Joseph Losey

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Joseph Losey (La Crosse, Wisconsin, 14 de Janeiro de 1909Londres, 22 de Junho de 1984) foi um diretor do cinema norte-americano radicado na Inglaterra.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sua carreira começou com o curta-metragem "A Gun in his hand", em 1945, e três anos depois fez o seu primeiro longa-metragem, "O Menino dos cabelos verdes", em 1948, uma obra de vigoroso apelo antibelicista e anti-racial.

Quatro filmes depois, a carreira de Losey é bruscamente interrompida, no início da década de 1950 pela ação do macarthismo, que incluiu o seu nome na famigerada lista negra de Hollywood. Impedido de trabalhar, muda-se para Inglaterra.

Abre-se, assim, um novo período na vida e na carreira do diretor, marcado, nos primeiros anos, por grandes dificuldades. Mesmo distante da América, é obrigado a usar pseudônimo nos filmes que dirige, ou, pior, sofre o constrangimento de vê-los assinados por um "testa de ferro".

Foi com o a estréia de "O Criado" em 1963, que Losey se fez conhecido internacionalmente e foi também a primeira de suas realizações britânicas que conseguiu alcançar popularidade nos Estados Unidos.

O seu filme "O Mensageiro", de 1970 com Julie Cristhie e Alan Bates, ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes e em 1976 com "Monsier Klein", estrelado por Alain Delon e Jeanne Moreau, conquistou o prêmio francês César como o "Melhor Filme" e "Melhor Diretor".

Filmografia[editar | editar código-fonte]