kelly (nasceu a 11 de maio de 1950) é um membro do conselho da Caliburn Internacional e um fuzileiro naval dos Estados Unidos aposentado, que serviu como Chefe de Gabinete da Casa Branca para o presidente Donald Trump de 31 de julho de 2017, a 2 de Janeiro de 2019. Ele já havia atuado como Secretário de Segurança Interna na administração Trump .

Kelly alistou-se no Corpo de Fuzileiros Navais durante a Guerra do Vietnã e foi comissionado como oficial perto do final da faculdade. Ele subiu na hierarquia, servindo em seu último posto militar de 2012 a 2016 como o general quatro estrelas que liderou o Comando Sul dos Estados Unidos, sendo este o comando responsável pelas operações militares americanas na América Central, América do Sul e Caribe.[1]

Kelly foi escolhido como o primeira secretário da Segurança Interna na administração Trump. Ganhou a reputação de ser um aplicador agressivo da lei de imigração. Depois de seis meses, ele foi selecionado para substituir Reince Priebus como Chefe de Gabinete da Casa Branca numa tentativa de trazer mais estabilidade para a Casa Branca.[2] Ele foi o primeiro oficial militar de carreira a servir na posição desde Alexander Haig durante as administrações de Nixon e Ford.[3]

Infância e Educação[editar | editar código-fonte]

John nasceu a 11 de maio de 1950, em Boston, Massachusetts, filho de Josephine e John F. Kelly. A sua família era católica, e o seu pai de ascendência irlandesa, a sua mãe era de ascendência italiana.[4][5][6][7] O seu pai era um funcionário dos correios em Brighton.[8] Ele cresceu no bairro de Brighton, em Boston.[9] Antes de atingir a idade de 16 anos, ele pediu boleia até ao estado de Washington e pegou os comboios de volta, incluindo um comboio de carga de Seattle a Chicago.[10][11] Ele então serviu por um ano na Marinha Mercante dos Estados Unidos, onde disse que "a minha primeira vez no exterior foi levando 10.000 toneladas de cerveja para o Vietnã".[12]

Em 1970, John alistou-se no Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos.[13][14] Ele serviu em uma companhia de infantaria com a 2ª Divisão da Marinha em Camp Lejeune, na Carolina do Norte, e foi dispensado para a reserva inativa como sargento em 1972 para que pudesse cursar a faculdade.[15][16] Ele voltou ao serviço ativo com os fuzileiros navais em 1975, concluiu a Escola de Candidatos a Oficiais e foi comissionado como segundo-tenente a 27 de dezembro de 1975.[17][18] Em 1976, ele formou-se na Universidade de Massachusetts Bostone, em 1984, recebeu o grau de Mestre em Artes, e Assuntos de Segurança Nacional pela Georgetown School of Foreign Service.[19] Em 1995, Kelly formou-se na National Defense University em Washington, DC com um mestrado em estudos estratégicos.

Secretário da Segurança Interna[editar | editar código-fonte]

A 7 de dezembro de 2016, o então presidente eleito Donald Trump indicou Kelly para chefiar o Departamento de Segurança Interna (DHS), um cargo do gabinete executivo.[20] Pessoas familiarizadas com a transição disseram que a equipe de Trump foi atraída a Kelly pela sua experiência na fronteira sudoeste.[21] A 20 de janeiro de 2017, Kelly foi confirmado como Secretário de Segurança Interna pelo Senado dos Estados Unidos com uma votação de 88-11.[22] Naquela mesma noite, ele foi empossado pelo vice-presidente Mike Pence.[23]

Num discurso em abril de 2017 na Universidade George Washington, Kelly disse: "Se os legisladores não gostarem das leis que aprovaram nos somos encarregados de fazer cumprir, eles devem ter a coragem e habilidade para mudar as leis. Caso contrário, eles deveriam calar a boca e apoiar os homens e mulheres na linha de frente. "[24]

Kelly indicou nos seus primeiros dias no governo o seu interesse em ter o muro da fronteira EUA-México concluída em dois anos.[25] A 21 de abril de 2017, Kelly disse que o muro da fronteira EUA-México começaria a construção "até o final do verão".[26] Dois dias depois, Kelly disse que acreditava que "um muro de fronteira é essencial", pois havia "ameaças tremendas", como drogas e indivíduos vindo para os EUA.[27]

