Mércio Pereira Gomes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade. (desde março de 2015)
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ex-presidente da Funai Mércio Pereira Gomes depõe na CPI da Funai e do Incra (Valter Campanato/Agência Brasil)

Mércio Pereira Gomes (Currais Novos, 10 de novembro de 1950) é um antropólogo brasileiro, o primeiro a conceber e escrever sobre a sobrevivência dos povos indígenas no Brasil.

Seu primeiro livro, Os Índios e o Brasil (Petrópolis, Vozes, 1988; 2ª edição, 1991; edição americana, The Indians and Brazil, Gainesville, FL.: University Presses of Florida, 2000) demonstrou que os povos indígenas que sobreviveram até a década de 1950, mesmo em pequenas sociedades, estavam revertendo a curva demográfica decrescente e começavam a experimentar um verdadeiro e sustentável crescimento populacional.

Mércio Pereira Gomes é professor de Antropologia, com doutorado pela Universidade da Florida (EUA). Leciona na Universidade Federal Fluminense, em Niterói, tendo ensinado também nas universidades Federal do Rio Grande do Norte, Unicamp, Estadual do Rio de Janeiro e Macalester College (EUA). Deu palestras em diversas outras universidades e instituições, entre as quais Universidade de Oxford, London School of Economics, Universidade da Florida e no Instituto Latino-Americano de Berlin, Alemanha.

Ainda como administrador público, Gomes trabalhou com o antropólogo, político e educador Darcy Ribeiro, de quem foi subsecretário de Planejamento da Secretaria Especial de Projetos e Educação, no governo do Rio de Janeiro (1990-1994), tendo ajudado a planejar e construir os famosos Centros Integrados de Educação Pública (Ciep).

Por conta de seu trabalho como antropólogo foi convidado para ser presidente da Funai pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (setembro de 2003 a março de 2007). Nesse papel Gomes ajudou a realizar a homologação de 66 novas terras indígenas, inclusive a controvertida e problemática Terra Indígena Raposa Serra do Sol, que somam uma totalidade de 11 milhões de hectares, aumentando o percentual de terras indígenas em proporção ao território brasileiro em dois pontos. Por compará-lo a "fazendeiros, grileiros, garimpeiros e madeireiros", o grande sertanista Sydney Possuelo foi demitido da Funai, em 2006. Ao final de sua administração na Funai, a mais longa desde a democratização do Brasil, ficaram em processo de demarcação mais de 50 novas terras, inclusive a Terra Indígena Trombetas-Mapuera, entre os estados do Amazonas, Pará e Roraima, que soma quatro milhões de hectares.

Entre suas principais publicações destacam-se O Índio na História. Os Tenetehara em busca da liberdade (Petrópolis, Vozes, 2002) e A Vision from the South. How wealth degrades the enviroment (Leiden, Van Arkel, 1992), este último resultado de uma pesquisa sobre os holandeses e seu meio-ambiente.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.