Luís Cruls

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luís Cruls
Nascimento 21 de janeiro de 1848
Diest
Morte 21 de junho de 1908 (60 anos)
Paris
Nacionalidade belga
brasileiro (naturalizado)
Instituições Observatório Nacional
Campo(s) Astronomia, Geodésia

Louis Ferdinand Cruls (Diest, 21 de janeiro de 1848Paris, 21 de junho de 1908) foi um astrônomo e geodesista belga que trabalhou a maior parte de sua vida no Brasil, onde se tornou conhecido como Luís Cruls.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Henrique Morize: Os membros da Comissão Exploradora do Planalto Central, para a delimitação da área da futura Brasília, 1894. Luís Cruls é o terceiro a partir da esquerda, sentado. Fotografia tirada em 1892 em Pirenópolis, na Casa onde ficaram na Rua Direita.
Henrique Morize: Acampamento da Comissão Exploradora às margens do rio Paranaíba, 1894.

Nasceu na província do Brabante, na Bélgica, onde cursou a escola de engenharia civil da Universidade de Gante e foi admitido como aspirante de engenharia militar, alcançando em um ano os postos de primeiro e segundo tenente.

Serviu o exército belga de 1869 a 1872, do qual pediu demissão em 1874 para embarcar na viagem inaugural do paquete "Orénoque" rumo ao Brasil. Foi membro da Comissão dos Trabalhos Geodésicos no Município Neutro de 1874 a 1876.[1]

Uma cratera de Marte foi batizada em sua honra.

Em 1875 publicou em Gante um trabalho sobre métodos de repetição e reiteração para leitura de ângulos, o que lhe credenciou a ser admitido como adjunto no Observatório Imperial do Rio de Janeiro. Estudou o planeta Marte e, em 1882, observou o trânsito de Vênus na cidade chilena de Punta Arenas. Em 1877, publicou um estudo sobre a organização da Carta Geográfica e da História Física e Política do Brasil.

Em 1881 aceitou o cargo de diretor do Observatório Astronômico do Rio de Janeiro.

Em 1892 foi-lhe cometida a incumbência da exploração do Planalto Central do Brasil e chefiou uma equipe de cientistas[2] que estudou a orologia, condições climáticas e higiênicas, natureza do terreno, qualidade e quantidade de água etc. da área do Planalto Central, onde seria construída a capital Brasília, em 1960.[1]

Entre 1899 até 1902, Luís Cruls foi professor do Ginásio Fluminense, instituto oficial de ensino criado pelo governador Maurício de Abreu em Petrópolis quando esta cidade era a capital estadual do Rio de Janeiro.[3]

Bibliografia científica[editar | editar código-fonte]

Ao longo de sua carreira publicou diversos trabalhos científicos, entre os quais se destacam: [1]

  • Projet d'humation par l'incrustation des corps das des pierres artificieles. Gante, 1875
  • Discussion sur les methodes de répétition et de réitération employées en géodesie pour la mesure des angles. Gante, 1875
  • Les travaux de la mesure dún arc de méridien au Brásil, sous la direction de M. Em. Liais, directeur de l'Observatoire Impériel de Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, setembro de 1878.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Planalto Central do Brasil-Coleção Documentos Brasileiros-Livraria José Olympio Editora-1957
  2. Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil. (1893). Relatório parcial apresentado ao Ministro da indústria, viação e obras públicas (PDF). Rio de Janeiro: H. Lombaerts 
  3. José Kopke Fróes (25 de janeiro de 1996). «Petropolis capital do Estado». Instituto Histórico de Petrópolis. Consultado em 23 de dezembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Luís Cruls


Ícone de esboço Este artigo sobre um astrônomo/astrónomo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.