Lista de naufrágios ocorridos nos mares dos Açores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esta é uma lista de naufrágios ocorridos nos mares dos Açores.

século XVI[editar | editar código-fonte]

  1. 1522 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  2. 1542 – Naufrágio da nau cognominada Grifo, capitaneada por Baltazar Jorge.[1]
  3. 1549 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  4. 1550 – (1.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  5. 1550 – (2.º ) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  6. 1551 – (1.º ) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  7. 1552 – (2.º ) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  8. 1552 – (3.º ) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  9. 1552 – (4.º ) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  10. 1553 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  11. 1554 – (1.º) Naufrágio de um galão de nacionalidade espanhola da frota de Juan Tello de Guzman.
  12. 1554 – (2.º) Naufrágio de um galão de nacionalidade espanhola da frota de Juan Tello de Guzman.
  13. 1555 - Naufrágio da nau Assumpção, comandada por Jácome de Melo.[2]
  14. 1555 - Naufrágio da nau alcunhada de Algarvia Velha, acabada de chegar das Índias.[3]
  15. 1556 - (1 de Março), naufrágio de uma galera inglesa Europe, que encalha na Prainha.
  16. 1556 - (6 de Agosto) - Naufrágio da nau Nossa Senhora da Vitória, da Carreira das Índias.[4]
  17. 1556 - (6 de Agosto) - Naufrágio da nau Nossa Senhora da Assunção, Carreira das Índias.[4]
  18. 1557 - 14 de Novembro, naufrágio na Ponta da Queimada do patacho Abrigada.
  19. 1558 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  20. 1560 – (1.º) Naufrágio de 1560, de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  21. 1560 – (2.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  22. 1560 – (3.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  23. 1560 – (4.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  24. 1563 – (1.º) Naufrágio do ano de 1563, de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  25. 1563 – (2.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  26. 1564 – (1.º) Naufrágio do ano de 1564, de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  27. 1564 – (2.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  28. 1566 – Naufraga nos mares dos Açores de uma nau com 300 toneis de capacidade e com cerca de 60.000 cruzados a bordo.
  29. 1567 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  30. 1586 – (1.º) Naufrágio do ano de 1586 de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  31. 1586 – (2.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  32. 1586 – (3.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  33. 1588 – (1.º) Naufrágio do ano de 1588 de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  34. 1588 – (2.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  35. 1592 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  36. 1593 – (1.º) Naufrágio do ano de 1593 de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  37. 1593 – (2.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  38. 1593 – (3.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  39. 1593 – (4.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.

século XVII[editar | editar código-fonte]

