Margarida de Médici

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Margarida de Médici
Duquesa de Parma e Placência
Regente de Parma e Placência
Margarida de Médici, por Justus Sustermans
Consorte Eduardo I Farnésio
Casa Médici
Farnésio
Nascimento 31 de maio de 1612
Palácio Pitti, Florença
Morte 6 de fevereiro de 1679 (66 anos)
Parma
Filho(s) Catarina Farnésio
Rainúncio II Farnésio
Alexandre Farnésio
Horácio Farnésio
Catarina Farnésio
Pedro Farnésio
Maria Madalena Farnésio
Ottavio Farnésio
Pai Cosme II de Médici
Mãe Maria Madalena de Áustria

Margarida de Médici (em italiano: Margherita de' Medici; 31 de maio de 16126 de fevereiro de 1679), foi duquesa de Parma e Placência pelo seu casamento com Eduardo Farnésio, Duque de Parma. Margarida foi regente de Placência em 1635 e regente de todo o ducado em 1646 após a morte do seu marido.

Familia[editar | editar código-fonte]

Ela foi a quarta de oito filhos e a segunda filha de Cosme II de Médici, Grão-Duque da Toscana e da sua esposa Maria Madalena de Áustria.

Os irmãos de Margarida eram: Fernando II de Médici, Grão-Duque da Toscana, o Cardeal João Carlos de Médici, o cardeal Leopoldo de Médici, e Ana de Médici, esposa de Fernando Carlos, arquiduque da Áustria. Os outros irmãos de Margarida morreram na infância ou no início da idade adulta .

Os Seus avós paternos eram Fernando I de Médici, e a sua esposa Cristina de Lorena. Fernando era filho de Cosme I de Médici, e da sua primeira esposa Eleonora de Toledo. Os avós maternos de Margarida foram Carlos II, arquiduque da Áustria e sua esposa Maria Ana de Baviera. Maria Ana era a filha mais velha de Alberto V, Duque da Baviera e da sua esposa Ana de Habsburgo, arquiduquesa de Áustria. Ana era filha de Fernando I de Habsburgo, Sacro Imperador Romano e da sua esposa Ana Jagelão. Por isso Margarida é descendente de Imperadores do Sacro Império romano. [1]

Vida[editar | editar código-fonte]

upright=0,8

Margarida foi prometida a Eduardo Farnésio, em 1620. Eles casaram-se em 1628 quando ele atingiu a maioridade. O casamento tinha sido fortemente desejado pelo pai de Eduardo, Rainúncio I, que o via como um meio de reforçar a aliança entre o Ducado de Parma e o Grão-Ducado da Toscana, então governado pela família Médici .

O casamento aconteceu em Florença, a 11 de Outubro de 1628. As celebrações do casamento foram acompanhadas por muitos espectáculos e cortejos, incluindo o desempenho da ópera La Flora de Marco da Gagliano, composta especialmente para a ocasião. Para acolher o casal no regresso a Parma, cantou-se Mercúrio e Marte, com música de Claudio Monteverdi e texto de Claudio Achillini no Teatro Farnésio.

Os anos em que o casal governou Parma, foram marcados pela peste de 1630, e pelo contraste entre o esplendor da corte e a carga fiscal que tinham implementado aos seus súbditos. O dinheiro dos impostos foi usado para melhorar os exércitos de Eduardo. O duque também teve uma política pró- francesa.

De acordo com as fontes e testemunhas da época, Margarida era uma mulher bonita, bem como amável e bem educada. Ao contrário dos seus antecessores, o duque era muito dedicado e leal a ela e nunca houve quaisquer relatos que mencionassem que Eduardo tivesse filhos ilegítimos.

A 11 de Setembro de 1646, Eduardo morreu. O seu filho mais velho, Rainúncio II ainda não tinha idade suficiente para governar o Ducado sozinho, e a sua mãe, Margarida foi nomeada regente até que seu filho tivesse idade suficiente para governar sozinho. 

Margarida sobreviveu após a morte de pelo menos dois dos seus filhos. Ela morreu em Parma a 06 de Fevereiro de 1679. [1]

Filhos[editar | editar código-fonte]

  1. Catarina Farnésio (2 de outubro de 1629), morreu ao nascer.
  2. Rainúncio II Farnésio (17 de setembro de 1630 – 11 de dezembro de 1694) Casou com (1) Margarida Iolanda de Saboia, (2) Isabel d'Este, (3) Maria d'Este.
  3. Alexandre Farnésio (10 de janeiro de 1635 – 18 de fevereiro de 1689), Governador dos Países Baixos. Morreu sem casar.
  4. Horácio Farnésio (24 de janeiro de 1636 – 2 de novembro de 1656) Morreu sem casar.
  5. Catarina Farnésio (3 de setembro de 1637 – 24 de abril de 1684) Foi uma freira[2]
  6. Maria Madalena Farnésio (15 de julho de 1638 – 11 de março de 1693) Morreu sem casar.
  7. Pedro Farnésio (4 de abril de 1639 – 4 de março de 1677) Morreu sem casar.
  8. Otávio Farnésio (5 de janeiro de 1641 – 4 de agosto de 1641) Morreu na infância.[1][2]

Títulos, estilos, honras e armas[editar | editar código-fonte]

Títulos e estilos[editar | editar código-fonte]

  • 31 de maio de 1612 - 11 de outubro de 1628: "Sua Alteza, Margarida de Médici"
  • 11 de outubro de 1628 - 11 de setembro de 1646: "Sua Alteza, a Duquesa de Parma e Placência"
  • 11 de setembro de 1646 - 6 de fevereiro de 1679: "Sua Alteza a Duquesa viúva de Parma e Placência"

Referências

  1. a b c «Margherita de 'Medici,» 
  2. a b Dario Busolini, «FARNESE, Caterina (in religione Teresa Margherita dell'Incarnazione) », Dizionario Biografico degli Italiani, Vol. 45, Istituto dell'Enciclopedia italiana Treccani
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Margarida de Médici