Linhares Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Linhares Filho
Nome nativo José Linhares Filho
Nascimento 28 de fevereiro de 1939 (79 anos)
Lavras da Mangabeira
Cidadania Brasil
Alma mater Liceu do Ceará, Universidade Federal do Ceará, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Ocupação escritor, poeta, professor
Prêmios Academia Cearense de Letras, Príncipe dos Poetas Cearenses
Empregador Universidade Federal do Ceará

José Linhares Filho (Lavras da Mangabeira, 28 de fevereiro de 1939) é ensaísta crítico, poeta, professor e escritor, membro da Academia Cearense de Letras.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de José Gonçalves Linhares, ex-prefeito de Lavras de Mangabeira e da pintora Maria de Conceição Esteves Linhares. Vive há 53 anos com sua Musa inspiradora, Mariazinha. Dessa união nasceram as filhas Maria da Conceição, Mônica, Catarina e Isabel. Seu tio Joel Linhares foi um dos fundadores do movimento Esperantista no Ceará, editor da publicação Brazilian Life (1922) e autor do primeiro soneto originalmente escrito em esperanto no Ceará: "To New Life".[2]

Linhares Filho é graduado em Letras pela Universidade Federal do Ceará, é mestre em Literatura Portuguesa e doutor em Letras Vernáculas (área de Literatura Portuguesa) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.[3][4]

É professor titular de Literatura Portuguesa da Universidade Federal do Ceará, ministrando também Literatura Brasileira na Pós-graduação. Foi coordenador da Casa de Cultura Portuguesa. Integrou o curso de Pós-graduação em Letras da UFC (1993), editor da Revista de Letras e pesquisador do Instituto de Língua e Cultura Portuguesa em Lisboa. Foi professor visitante na Universidade de Colônia e na Universidade Técnica de Aachen, na Alemanha.[5]

Ensaísta e poeta, cuja poesia é elogiada por intelectuais de grandes méritos. Especialista na obra de Machado de Assis, Fernando Pessoa e Carlos Drummond de Andrade. Seu livro Notícias de Bordo foi indicado para estudo no Exame Vestibular UFC em 2009 - 2010. Faz parte do Grupo Sin de Literatura e de várias entidades culturais. Ingressou na Academia Cearense de Letras no dia 23 de julho de 1980 na vaga deixada por Josaphat Linhares, ocasião em que foi saudado pelo acadêmico e contista Moreira Campos. Ocupa a cadeira número 30, cujo patrono é Rocha Lima.[6][7]

Obra[editar | editar código-fonte]

  • Sumos do Tempo, poesia, (1968),
  • A Metáfora do Mar no Dom Casmurro, ensaio, (1978),
  • Voz das Coisas,poesia (1979),
  • A “Outra Coisa” na Poesia de Fernando Pessoa, ensaio (1982),
  • Frutos da Noite de Trégua, poesia(1983),
  • Tempo de Colheita, poesia(1987),
  • Andanças e Marinhagens,poesia (1993),
  • Rebuscas e Reencontros, poesia (1996),
  • O Poético como Humanização em Miguel Torga, ensaio, tese de doutorado (1997),
  • Itinerário: trinta anos de poesia, poesia (1998),
  • A Modernidade da Poesia de Fernando Pessoa, ensaio, tese para professor titular da UFC (1998),
  • O Amor e Outros Aspectos em Drummond, ensaio (2002),
  • Notícias de Bordo: poemas selecionados, poesia (2006),
  • Cantos de Fuga e Ancoragem, poesia (2007),
  • 50 Poemas Escolhidos pelo Autor, poesia (2008),
  • No Limiar do Inverno, poesia (2010),
  • Momentos Impressivos da Terra Santa, poesia (2011),
  • Junto à Lareira Invisível, poesia (2013),
  • Itinerário - Quarenta e Cinco Anos de Poesia, poesia (2014),
  • Consagração à Poesia: poemas, discursos, artigos (2017)

Distinções[editar | editar código-fonte]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Recebeu os seguintes prêmios:

  • Prêmio do Estado do Ceará de Ensaio, em 1986 e de Poesia, em 1987.
  • Detentor do diploma de Mérito Cultural, concedido pela Academia Brasileira de Filologia, Rio de Janeiro.
  • Recebeu o título de Príncipe dos Poetas Cearenses.[8][9]
  • Recebeu em 2017 o título de Professor Emérito da UFC,[10][11]
  • Medalha do Mérito Cultural Joaryvar Macedo, da Prefeitura Municipal de Lavras da Mangabeira,
  • Medalha do Mérito Educacional Gustavo Augusto Lima, da Academia Lavrense de Letras
  • Homenagem da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará pelo Dia da Literatura Cearense (2017)

Referências

  1. «Academia Cearense de Letras». www.academiacearensedeletras.org.br. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  2. «José Linhares Filho - Antologia da ACL» (PDF). www.academiacearensedeletras.org.br. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  3. «Academia Cearense de Letras - Site oficial». www.ceara.pro.br. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  4. «LINHARES FILHO – Brasil – POESIA DOS BRASIS – CEARÁ - www.antoniomiranda.com.br». www.antoniomiranda.com.br. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  5. «Jose Linhares Filho». Escavador. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  6. Revista do Instituto do Ceará. [S.l.]: Instituto do Ceará. 2003 
  7. Aragão, Verônica de (1995). Sincretismo: a poesia da geração 60 : introdução e antologia. [S.l.]: Topbooks 
  8. «Nova monarquia para as letras do Ceará». Diário do Nordeste. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  9. «Ideal Clube». www.idealclube.org.br. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  10. Universitários, Divisão de Portais. «José Linhares Filho receberá na quinta-feira (13) o título de Professor Emérito da UFC». www.ufc.br. Consultado em 31 de dezembro de 2018 
  11. Universitários, Divisão de Portais. «Aprovado título de professor emérito para José Linhares Filho e Tarcísio Pequeno». www.ufc.br. Consultado em 31 de dezembro de 2018