Marinha Grande

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marinha Grande
Brasão de Marinha Grande Bandeira de Marinha Grande
Brasão Bandeira
Localização de Marinha Grande
Gentílico Marinhense
Área 187,25 km2
População 38 681 hab. (2011)
Densidade populacional 206,57 hab./km2
N.º de freguesias 3
Presidente da
Câmara Municipal
Álvaro Pereira (PS)
Fundação do município
(ou foral)
1836
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Pinhal Litoral
Distrito Leiria
Antiga província Estremadura
Orago Nossa Senhora do Rosário
Feriado municipal Quinta-feira de Ascensão
Código postal 2430 Marinha Grande
Sítio oficial www.cm-mgrande.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Marinha Grande é uma cidade portuguesa no distrito de Leiria, região Centro e sub-região do Pinhal Litoral, com cerca de 10 500 habitantes.[1]

É sede de um município com 187,25 km² de área[2] e 38 681 habitantes (2011),[3] [4] subdividido em 3 freguesias.[5] O município é limitado a norte e leste pelo município de Leiria, a sul por Alcobaça e a oeste tem litoral no oceano Atlântico.

Desde o princípio do século até à década de 90, a evolução demográfica da Marinha Grande tem sido positiva. Nos últimos anos, tem apresentado taxas de crescimento superiores à sua área envolvente[carece de fontes?], tomando como referência o distrito de Leiria ou o Pinhal Litoral. O desenvolvimento do sector industrial na Marinha Grande, está na base de tal crescimento populacional.

Aquando do Recenseamento da População em 1991, a freguesia da cidade da Marinha Grande possuía 26 628 habitantes, sendo 13 000 homens e 13 628 mulheres.

De acordo com os censos preliminares, referentes a 2001, a freguesia da Marinha Grande, registou um aumento populacional na ordem dos 6,4%, contando a mesma com um total de 28 329 habitantes. A superioridade numérica do sexo feminino mantém-se, tendo em conta que foram contabilizados 13 842 homens e 14 487 mulheres. Há a registar, desde a realização do último recenseamento, um aumento quer da população masculina, quer da população feminina.

População[editar | editar código-fonte]

Número de habitantes [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
6 055 7 469 8 606 9 611 10 677 10 995 11 888 14 708 17 663 20 483 23 449 31 284 32 234 35 571 38 681

(Obs.: Número de habitantes "residentes", ou seja, que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Número de habitantes por Grupo Etário [7]
1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 3 644 4 262 4 886 5 166 6 031 6 515 7 994 6 147 5 253 5 802
15-24 Anos 2 037 2 438 2 727 3 504 3 318 3 780 5 043 5 589 4 779 3 747
25-64 Anos 4 086 4 776 5 909 7 797 9 929 11 305 15 548 18 010 20 072 21 972
= ou > 65 Anos 572 765 927 1 021 1 205 1 750 2 699 3 797 5 467 7 160
> Id. desconh 130 17 33

(Obs: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população "de facto", ou seja, que estava presente no concelho à data em que os censos se realizaram. Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente)

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho da Marinha Grande.

O concelho da Marinha Grande está dividido em 3 freguesias:

Localização[editar | editar código-fonte]

A Marinha Grande é um concelho litoral, entre as cidades de Lisboa (120 km) e Porto (180 km). Pertence ao distrito de Leiria (a 15 km).

A Norte e Este faz fronteira com o concelho de Leiria, a Sul com o de Alcobaça e a Oeste com o Oceano Atlântico.

Próximo da cidade é possível visitar a Praia da Nazaré, Mosteiro de Alcobaça, Castelo de Leiria, Mosteiro da Batalha, Castelo de Porto de Mós, Castelo de Ourém e Castelo de Pombal.

