Lenita Gentil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde dezembro de 2018) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Lenita Gentil
Informação geral
Nome completo Maria Helena Gentil do Carmo
Nascimento 6 de agosto de 1948 (70 anos)
Local de nascimento Marinha Grande
Nacionalidade portuguesa
Género(s) fado, música ligeira
Instrumento(s) Vocal
Editora(s) Alvorada, Ovação, Movieplay, EMI
Prémios Prémio da Imprensa (1968) Cançonetista

Maria Helena Gentil do Carmo mais conhecida por Lenita Gentil (Marinha Grande, 6 de agosto de 1948) é uma cantora fadista portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Maria Helena Gentil do Carmo[1] nasceu a 6 de agosto de 1948 na Marinha Grande (distrito de Leiria).[2]

Lenita começou a cantar em público com 5 anos.[3]

Com 16 anos estreou-se aos microfones dos Emissores do Norte Reunidos, do Porto.[2]

Do seu currículo, fazem parte diversas passagens por festivais de música nacionais e internacionais. No conhecido Festival da Canção da Figueira da Foz participou na edição de 1967, cuja vencedora foi Tonicha com o tema "A tua canção avozinha". Fica em 2.º lugar no Festival da Canção da Costa Verde (Espinho), com "Quando o Sol Descobre".

Participou no Festival de Aranda del Duero em 1969 e 1970.[2] Em 1970 concorreu a um Festival do México. Participou no Festival RTP da Canção em 1971 e num Festival da Roménia.[2]

Lenita Gentil também pisou os palcos do Teatro de Revista e no cinema entrou no filme Os Toiros de Mary Foster (1972).[2][4]

Em 1973 participou no Festival de Dois Mundos e nas Olimpíadas da Canção, realizadas na Grécia, onde recebeu o Prémio da Crítica. Em 1975 participou no Festival Sopot da Polónia.

O seu grande sucesso da década de 1980 foi "Eles Foram tão Longe", tema da autoria de Carlos Paião.

Em 1989 concorreu pela segunda vez ao Festival RTP da Canção.[2]

Gravou alguns discos em colaboração com o fadista Natalino de Jesus.

Em 5 de abril de 2004, no Teatro São Luiz, em Lisboa, Lenita Gentil celebrou 35 anos de carreira (1969-2004) na música ligeira, no fado e na canção de Coimbra, num espectáculo em participaram os artistas Janita Salomé, Nuno Guerreiro, Henrique Feist, Tuna de Medicina da Universidade de Coimbra, Natalino Jesus, Patrícia Rodrigues, Filipe Carriço e Simone de Oliveira.[3][5]

Em Julho de 2004, a Movieplay editou um duplo CD com alguns dos seus êxitos.[6]

Em Outubro de 2005 Lenita Gentil lançou o álbum Outro Lado do Fado, a editora Ovação, acompanhada por Fernando Silva (guitarra portuguesa), Jaime Santos (viola) e Joel Pina (viola-baixo).[6] Este trabalho apresenta temas inéditos como "Versos de Amor", de Sá-Carneiro ou "Findar em Teus Braços", de António Rocha, adaptados a músicas do fado tradicional, temas recriados como "Fria Claridade" criado por Amália Rodrigues mas com o poema de Pedro Homem de Mello agora ser apresentado com outra música ou uma nova versão de "Maldição", também do reportório da Amália.[6] Este trabalho seria distinguido como o "Melhor Álbum de Fado" (ou "Melhor Registo de Fado") nos "Prémios Amália Rodrigues" entregues em 2006.[7]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

  • Fado (1991, CD, Ovação)[8]
  • Outro Lado do Fado (2005, CD, Ovação)[6]
  • Momentos (2012, CD)[9][10]

Singles e EP[editar | editar código-fonte]

  • Marchas de Lisboa (1969, 45 rpm, Alvorada, Porto)[11]
  • Grande Marcha de São João (1969, 45 rpm, Alvorada, Porto)[12]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • As Grandes Marchas Populares (1993, CD, EMI)Tema: "São João Bonito"[15]

Prémios e distinções[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Certidão de lista de associadas da Audiogest» (PDF). IGAC/Ministério da Cultura. 25 de julho de 2007. Consultado em 16 de janeiro de 2014. Arquivado do original (PDF) em 24 de dezembro de 2013 
  2. a b c d e f Maria João Serra. «Biografia : Lenita Gentil». Cotonete. Consultado em 12 de dezembro de 2018. Arquivado do original em 16 de maio de 2003 
  3. a b Ricardo Farias. «Lenita Gentil celebrou 35 anos de carreira artística». Portuguese Times. Consultado em 12 de dezembro de 2018. Arquivado do original em 27 de abril de 2013 
  4. «Pessoa : Lenita Gentil». CinePT - Cinema Português (Universidade da Beira Interior). Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  5. Agência Lusa (5 de abril de 2004). «Lenita Gentil celebrou 35 anos de carreira artística». Portuguese Times. Consultado em 12 de dezembro de 2018. Arquivado do original em 27 de abril de 2013 
  6. a b c d Agência Lusa (11 de outubro de 2005). «Novo CD de Lenita Gentil editado esta semana». RTP. Consultado em 12 de dezembro de 2018 
  7. a b Diário Digital / Agência Lusa (6 de novembro de 2006). «Raquel Tavares e Fernanda Maria ganham prémios Amália Rodrigues». Diário Digital. Consultado em 12 de dezembro de 2018. Arquivado do original em 5 de maio de 2016 
  8. «Catálogo - Detalhes do registo de "Fado"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 12 de dezembro de 2018 
  9. a b Redação (12 de Fevereiro de 2012). «Lenita Gentil galardoada pela Câmara Municipal de Lisboa». Lux. Consultado em 12 de dezembro de 2018 
  10. a b Agência Lusa (21 de abril de 2012). «Lenita Gentil apresenta CD "fora do fado"». Diário de Notícias. Consultado em 12 de dezembro de 2018 
  11. OCLC 255044220. Consultado em 12 de dezembro de 2018
  12. OCLC 255478923. Consultado em 12 de dezembro de 2018
  13. «Catálogo - Detalhes do registo de "Lenita Gentil; O melhor dos melhores; 10"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 12 de dezembro de 2018 
  14. «Catálogo - Detalhes do registo de "Fado"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 12 de dezembro de 2018 
  15. OCLC 31878872. Consultado em 12 de dezembro de 2018
  16. «Prémios Bordalo». Em 1968 denominado "Prémio da Imprensa". Sindicato dos Jornalistas. 22 de janeiro de 2002. Consultado em 12 de dezembro de 2018 
  17. Câmara Municipal de Lisboa (1 de outubro de 2009). «Deliberação n.º 1077/CM/2009 (Proposta n.º 1077/2009)». 2.º Suplemento ao Boletim Municipal n.º 815. p. 348, 39 (260, 261). Consultado em 12 de dezembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma cantora é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.