Let it Be... Naked

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Let it Be... Naked
Álbum de remisturas de The Beatles
Lançamento 17 de novembro de 2003 (2003-11-17)
Gravação 04 de fevereiro de 1968, 02-31 de janeiro de 1969 e 3-04 de janeiro de 1970,
EMI e estúdios da Apple, e Twickenham Film Studios, em Londres
Gênero(s) Rock, blues, hard rock
Duração 35:04
Idioma(s) Inglês
Gravadora(s) Apple
Produção Paul Hicks, Guy Massey and Allan Rouse
Cronologia de The Beatles
1
(2000)
The Capitol Albums, Volume 1
(2004)

Let it Be... Naked é um álbum da banda britânica de rock The Beatles. É uma versão remixada e remasterizada do álbum Let It Be, de 1970. O projeto foi supervisionado por Paul McCartney, que sentiu que a produção de Phil Spector não representou fielmente as intenções do grupo "despojado" para o álbum original. Let It Be... Naked apresenta as canções "nuas"—sem overdubs de Spector e sem a vibração incidental de destaque do estúdio entre a maioria dos cortes do álbum original. Let It Be... Naked também substitui "Dig It" e "Maggie Mae", com "Don't Let Me Down", originalmente apresentado como o lado B do single "Get Back".[1]

História[editar | editar código-fonte]

O álbum é apresentado de uma forma que Paul McCartney considera mais próxima de sua visão artística original: "voltar" para o som do rock and roll de seus primeiros anos,[2] em vez dos overdubs orquestrais e enfeites que foram adicionados por Phil Spector na produção final do álbum Let It Be. McCartney em particular esteve sempre insatisfeito com o estilo de produção "Wall of Sound" dos remixes de Phil Spector, especialmente por sua canção "The Long and Winding Road", que ele acreditava ter sido arruinada pelo processo.[2] George Harrison deu sua aprovação para o projeto Naked antes de morrer.[3] A atitude de McCartney contrasta com a de Lennon mais de duas décadas antes. Em sua entrevista para a revista Rolling Stone em 1971, Lennon tinha defendido o trabalho de Spector, dizendo: "Foi-lhe dada a carga ferrada de merda mal gravada com um sentimento sempre ruim para ele, e ele fez algo de que... Quando ouvi isso, eu não vomitei."[4]

Porém, Paul McCartney não gostou do resultado final, se queixando do trabalho de Phil Spector. Em 2003, é lançado então Let it Be Naked, a versão do álbum como McCartney queria que fosse sido lançado, sem o recurso do Wall of Sound de Spector. Nesta nova versão contendo dois CD´s, certas faixas como Maggie Mae foram retiradas. Foi adicionado a música Don´t Let me Down. A orquestra em The Long and Winding Road foi retirada deixando a música numa versão mais "crua" e Let it Be foi apresentada em outra versão de estúdio.

O segundo CD contém conversas entre os integrantes da banda e algumas partes de ensaios de algumas músicas. A curiosidade desse CD está em um trecho onde John Lennon ensaia a música que seria conhecida como Imagine.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Metacritic 68/100[5]
Allmusic 4 de 5 estrelas.[6]
Pitchfork Media 7.0/10[7]
Rolling Stone 3 de 5 estrelas.[8]

O álbum recebeu críticas mistas, com o site agregador de criticas Metacritic deu ao álbum uma pontuação de 68 em 100%.[5] Rovi Staff da Allmusic elogiou o álbum citando: "No geral um pouco mais forte [do que Let It Be] ... um álbum mais elegante, mais liso".[6] Enquanto a revista Pitchfork, em um artigo de Dominique Leone declarou "não essencial [...] embora impecavelmente apresentado".[7] Anthony DeCurtis da Rolling Stone observou que "[enquanto] as melhorias sonoras para o álbum como um todo são inegáveis [...] novatos devem ainda obter o original".[8]

Músicas[editar | editar código-fonte]

Disco 1[editar | editar código-fonte]

  1. "Get Back"
  2. "Dig a Pony"
  3. "For You Blue"
  4. "The Long and Winding Road"
  5. "Two of Us"
  6. "I've Got a Feeling"
  7. "One After 909"
  8. "Don't Let Me Down"
  9. "I Me Mine"
  10. "Across the Universe"
  11. "Let It Be"

Disco 2[editar | editar código-fonte]

Chamado de Fly on the wall, trata-se de diálogos e trechos de músicas.

  • Conversation
  • "Sun King" – 0:17
  • "Don't Let Me Down" – 0:35
  • Conversation
  • "One After 909" – 0:09
  • Conversation
  • "Because I Know You Love Me So" – 1:32
  • Conversation
  • "Don't Pass Me By" – 0:03
  • "Taking a Trip to Carolina" – 0:19
  • "John's Piano Piece" – 0:18
  • Conversation
  • "Child of Nature" – 0:24
  • "Back in the U.S.S.R." – 0:09
  • Conversation
  • "Every Little Thing" – 0:09
  • "Don't Let Me Down" – 1:01
  • Conversation
  • "All Things Must Pass" – 0:21
  • Conversation
  • "She Came in Through the Bathroom Window" – 0:05
  • Conversation
  • "Paul's Piano Piece" – 1:01
  • Conversation
  • "Get Back" – 0:15
  • Conversation
  • "Two of Us" – 0:22
  • "Maggie Mae" – 0:22
  • "Fancy My Chances With You" – 0:27
  • Conversation
  • "Can You Dig It?" – 0:31
  • Conversation
  • "Get Back" – 0:32
  • Conversation

Músicos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Unterberger, Richie. «Let It Be». All Media Guide (em inglês). Allmusic. Consultado em 06 d janeiro de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. a b Hurwitz, Matt (1º de janeiro de 2004). «The Naked Truth About The Beatles' Let It BeNaked [sic]». Penton Media (em inglês). Mix. Consultado em 06 de janeiro de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. «It's a Bad Day on CNN» (em inglês). Rediff.com. 13 de setembro de 2003. Consultado em 06 de janeiro de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  4. Everett, Walter (1999). The Beatles as Musicians: Revolver Through the Anthology (em inglês) ilustrada ed. [S.l.]: Oxford University Press. p. 277. ISBN 0195129415 
  5. a b «Let It Be... Naked Reviews» (em inglês). Metacritic. Consultado em 07 de janeiro de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  6. a b Staff, Rovi. «Let It Be... Naked». All Media Guide (em inglês). Allmusic. Consultado em 06 de janeiro de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  7. a b Leone, Dominique (19 de novembro de 2003). «Let It Be... Naked» (em inglês). Pitchfork. Consultado em 06 de janeiro de 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  8. a b DeCurtis, Anthony (20 de novembro de 2003). «Let It Be... Naked» (em inglês). Rolling Stone. Consultado em 06 de janeiro de 2014  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de The Beatles é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.