Maria José Estanco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Maria José Estanco
Nascimento 23 de março de 1905
Loulé
Morte 30 de agosto de 1999
Lisboa
Nacionalidade Portugal portuguesa
Ocupação arquitecta
Prémios Distinção de Honra do MDM 1992

Maria José Brito Estanco Machado da Luz, conhecida como Maria José Estanco, foi a primeira arquitecta graduada em Portugal. Nasceu em Loulé, a 26 de Março de 1905, e faleceu a 30 de Agosto de 1999, em Lisboa. Teve uma vida intensa dedicada ao ensino, foi uma pacifista, defensora dos direitos das mulheres e membro do Movimento Democrático de Mulheres.[1]

Percurso[editar | editar código-fonte]

Maria José Estanco, filha Maria da Conceição de Brito Estanco e de Joaquim Francisco do Estanco, nasceu na freguesia de São Clemente, no conselho de Loulé, no Algarve.[1][2]

O percurso académico de Maria José Estanco começou com o ingresso na formação para ser professora liceal e depois entrou para o curso de Pintura da Escola de Belas Artes de Lisboa. Posteriormente, trocaria Pintura por Arquitectura.[3][2]

Quando Maria José Estanco tem 21 anos, faz uma viagem, com a sua mãe, para o Brasil. Aqui vai assistir ao nascimento de Marília, uma nova cidade no interior do Estado de São Paulo. Quando regressa a Lisboa abandona o curso de Pintura e ingressa em Arquitectura, sendo a única mulher numa turma de homens.[2][4][3]

A 12 de Abril de 1930, casa com o pintor neo-realista Raimundo Machado da Luz (1903-1985).[2][1] A 26 de Abril de 1942, nasceu Manuel José Estanco Machado da Luz, único filho do casal e que viria também a ser arquitecto, cineclubista e crítico de cinema.[5][6] Manuel Machado da Luz falecerá a 12 de Setembro de 1997 e Maria José Estanco ficará emocionalmente muito abalada a partir daí e até à sua morte, em 1997.[2][6]

Maria José Estanco termina a parte curricular do curso de Arquitectura em 1935 e apresenta e defende, em 1942, o seu projecto para "Um Jardim-Escola no Algarve" para o Concurso para Obtenção do Diploma de Arquitecto (CODA) e torna-se a primeira mulher portuguesa a ter um diploma de arquitecto, obtendo 16 valores. [2][1][3] O jornal O Século publicou, a 28 de Junho de 1943, a notícia: “A primeira arquitecta portuguesa defendeu a tese na Escola de Belas Artes e foi aprovada".[5] Em 1945, a revista Arquitectura Portuguesa e Cerâmica e Edificação publica o seu projecto, com direito a chamada de capa e descrição pormenorizada no seu interior.[7]

Apesar do percurso académico relevante, chegando a ganhar o prémio de Melhor Aluno de Arquitectura, em 1942, Maria José Estanco nunca conseguiu trabalhar em ateliês de arquitectura ou em câmaras municipais. Acabou por dedicar a sua vida ao ensino em diversas escolas e liceus, tendo sido professora dos liceus D. Filipa de Lencastre, Maria Amélia Vaz de Carvalho, Passos Manuel e no Instituto de Odivelas. Deu igualmente aulas de desenho e pintura, a título gratuito a reclusos do Estabelecimento Prisional de Linhó. [8][1]

A cidade de Lisboa tem, desde 2009, uma rua com o seu nome, a Rua Maria José Estanco, entre a Azinhaga da Torre do Fato e a Rua Prista Monteiro, na freguesia de Carnide.[9]

Reconhecimento e Prémios[editar | editar código-fonte]

Obra[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f «Maria José Estanco – a primeira mulher arquiteta portuguesa, algarvia e louletana». Arquivo Distrital de Faro. 2 de Março de 2018. Consultado em 22 de Junho de 2020 
  2. a b c d e f g h «Maria José Estanco - Mulheres de Abril». MDM - Movimento Democrático de Mulheres. Consultado em 22 de junho de 2020 
  3. a b c Roxo, Joana (1 de junho de 2017). «"A Senhora Arquitecto": Maria José Estanco». Arqa - Arquitectura e Arte Contemporânesas - Portuguese Contemporary Architecture and Art Magazine. Consultado em 22 de junho de 2020 
  4. Pedrosa, Patrícia Santos (2013). «Maria José Estanco». Le Dictionnaire Universel des Créatrices. Paris: des femme. p. 1457 
  5. a b c Roxo, Joana (2016). A senhora arquiteto - Maria José Estanco. A cidade, o Porto e a arte : residências artísticas em Sines. Lisboa: ISCTE 
  6. a b «Colóquio de Homenagem a Manuel Machado da Luz». ABC Cineclube. 6 de Outubro de 2007. Consultado em 23 de Junho de 2020 
  7. Estanco, Maria José (Março de 1945). «Um jardim-escola no Algarve». Arquitectura Portuguesa e Cerâmica e Edificação (120) 
  8. Pinto, Mariana Correia (8 de outubro de 2017). «Mulheres na Arquitectura: um colectivo para combater a invisibilidade delas na profissão». Público. Consultado em 22 de junho de 2020 
  9. «A Rua da 1ª licenciada em arquitetura em Portugal». Toponímia de Lisboa. 27 de Março de 2015. Consultado em 23 de Junho de 2020