Em maio de 2017, Kelly disse sobre o terrorismo: "Está em toda parte. É constante. Não pára. A boa notícia para nós na América é que temos pessoas incríveis nos protegendo todos os dias. Mas pode acontecer aqui quase a qualquer hora." Ele disse que a ameaça do terrorismo era tão grave que algumas pessoas "nunca sairiam de casa" se soubessem a verdade.[28] Em julho, John Kelly supostamente impediu o xerife do condado de Milwaukee, David Clarke, de assumir uma posição no DHS, embora isso nunca tenha sido confirmado.[29]

Chefe de Gabinete da Casa Branca[editar | editar código-fonte]

Kelly durante o MSC, em 2017

Trump nomeou Kelly para o cargo de Chefe de Gabinete da Casa Branca a 28 de julho de 2017, substituindo assim Reince Priebus. A expulsão de Priebus e a nomeação de Kelly seguiram uma luta interna pelo poder na Casa Branca. Kelly assumiu o cargo a 31 de julho de 2017.[30] Naquele mesmo dia, com a aprovação de Trump, Kelly removeu Anthony Scaramucci do seu papel como diretor de comunicações, com apenas dez dias de Scaramucci ter sido nomeado para esse papel. Alegadamente, Kelly solicitou permissão para remover Scaramucci depois que "Scaramucci se ter gabado de reportar diretamente ao presidente, e não ao chefe de gabinete".[31]  A 18 de agosto de 2017, Kelly removeu Steve Bannonde do seu papel como estrategista-chefe da Casa Branca, em nome do presidente Trump.[32]

No início de sua gestão, os meios de comunicação como o The New York Times, The Washington Post e FiveThirtyEight especularam que Kelly traria moderação e disciplina à Casa Branca.[33][34][35]

Quando Donald Trump chegou à Singapura em junho de 2018 para a cúpula Coréia do Norte-Estados Unidos , o New York Times relatou que Kelly havia dito a um grupo de senadores visitantes que a Casa Branca era "um péssimo lugar para se trabalhar". O comentário relatado renovou as especulações de à meses de que Kelly se demitiria do seu cargo de Chefe de Gabinete da Casa Branca.[36]

De acordo com vários meios de comunicação no início de 2018, a influência de Kelly na Casa Branca havia diminuído e Trump tomou várias decisões importantes sem a sua presença.[37][38][39] A 7 de dezembro de 2018, a CNN e outros relataram que Kelly e Trump não estavam mais a falarem-se e que Kelly deveria renunciar nos próximos dias.[40] A 8 de dezembro, Trump anunciou que Kelly estaria saindo no final do ano. A 14 de dezembro de 2018, a Casa Branca anunciou, que Mick Mulvaney substituiria John Kelly como Chefe de Gabinete da Casa Branca.[41]