Heráldica[editar | editar código-fonte]

Em 28 de janeiro de 1921 foi apresentada a primeira proposta para as Armas, Bandeira e Selo da Marinha Grande, à Associação dos Arqueólogos Portugueses. A proposta foi objeto de diversas alterações segundo as regras oficiais da época, vindo ainda a ser modificada pela Comissão Heráldica em 20 de novembro de 1934. A simbologia, da então vila, ficou com o seguinte teor:

Armas[editar | editar código-fonte]

De vermelho, com um pinheiro de ouro frutado de verde, sustido de negro realçado de ouro, saínte de contrachefe de dunas de areia de prata, o tronco do pinheiro acompanhado de duas vieiras de ouro. Coroa mural de prata com quatro torres. Listel branco com os dizeres a negro “ Vila da Marinha Grande”.

O vermelho do campo indica heraldicamente a força, o vigor, a atividade, enfim a constante energia. 

O pinheiro, o realce do seu tronco e as vieiras são de ouro por este ser o metal mais rico e que significa poder e liberdade. 

O frutado de verde é associado à firmeza e honestidade. 

As dunas de areia de prata esmalte denotam humildade e riqueza.

Bandeira [editar | editar código-fonte]

Foi desenhada pelo marinhense João de Magalhães Júnior logo após a restauração do concelho. Esquartelada de amarelo e negro, cordões e borlas de ouro e negro. Haste e lança de ouro.

Girondada de oito peças de amarelo e negro. Cordão e borlas de ouro. Haste e lança de ouro.[8]

Selo[editar | editar código-fonte]

Circular, tendo ao centro as peças de armas sem indicação aos esmaltes. Em volta dentro dos círculos concêntricos os dizeres  “Câmara Municipal da Marinha Grande”.

A simbologia inicial sofreu alterações ao longo dos anos, de acordo com as legislações vigentes nas respetivas épocas, bem como na altura de elevação a cidade em 11 de Março de 1988. A última transformação e atual definição, efetuou-se a 21 de Junho de 1996. Passando a simbologia da Cidade a ser representada da seguinte forma:

Nos termos da Lei, com a legenda: “ Câmara Municipal da Marinha Grande”.

Brasão[editar | editar código-fonte]

Escudo de vermelho, com um pinheiro frutado de verde e troncado de negro, saínte de contra-chefe de dunas de areia, de ouro, acompanhado de duas vieiras do mesmo. Coroa mural de prata com cinco torres. Listel branco com a legenda a negro, em maiúsculas “MARINHA GRANDE”.

História[editar | editar código-fonte]

A Marinha Grande é uma ocupação humana recente, se comparada com cidades vizinhas como Leiria e Alcobaça; ela nasce com a iniciativa industrial de Guilherme Stephens, patrocinada pelo Marquês de Pombal, que associou a abundância de madeira e areia para aqui criar a indústria vidreira de que fez a força da vila - e que, mais tarde, veio a dar origem à indústria de plásticos e moldes. É datado de 1776 o marco de pedra, que hoje pode ser visitado no Museu do Vidro, com a inscrição: "Por ordem de Sua Majestade todas as lenhas do Pinhal que estão em huma légua o redor deste marco pertencem à Fábrica de Vidros"[9] .

Nascida com a Revolução Industrial, a Marinha Grande foi um dos grandes pólos dos movimentos políticos associados à emancipação do proletariado. O símbolo maior desta posição socio-política é o facto de a Marinha Grande ter tomado a dianteira na revolta de 18 de Janeiro de 1934 contra a II República, tendo sido aqui que as forças leais ao governo de Salazar encontraram maior oposição.[10]

A Marinha Grande foi elevada a cidade em 11 de Março de 1988.[11]

Actualmente, e apesar dos receios surgidos na viragem do século com a falência de muitas PME do sector dos moldes face à concorrência de países emergentes como o México ou a China, as empresas marinhenses têm conseguido adaptar-se às exigências da globalização. A "Marinha" (como é localmente designada, de modo informal) é, juntamente com Oliveira de Azeméis, o motor da indústria de moldes nacional.[12]

Cultura[editar | editar código-fonte]

A ocupação relativamente recente, torna a Marinha uma cidade sem muita história. Na cidade é possível visitar o Museu do Vidro (no Palácio Stephens), inaugurado em dezembro de 1998, que contem peças artesanais em vidro e funciona como museu municipal, o Museu Joaquim Correia, com esculturas privadas do artista que dá nome ao museu[13] , a Casa-Museu 18 de Janeiro de 1934 e Museu do Molde, no Edifício da Resinagem.