  1. 1604 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  2. 1605 – Naufrágio da nau portuguesa sob o comando do Capitão Manuel Barreto Rolim.
  3. 1606 – Naufrágio da nau São Jacinto, embarcação da Carreira da Índia e provinda de Goa.
  4. 1606 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  5. 1606 - Naufrágio de um navio de aviso espanhol, ao lago da ilha de Santa Maria.
  6. 1608 – Naufrágio da nau espanhola de nome capitânia de Armada de D. Juan de Salas Valdes.
  7. 1610 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  8. 1614 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  9. 1625 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  10. 1629 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  11. 1633 – Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história.
  12. 1634 - (16 de Maio) naufraga nas cercanias da ilha de Santa Maria a caravela Santo António que vinha da Índia.
  13. 1642 – Afundamento da embarcação comercial carregada de mantimentos que foi “apanhada” pelos espanhóis sitiados na Fortaleza de São João Baptista durante a Guerra da Restauração. Foi afundada pela acção conjunto do mau tempo e pelo bombardeamento da artilharia portuguesa para evitar que os espanhóis adquirissem os mantimentos.
  14. 1644 – (1.º) Naufrágio do ano de 1644 de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história, tratava-se de um galeão proveniente do Brasil.
  15. 1644 – (2.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história, tratava-se igualmente de um galeão proveniente do Brasil.
  16. 1644 – (3.º) Naufrágio de uma embarcação nos mares dos Açores cujo nome e o local do naufrágio é desconhecido pelos anais da história, tratava-se igualmente de um galeão proveniente do Brasil.
  17. 1649 - 12 de Fevereiro – Naufrágio de 1.º navio (de um total de 4) proveniente do Brasil.
  18. 1649 - 12 de Fevereiro – Naufrágio de 2.º navio proveniente do Brasil.
  19. 1649 - 12 de Fevereiro – Naufrágio 3.º navio proveniente do Brasil.
  20. 1649 - 12 de Fevereiro – Naufrágio 4.º navio proveniente do Brasil. Tendo em atenção a data. Foi certamente pela acção do mau tempo. São os 4 referidos por [5]
  21. 1650 – Naufrágio da nau Santo António, vinda de São Cristóvão, salvando-se a mercadoria.
  22. 1651 – Naufrágio da embarcação de origem inglesa Constant Reformation.
  23. 1651 - Naufrágio do São Pantaleão, Algures próximo de Ponta Delgada, ilha de São Miguel.[6]
  24. 1654 – Naufrágio na Baía da Praia da Vitória da então ainda Vila da Praia do galeão português de 600 toneladas, São Pedro de Hamburgo, que vinha do Brasil. Salvou-se parte da carga e parte da artilharia.
  25. 1663 – 1.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil, foi o maior desastre de que há registo ocorrido na Baía de Angra, por acção duma tempestade. Fora o que deu à costa, a carga perdeu-se.
  26. 1663 – 2.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil.
  27. 1663 – 3.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil.
  28. 1663 – 4.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil.
  29. 1663 – 5.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil.
  30. 1663 – 6.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil.
  31. 1663 – 7.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil.
  32. 1663 – 8.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil.
  33. 1663 – 9.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil
  34. 1663 – 10.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil.
  35. 1663 – 11.º Naufrágio de 1 navio de uma frota de 11 que provinha do Brasil. Este acontecimento provoca a interdição real da arribada em Angra.
  36. 1674 – Naufrágio de uma embarcação de origem holandesa, de 50 canhões.[7]
  37. 1690 - (26 de Março), Naufrágio sobre a amarra de uma nau destinada a Cabo Verde, carregada com sinos e cal destinados à construção de uma igreja.
  38. 1690 - A 26 de Março perde-se, a leste do Porto Judeu, uma nau-caravela portuguesa com destino a Cabo Verde, carregada de cal, morreram os seu 22 tripulantes.
  39. 1693 – Naufrágio da nau Santo Christo Caravaer, ao largo da ilha de Santa Maria.
  40. 1694 – Naufraga a cerca de 25 léguas a leste da ilha Terceira, uma fragata de nacionalidade francesa denominada La Cassandre.
  41. 1697 – 1.º naufrágio de uma frota de 4 navios carregados de trigo.
  42. 1697 – 2.º naufrágio de uma frota de 4 navios carregados de trigo.
  43. 1697 – 3.º naufrágio de uma frota de 4 navios carregados de trigo.
  44. 1697 – 4.º naufrágio de uma frota de 4 navios carregados de trigo.
  45. 1698Junho, último naufrágio documentado no século XVII, o do navio francês St. François, este acontecimento deu origem ao início do “século dos naufrágios franceses”.

século XVIII[editar | editar código-fonte]