Referências

  1. https://www.mcclatchydc.com/news/politics-government/article24733033.html
  2. Prokop, Andrew (8 de dezembro de 2018). «John Kelly is out as White House chief of staff, Trump announces». Vox (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  3. Zeitz, Joshua. «The Last Time a General Propped Up a President». POLITICO Magazine (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  4. «How John Kelly's Boston neighborhood led him to Trump's side». POLITICO (em inglês). 14 de abril de 2018. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  5. Bump, Philip. «Analysis | How John Kelly's family history compares with the immigrants he wants to keep from entering». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  6. https://www.gpo.gov/fdsys/pkg/CHRG-112shrg80073/pdf/CHRG-112shrg80073.pdf
  7. Staff, Maria Sacchetti Globe; December 7; 2016; Comments, 8:42 p m Email to a Friend Share on Facebook Share on TwitterPrint this Article View. «General John F. Kelly: from Brighton to the White House - The Boston Globe». BostonGlobe.com (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  8. Dwilson, Stephanie Dube (28 de julho de 2017). «John Kelly's Family & Children: 5 Fast Facts You Need to Know». Heavy.com (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  9. Staff, Maria Sacchetti Globe; December 7; 2016; Comments, 8:42 p m Email to a Friend Share on Facebook Share on TwitterPrint this Article View. «General John F. Kelly: from Brighton to the White House - The Boston Globe». BostonGlobe.com (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  10. Staff, Maria Sacchetti Globe; December 7; 2016; Comments, 8:42 p m Email to a Friend Share on Facebook Share on TwitterPrint this Article View. «General John F. Kelly: from Brighton to the White House - The Boston Globe». BostonGlobe.com (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  11. https://www.usnews.com/news/national-news/articles/2017-01-17/10-things-you-didnt-know-about-gen-john-kelly
  12. «Gen. John F. Kelly reflects on 45 years of service». United States Marine Corps Flagship (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  13. https://www.gpo.gov/fdsys/pkg/CHRG-112shrg80073/pdf/CHRG-112shrg80073.pdf
  14. Staff, Maria Sacchetti Globe; December 7; 2016; Comments, 8:42 p m Email to a Friend Share on Facebook Share on TwitterPrint this Article View. «General John F. Kelly: from Brighton to the White House - The Boston Globe». BostonGlobe.com (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  15. https://www.gpo.gov/fdsys/pkg/CHRG-112shrg80073/pdf/CHRG-112shrg80073.pdf
  16. Staff, Maria Sacchetti Globe; December 7; 2016; Comments, 8:42 p m Email to a Friend Share on Facebook Share on TwitterPrint this Article View. «General John F. Kelly: from Brighton to the White House - The Boston Globe». BostonGlobe.com (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  17. https://www.gpo.gov/fdsys/pkg/CHRG-112shrg80073/pdf/CHRG-112shrg80073.pdf
  18. «Biographies». U.S. Department of Defense (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  19. «Secretary Johnson Swears in New Members of the Homeland Security Advisory Council». Department of Homeland Security (em inglês). 2 de junho de 2016. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  20. Landler, Mark; Haberman, Maggie (7 de dezembro de 2016). «Donald Trump Picks John Kelly, Retired General, to Lead Homeland Security (Published 2016)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  21. Post, Jerry Markon and Dan Lamothe, Washington. «Retired Marine Gen. John F. Kelly picked to head homeland security». https://www.inquirer.com (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  22. «U.S. Senate: U.S. Senate Roll Call Votes 115th Congress - 1st Session». www.senate.gov. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  23. Greenwood, Max (20 de janeiro de 2017). «Trump picks Mattis, Kelly sworn in». TheHill (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  24. https://www.washingtonpost.com/world/national-security/dhs-secretary-kelly-says-congressional-critics-should-shut-up-or-change-laws/2017/04/18/8a2a92b6-2454-11e7-b503-9d616bd5a305_story.html
  25. Conway, Madeline. «Kelly: I hope border wall will be 'done within the next two years'». POLITICO (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  26. CNN, By Eugene Scott (21 de abril de 2017). «Kelly: Border wall construction by end of summer». CNN Digital (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  27. «DHS Secretary John Kelly: Border Wall is 'Essential' Despite Looming Government Shutdown». Fortune (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  28. Hensch, Mark (26 de maio de 2017). «DHS chief: If you knew what I knew about terror, you'd 'never leave the house'». TheHill (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  29. Suebsaeng, Lachlan Markay,Asawin (5 de setembro de 2017). «Sheriff Clarke Was in Talks for a Trump White House Job—Then John Kelly Killed It». The Daily Beast (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  30. «Statement from Press Secretary Dave Lapan on Homeland Security Leadership». Department of Homeland Security (em inglês). 28 de julho de 2017. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  31. Shear, Michael D.; Thrush, Glenn; Haberman, Maggie (31 de julho de 2017). «John Kelly, Asserting Authority, Fires Anthony Scaramucci (Published 2017)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  32. Haberman, Maggie; Shear, Michael D.; Thrush, Glenn (18 de agosto de 2017). «Stephen Bannon Out at the White House After Turbulent Run (Published 2017)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  33. Jr, Perry Bacon (20 de fevereiro de 2018). «How The Media Bungled The John Kelly Story». FiveThirtyEight (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  34. Nixon, Ron; Shear, Michael D. (29 de julho de 2017). «John Kelly, New Chief of Staff, Is Seen as Beacon of Discipline (Published 2017)». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  35. Jaffe, Greg; deGrandpre, Andrew (28 de julho de 2017). «In John Kelly, Trump gets a plain-spoken disciplinarian as his chief of staff». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  36. Cranley, Ellen. «John Kelly is reportedly eyeing the exit and called the White House 'a miserable place to work'». Business Insider. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  37. «Kelly Loses White House Clout as Trump Blazes Own Path». Bloomberg.com (em inglês). 29 de março de 2018. Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  38. Weaver, Dustin (5 de abril de 2018). «The Memo: Kelly said to be losing influence with Trump». TheHill (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  39. «Trump freezes out chief of staff John Kelly, says he's "tired of being told 'no'"». www.cbsnews.com (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  40. CNN, By Kaitlan Collins (7 de dezembro de 2018). «Kelly expected to resign soon, no longer on speaking terms with Trump». CNN Digital (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020 
  41. Pappas, Alex (14 de dezembro de 2018). «Mick Mulvaney to replace John Kelly as 'acting' chief of staff, Trump says». Fox News (em inglês). Consultado em 21 de dezembro de 2020