Tal como outros municípios da região turística Leiria-Fátima, a vertente turística da Marinha Grande é voltada principalmente para o turismo balnear, nas praias de São Pedro de Moel e Praia da Vieira, havendo turistas estrangeiros que procuram estas praias para férias em Portugal.

A Praia da Vieira é ainda um dos poucos locais em Portugal onde é possível assistir à pesca através da Arte Xávega.[14]

Recentemente, a Câmara Municipal tomou a iniciativa de organizar as Festas da Cidades[15] , a decorrer no primeiro fim de semana de Junho, que conta com tasquinhas e artistas de reconhecimento nacional, e move mais de 25.000 pessoas. No fim de semana seguinte são organizadas na cidade as Marchas de Santo António, em honra ao santo padroeiro da cidade.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia da Marinha Grande é principalmente baseada no sector secundário (industria).

O contexto histórico da cidade assenta na Indústria Vidreira, que foi o principal motor financeiro do concelho e continua a ser um dos principais, com a existência de várias fábricas de produção de objectos em vidro, como garrafas, copos e peças de decoração.

Nos últimos 50 anos começou a desenvolver-se na cidade a indústria de moldes para plásticos, desenvolvendo bastante a cidade. Hoje em dia, a Marinha Grande tem centenas de empresas de apoio ao fabrico de moldes e produção de plásticos, que inicialmente eram principalmente para o ramo automóvel, mas actualmente já saem da Marinha Grande plásticos para todas as aplicações.

Embora no Verão a Marinha Grande seja procurada para o turismo balnear, o sector terciário (que inclui turismo) não representa um marco económico comparado à indústria.

O sector primário (agricultura, pecuária e pescas) não é muito explorado na Marinha Grande. A maioria das produções agrícolas é exclusivamente para consumo próprio. Na Praia da Vieira, ainda existe a pesca por Arte Xávega, com venda ao público, mas não representa um marco económico da Marinha Grande.

Política[editar | editar código-fonte]

Eleições autárquicas[editar | editar código-fonte]

Câmara Municipal[editar | editar código-fonte]

Partido % M % M % M % M % M % M % M % M % M % M % M
1976 1979 1982 1985 1989 1993 1997 2001 2005 2009 2013
PS 42,4 4 29,6 2 28,3 2 34,7 3 36,3 3 40,9 3 44,1 4 38,2 3 36,4 3 36,1 3 29,9 2
FEPU/APU/CDU 38,7 3 46,3 4 47,9 4 52,0 4 44,1 3 39,8 3 34,8 3 36,1 3 38,7 3 31,4 3 24,8 2
PPD/PSD 10,5 19,4 1 15,0 1 16,0 1 11,7 1 10,8 15,3 1 11,5 1 17,7 1 10,6 1
IND 5,8 12,0 1
11,0 1

Infraestruturas[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Rodoviários[editar | editar código-fonte]

A Marinha Grande tem uma rodoviária onde param autocarros da Rodoviária do Tejo e da Rede Nacional de Expressos. Estas carreiras ligam a cidade com as localidades vizinhas e com as principais cidades do país, incluindo ligações horárias para Lisboa e frequentes para o Porto.

Existe na cidade a empresa de transportes urbanos TUMG (Transportes Urbanos da Marinha Grande)[16] que assegura conexões regulares dentro da cidade e ainda a Radio Táxis Marinhense, que garante serviço de Táxis.