  1. Finais do século XVI – Naufrágio de uma nau de guerra de nacionalidade inglesa não identificada, no sítio do Bairro da Ribeira, Calheta.
  2. 1702 - (10 de Dezembro), naufrágio da fragata francesa Fla Orbanne, naufraga nos baixios de Angra. Este acidente deixou informações nos livros de óbitos da freguesia da Sé, aquando da inumação dos náufragos dados à costa da cidade.[8]
  3. 28 de Novembro de 1706 - Naufrágio da embarcação de nome Sumaca, conhecida também como Balandra York, naufragada na Baía da Calheta, com uma carga de pau brasil e tabaco.
  4. 1721Dezembro, um navio francês, o Le Elisabeth, naufraga na Baía de Angra. houve náufragos que foram sepultados nos cemitérios da cidade.
  5. 1727 – Naufraga a 12 léguas da costa, à nau Rainha Santa, que provinda da Bahia, Brasil.
  6. 1750 – Naufrágio da fragata francesa Andromade, provinda de São Domingo.
  7. 1762 Afundamento pela força das armas de um navio inglês de 70 canhões, denominada HMS Malborough e proveniente de Havana.
  8. 13 de Fevereiro de 1783 – Naufrágio no meio da Baía, junto ao Porto da Calheta da Fragata de guerra inglesa de nome HMS Pallas, que se incendiou e queimou até à borda da água.

século XIX[editar | editar código-fonte]

