Marco Martins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Marco Martins
Nascimento 1972 (46 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal Portugal
Ocupação Cineasta
Atividade 1994–presente
Prémios Sophia
Sophia de Melhor Filme

Prémio Sophia.png 2018 São Jorge

Sophia de Melhor Realizador

Prémio Sophia.png 2018 São Jorge

Globos de Ouro
Melhor Filme

Globo de Ouro.png 2006 Alice

Globo de Ouro.png 2018 São Jorge

IMDb: (inglês)

Marco Martins (Lisboa, 1972) é um cineasta português.

Formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema do Instituto Politécnico de Lisboa em 1994, estagia na área de produção com os realizadores Wim Wenders, Manoel de Oliveira e Bertrand Tavernier. Durante dois anos é assistente de realização de João Canijo.

Entre 1994 e 1998 escreve e realiza as curtas metragens Mergulho no Ano Novo (prémio de Melhor Curta-metragem Nacional no Festival Internacional de Curtas-Metragens de Vila do Conde), No Caminho Para a Escola (prémios Melhor Curta-metragem e Melhor Realizador no VII Festival Ibérico de Cinema de Badajoz e Prémio Eixo Atlântico no Festival de Ourense).

Realiza igualmente vários filmes publicitários e, em 2002, funda a sua própria produtora de publicidade, a Ministério dos Filmes, distinguida com vários prémios internacionais.

Em 2005, a sua primeira longa-metragem, Alice, estreada no Festival de Cannes desse ano, é o filme português escolhido para candidato a candidato ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Tal como Teresa Villaverde, Pedro Costa, Joaquim Sapinho, João Pedro Rodrigues, Manuel Mozos, entre outros, pertence à primeira leva de cineastas formados pela Escola Superior de Teatro e Cinema que desenvolve a sua actividade nos anos noventa e que, regra geral, se empenha em criar filmes de autor. Estes novos cineastas serão beneficiados, em relação à geração precedente, pelos regulamentos estatais de apoio às primeiras obras e pelos critérios que permitem continuidade na atribuição desses subsídios.

Em 2018, estreia-se como realizador de uma série de televisão com a série Sara, com ideia original de Bruno Nogueira e transmitida na RTP2. Curiosamente, foi também com Sara que Beatriz Batarda, atriz maioritariamente de cinema e mulher de Bruno Nogueira, estreou-se como atriz de série de televisão em Portugal.[1]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • 2016 - São Jorge
  • 2011 - Traces of a Diary (documentário)
  • 2010 - Insert (curta-metragem)
  • 2010 - Como Desenhar um Círculo Perfeito
  • 2006 - Um Ano Mais Longo (curta-metragem)
  • 2005 - Alice
  • 1998 - No Caminho para a Escola (curta-metragem)
  • 1996 - Clockwise (curta-metragem)
  • 1995 - Não Basta Ser Cruel (curta-metragem)
  • 1992 - Mergulho no Ano Novo (curta-metragem)

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • DN Online - Marco Martins nos Prémios Europeus

Referências

  1. Manuel Halpern (4 de outubro de 2018). «"Sara", a nova série na RTP2, vem para revolucionar a ficção portuguesa». Visão. Consultado em 5 de outubro de 2018.