Lelo Coimbra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lelo Coimbra
Deputado federal pelo Espírito Santo
Período 1 de fevereiro de 2007
até 31 de janeiro de 2019
Vice-governador do Espírito Santo
Período 1 de janeiro de 2003
até 31 de dezembro de 2006
Dados pessoais
Nascimento 21 de junho de 1954 (65 anos)
Vitória, Espírito Santo
Partido PMDB
Profissão Médico sanitarista

Wellington Coimbra, popularmente conhecido como Lelo Coimbra (Vitória, 21 de junho de 1954)[1][2] é um sanitarista e político brasileiro. Filiado ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro, é Líder da Maioria da Câmara dos Deputados do Brasil[3].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi deputado estadual na legislatura de 1995/1998. Tentou a reeleição, mas ficou como suplente e acabou assumindo novamente a cadeira de deputado. Em 2002 foi eleito vice-governador do Espirito Santo para o mandato 2003/2006. Durante esse período, foi Secretario de Estado da Educação do Governo.

Foi eleito deputado federal pelo PMDB - Espírito Santo em outubro de 2006, tendo sido reeleito em 2010. Foi reeleito deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019).

Nas eleições de 2018 candidatou-se novamente a deputado federal, não sendo eleito.[4]

Financiamento de campanha[editar | editar código-fonte]

Lelo é um dos deputados cuja campanha foi financiada pela Vale/Samarco, caracterizando conflito de interesses ao ser selecionado para participar da comissão criada na Câmara[5] a respeito do rompimento de barragens em Bento Rodrigues.[6]

Foi um dos 71 deputados que, em 27 de maio de 2015, alterou seu voto sobre o financiamento privado das eleições no Brasil, dado no dia anterior, na terça-feira, 26 de maio, em sessão do Congresso, quando votara contra o financiamento privado. No dia 27, sem maiores explicações e após o presidente da câmara recolocar o tema em votação, votou a favor do financiamento privado das campanhas eleitorais.[7]

Atuação na 55ª Legislatura[editar | editar código-fonte]

Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff.[8] Posteriormente, votou favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[8] Em abril de 2017 apoiou a Reforma Trabalhista.[8] [9] Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então Presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.[8][10]


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.