  1. 1811 – 10 de Março, naufrágio por força de uma tempestade de uma escuna inglesa, a Mirthe que encalha no areal do Porto Novo.
  2. 1811 - 10 de Março, naufrágio por força de uma tempestade de uma escuna inglesa, a Louise na Prainha.
  3. 1811 – (4 de Dezembro) - 1.º naufrágio de uma frota de 7 navios, açoitados pelo temporal.
  4. 1811 – 4 de Dezembro - 2.º naufrágio de uma frota de 7 navios, açoitados pelo temporal.
  5. 1811 – 4 de Dezembro - 3.º naufrágio de uma frota de 7 navios, açoitados pelo temporal.
  6. 1811 – 4 de Dezembro - 4.º naufrágio de uma frota de 7 navios, açoitados pelo temporal.
  7. 1811 – 4 de Dezembro - 5.º naufrágio de uma frota de 7 navios, açoitados pelo temporal.
  8. 1811 – 4 de Dezembro - 6.º naufrágio de uma frota de 7 navios, açoitados pelo temporal.
  9. 1811 – 4 de Dezembro - 7.º naufrágio de uma frota de 7 navios, açoitados pelo temporal.[9]
  10. 1815 – (10 de Março), por força de uma tempestade encalha uma escuna inglesa, a Belle of Plymouth, no areal do Porto Novo.
  11. 1817 – Naufrágio junto da costa ao bater num recife costeiro frente à freguesia de São Mateus o barco São José do Bonfim.
  12. 1819 - A 7 de Janeiro, encalha na costa junto à freguesia de Santa Bárbara uma embarcação de cabotagem. Morrem 6 tripulantes.
  13. 18212 de Março, Naufrágio no Porto da Calheta do Brigue português de nome Conceição e Almas registado na praça de Ponta Delgada, ilha de São Miguel.
  14. 1829 - A 11 de Agosto foi afundada a tiro de canhão, dentro da Baía da Praia da Vitória, uma lancha de desembarque. Neste acontecimento morreram 120 granadeiros.
  15. 1831 - A 17 de Abril, Naufrágio de uma escuna da armada liberal que provinha da ilha do Pico.
  16. 1836 - Naufrágio junto a costa do Zimbral uma galera, tendo-se posteriormente recuperado a sua âncora.
  17. 1845Outubro, naufraga em viagem para Angra, um barco de cabotagem local com 15 pessoas a bordo.
  18. 1846 - A 8 de Março, naufrágio junto à Ponta da Queimada de uma lancha que provinha da Calheta (Açores)Calheta. Morrem 27 pessoas.
  19. 1846 - A 7 de Janeiro naufrágio da chalupa inglesa Ellen.
  20. 1849 – A 17 de Dezembro, naufrágio da escuna Sofia que embate contra na encosta sul do Monte Brasil.
  21. 1852 - A 5 de Janeiro, naufraga na Baía das Águas o brigue dinamarquês Odin.
  22. 1856 - (1 de Março), naufrágio de uma galera inglesa Europe, que encalha na Prainha.
  23. 1856 – (6 de Janeiro), naufrágio da escuna Leonor que estava acurada no Porto de Velas. Naufragou provocando a morte a todos os tripulantes.
  24. 1857 - A 14 de Novembro, naufrágio Ponta da Queimada do patacho Abrigada.
  25. 1858 – (19 de Janeiro), por acção de uma tempestade naufraga a escuna portuguesa denominada Palmira.
  26. 1858 – 19 de Janeiro, por acção de uma tempestade naufraga o patacho português (Desengano).
  27. 1858 – (23 de Janeiro), por acção de uma tempestade naufraga a escuna inglesa Daring.
  28. 1859 – (Novembro) naufrágio do patacho micaelense Falcão que embate conta os rochedos da ilha de Santa Maria.
  29. 1860 - A 7 de Setembro, naufrágio na Vila da Praia da Vitória do patacho americano Huner.
  30. 1861 – Entre 25 e 26 de Janeiro, por acção de uma tempestade naufraga a escuna Gipsy, destinada à carga da laranja que encalhada na Prainha.