Ferroviários[editar | editar código-fonte]

A Estação Ferroviária da Marinha Grande assegura a conexão com a Linha do Oeste (Lisboa - Figueira da Foz - Coimbra).

Autoestradas e Vias Principais[editar | editar código-fonte]

A Marinha Grande é muito bem servida a nível de autoestradas: tem duas entradas para a A8 (Leiria - Lisboa) e é também servida pela A17 (Marinha Grande - Aveiro), que termina na A29 (Aveiro - Porto, pela Ponte da Arrábida).

Saúde[editar | editar código-fonte]

A Marinha Grande tem um Centro de Saúde que garante assistência médica permanente e várias clínicas privadas.

Existe ainda Extensão de Saúde nas localidades da Moita, Vieira de Leiria e Garcia.

Educação[editar | editar código-fonte]

Para além de uma quantidade significativa de Jardins de Infância e Escolas Básicas de 1º Ciclo, a Marinha Grande conta com escolas que garantem o ensino em todos os níveis.[17]

Ensino Básico:

  • Escola Professor Alberto Nery Capucho (2º / 3º Ciclos)
  • Escola Guilherme Stephens (2º / 3º Ciclos)
  • Escola Padre Franklim (2º Ciclo), na freguesia de Vieira de Leiria

Ensino Secundário:

  • Escola Secundária Calazans Duarte (3º Ciclo / Secundário)
  • Escola Secundária Pinhal do Rei (3º Ciclo / Secundário)
  • Escola Secundária José Loureiro Botas (3º Ciclo / Secundário)

Ensino Superior (privado):

  • Instituto Superior D. Dinis (Grupo Lusófona)

Ensino Profissional (privado):

  • Escola Profissional e Artística da Marinha Grande (Grupo GPS)

Ensino em Língua Estrangeira (privado):

  • Colégio Luso-Internacional do Centro

Património[editar | editar código-fonte]

  1. INE (2013). Anuário Estatístico da Região Centro 2012 (Lisboa: Instituto Nacional de Estatística). p. 32. ISBN 978-989-25-0217-5. ISSN 0872-5055. Consultado em 05/05/2014. 
  2. Instituto Geográfico Português (2013). «Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013» (XLS-ZIP). Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Consultado em 28/11/2013. 
  3. INE (2012). Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Centro (Lisboa: Instituto Nacional de Estatística). p. 100. ISBN 978-989-25-0184-0. ISSN 0872-6493. Consultado em 27/07/2013. 
  4. INE (2012). «Quadros de apuramento por freguesia» (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_CENTRO". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 27/07/2013. 
  5. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  7. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros
  8. «Portal da Marinha Grande / Bandeira, Brasão e Armas». www.cm-mgrande.pt. Consultado em 2016-05-15. 
  9. http://ww2.cm-mgrande.pt/Site/Frontoffice/default.aspx?module=Article/Article&ID=213
  10. http://www.omilitante.pcp.pt/pt/298/Efemeride/296/18-de-Janeiro-de-1934---Uma-data-hist%C3%B3rica-a-n%C3%A3o-esquecer.htm
  11. http://mgrande.com/mg/histria/elevacao-a-cidade/
  12. http://www.cefamol.pt/cefamol/pt/Cefamol_IndustriaMoldes/Historia
  13. «www.portugalsemfim.com - Marinha Grande - Museus - MARINHA GRANDE - Marinha Grande - . - - - - - - Distrito de Leiria - Portugal». www.portugalsemfim.com. Consultado em 2016-05-12. 
  14. «"Continuo a acreditar que o que faz falta é animar a malta"». Jornal de Leiria. Consultado em 2016-05-11. 
  15. «Portal da Marinha Grande / Festas da Cidade 2016 . Concerto de Cuca Roseta». www.cm-mgrande.pt. Consultado em 2016-05-11. 
  16. «TUMG». TUMG. Consultado em 2016-05-11. 
  17. «Portal da Marinha Grande / Escolas». www.cm-mgrande.pt. Consultado em 2016-05-12.