Mário Basto Wagner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Mário Basto Wagner (Porto, Cedofeita, 12 de Outubro de 1885/1887 - Lisboa, 28 de Maio de 1922/1935) foi um físico, químico, professor catedrático, cientista de renome e académico português.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de Leopoldo Manillius Wagner, filho de pai Alemão e de mãe Judia Asquenaze Alemã, e de sua mulher Virgínia de Oliveira Basto.[2]

Com as mais altas classificações, tirou as Licenciaturas e doutorou-se em Ciências Físico-Químicas e em Filosofia na Faculdade de Ciências da Universidade de Leipzig.[1]

Foi Professor Catedrático da Cadeira de Física e de Química da Escola Politécnica de Lisboa.[1]

Publicou numerosos e interessantes trabalhos científicos da sua especialidade.[1]

Foi o Professor, em Portugal, dos estudos acerca do algodão extraído da madeira, como matéria-prima.[1]

Foi Sócio Correspondente das principais Academias Científicas do Mundo, entre elas a Academia de Ciências da Prússia, de Berlim, a Real Academia Espanhola, de Madrid, a Academia Francesa, de Paris, e a Academia das Ciências de Lisboa.[1]

Faleceu solteiro e sem geração.[2]

Referências

  1. a b c d e f Vários. Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. [S.l.]: Editorial Enciclopédia, L.da. pp. Volume 36. 755 
  2. a b c «Mário Basto Wagner». Consultado em 29 de Novembro de 2015