  31. 1861 - Entre 25 e 26 de Janeiro, por acção de uma tempestade naufraga o patacho Micaelense, destinado à carga da laranja, barco com de 111 toneladas.
  32. 1861 - Entre 25 e 26 de Janeiro, por acção de uma tempestade naufraga o patacho Adolin Sprague, destinado à carga da laranja, com 211 toneladas.
  33. 1861 - Entre 25 e 26 de Janeiro, por acção de uma tempestade naufraga, a escuna inglesa Wave Queene, destinado à carga da laranja, com 75 toneladas.
  34. 1861 - Entre 25 e 26 de Janeiro, por acção de uma tempestade naufraga o lugre Destro Açoriano, destinado à carga da laranja, com 224 toneladas.
  35. 1862 – (10 de Maio) Naufrágio da escuna inglesa Claud, comandada pelo Capitão William.
  36. 1863 - (18 de Fevereiro), naufrágio da escuna Breeze.
  37. 1864 – (1 de Janeiro) Naufrágio do brigue alemão Johanna, da praça de Hamburgo.
  38. 1864 – (Março) naufrágio de uma embarcação desconhecida que sofre um incêndio e se afunda quase de imediato próximo da ilha de Santa Maria.
  39. 1864 – Naufrágio da escuna inglesa Gurden Rebow.
  40. 1864 – (12 de Outubro), naufrágio do brigue Washington.
  41. 1864Maio, naufrágio no Porto da Calheta da Barca francesa de nome Mont-Ferran. Tratava-se de um navio negreiro carregado com uma carga de linhaça.
  42. 1865 - Naufrágio do primeiro navio a vapor na Baía de Angra, o navio inglês Runher.
  43. 1865 - A 27 de Janeiro, naufrágio na Ponta do Negrito da escuna inglesa Clio.
  44. 1867 - (11 de Fevereiro), naufrágio da galera inglesa Ferozepore.
  45. 186726 de Janeiro, naufrágio junto da Ponta do Açougue, 400 metros a Oeste do Porto da Calheta, logo abaixo Igreja Matriz, do Brigue francês de nome Rosélie.
  46. 187026 de Dezembro, junto à Fajã da Caldeira de Cima, Ilha de São Jorge, naufraga o lugre Spindrift, embarcação de origem inglesa.
  47. 1871 – (13 de Novembro) naufraga na ilha de Santa Maria, a somente 50 metros da costa, o vapor espanhol Canárias, sofre um incêndio e se volte sobre si próprio.
  48. 1872 - (4 de Agosto), naufraga na Baía de angra o primeiro navio de origem alemã, o patacho Telegraph.
  49. 1872 - Na véspera de Natal, 1.º naufrágio causado pelo temporal, de um bote francês na Ponta do Tamão, Ribeirinha,
  50. 1872 - Na véspera de Natal, 2.º naufrágio causado pelo temporal, de um bote francês na Ponta do Tamão, Ribeirinha,
  51. 1878 - (16 de Fevereiro), o vapor Lidador de nacionalidade brasileira, encalha no Cais da Figueirinha.
  52. 1884 – (Abril) Naufrágio algures entre a ilha de São Jorge e a ilha de São Miguel, do iate União.
  53. 1888 – (29 de Janeiro) naufraga na Vila do Porto da barca norueguesa Saga, provinda da Jamaica.
  54. 18889 de Novembro, naufrágio no sítio das “Três Pedras", a 400 metros do Porto da Calheta de um falucho de nacionalidade portuguesa, de nome Amizade.
  55. 1893 - Devido a um ciclone, naufraga a embarcação Segredo dos Açores.
  56. 1896 – (10 de Setembro) Naufrágio da Mariana, algures entre a ilha Terceira e o Porto da Calheta na ilha de São Jorge. Neste naufrágio, morreram 13 pessoas.
  57. 1896 – (13 de Outubro), sob a força do “vento Carpinteiro”, naufraga o patacho Fernão de Magalhães, de 180 toneladas,
  58. 1896 – 13 de Outubro, sob a força do “vento Carpinteiro”, naufraga o lugre Príncipe da Beira, de 275 toneladas
  59. 1896 – 13 de Outubro, sob a força do “vento Carpinteiro”, naufraga o lugre Costa Pereira, de 196 toneladas.

século XX[editar | editar código-fonte]

  1. 1906 – (30 de Setembro), naufraga o iate Rio Lima, que dá à costa no baixinho do Portinho Novo.
  2. 1909 - Naufrágio do RMS Slavonia junto à ilha das Flores, navio de origem inglesa.
  3. 1911 – (26 de Junho) Naufrágio no varadouro das Cinco Ribeiras o vapor de pesca União de 227 toneladas. É ainda é possível ver a sua caldeira e restos da sua estrutura.
  4. 1912 – (8 de Fevereiro) Naufrágio a cerca de 45 milhas da ilha do Faial, do iate inglês Norma B. Strong, de 157 toneladas de arqueação e com 6 tripulantes a bordo.
  5. 1916 – (31 de Maio) Naufrágio a 30 milhas da ilha Graciosa, da chalupa francesa Saint Louis, de 320 toneladas e com um carregamento de sal destinado à Terra Nova.
  6. 1921 – (28 de Abril) Naufrágio na Baía das Águas do lugre de 405 toneladas Maria Manuela, com 11 tripulantes e comandado pelo capitão Fernando Velha.
  7. 1922 – (15 de Junho), naufrágio a 205 milhas a leste da ilha de São Miguel do lugre Santa Maria. Salvando-se os seus 15 tripulantes.
  8. 1922 – (31 de Outubro) naufrágio a 14 milhas a sul de Ponta Delgada do vapor italiano Teit, de 5396 toneladas, salvaram-se os seus 36 tripulantes.
  9. 1925 – (15 de Janeiro) naufraga a 80 milhas da ilha de São Miguel o iate Autonómico Açoreano, da praça de Ponta Delgada.
  10. 1925 – (16 de Junho) Naufrágio na Ponta de São Fernando, o lugre dinamarquês Aero, de 275 toneladas.
  11. 1927 – (23 de Setembro) naufraga o patacho Terceirense a cerca de 25 milhas da ilha Graciosa.
  12. 1928 – (3 de Outubro) naufraga a 50 milhas da ilha do Faial, o vapor alemão Maria Pinango.
  13. 1943 – Naufrágio, vítima da Segunda Guerra Mundial e do mau tempo, na Grota do Vale, de um vapor inglês, carregado de material de guerra.
  14. 1945 - (11 de Novembro) naufrágio por encalhamento na baía da Fajã do Negro, ilha de São Jorge, de um navio de reabastecimento da marinha inglesa, denominado "Irisky".
  15. 1958 – (19 de Setembro) encalha no Baixio dos Anjos, ilha de Santa Maria, o navio de cabotagem inter-insular N. M. Arnel, morrendo 13 pessoas neste incidente.
  16. 1961 – (18 de Fevereiro) encalha na Ponta do Marvão, ilha de Santa Maria, o petroleiro norueguês Velma, partindo-se posteriormente o casco em dois.
  17. 1981 – (13 de Fevereiro) naufraga o petroleiro da Sacor, João da Nova, uma embarcação com 600 toneladas de arqueação e com 50 metros de comprimento. Afunda-se entre a ilha Terceira e a ilha de São Miguel. Deste barco ainda existe uma pintura (ano 2010) no paredão do Porto de Pipas.
  18. 1996 (na noite de 25 para 26 de Dezembro) - Encalhe da embarcação Fernão de Magalhães, destinada a cabotagem inter-ilhas e destas com o continente português pela acção do temporal.[10]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Carta de Christovão Soares de Albergaria ao Archiduque Alberto, 24 de Outubro de 1591, in Archivo dos Açores, Vol. II, 1880, Ponta Delgada
  • Documentação do Arquivo General de Simancas, GA l. 326, d. 21, d. 29, d. 36, d. 44, d. 45, d. 57, d. 202, GA l.626, Consiglio de Guerra
  • BUSHNELL, G. (1936) Sir Richard Grenville, George G. Harp & Co., Ltd., London
  • EARLE, P. (1992) Sir Richard Grenville and the Revenge, Collins & Brown Limited, 1992
  • FALCÃO, A. (1981) “Do Sucesso da Armada que foi às Ilhas Terceiras no anno de 1591”, in Arquivo dos Açores, vol. VI, Instituto Cultural de Ponta Delgada, Ponta Delgada
  • LINSCHOOT, J.(1609) “Histoire de la Navigation”, Jean Evertz Cloppenburch, Amsterdam
  • MARTINEZ, R. (1988) “Las Armadas de Felipe II”, Editorial San Martin, Madrid
  • RALEIGH, W., A report of the trues of fight about the Isles of Açores, the last of August 1591, betwixt the Revenge, one of her Majesties shippes, and an Armada of the King of Spaine, Separata da Revista Insulana, Ponta Delgada
  • ROWSE, A. (1937) “Sir Richard Grenville of the Revenge”, Jonathan Cape, Londres
  • TEIXEIRA, M. (1971) A batalha da ilha das Flores - Sir Richard Grenville e o Revenge, BIHIT vol. XXV-XXVI, Angra do Heroísmo
  • TENNYSON, A., (1971) The Revenge: a ballad of the fleet in Poems and Plays, Warren, Oxford
  • WIGNALL, S. (1971) “Progress Report on the Forthcoming ‘International Marine Archaeological Expedition’ to the island of Terceira, Archipelago of the Azores” ”, BIHIT vol. XXV-XXVI, Angra do Heroísmo

Referências

  1. Relação das Naus da Índia pertencente à British Library, Códice Add. 20902.
  2. Relação das Naus da Índia pertencente à British Library, Códice Add. 20902.
  3. Manuel de Faria e Sousa, Ásia Portuguesa.
  4. a b Anais do Clube Militar Naval, Portugal.
  5. Francisco Ferreira Drummond nos Anais da Ilha Terceira.
  6. Arquivo da Alfândega de Ponta Delgada, Livro de Registo da Alfândega de Ponta Delgada, 1638-1654, fl. 546.
  7. arquivo dos Affaires Etrangères.
  8. Affaires Etrangères, B1.652, Fº 64.
  9. No Arquivo Geral da Marinha Portuguesa, encontram-se referências a estes naufrágios, a 18 de Fevereiro de 1832, do Iate Nerco e, em 1841 da escuna D. Clara.
  10. Diário Insular de 27/12/1996, ano L, n.º 15099.