Lenita Gentil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lenita Gentil
Informação geral
Nome completo Maria Helena Gentil do Carmo
Nascimento 6 de agosto de 1948 (70 anos)
Origem Marinha Grande, Marinha Grande
País Portugal Portugal
Gênero(s) Fado

Canção

Maria Helena Gentil do Carmo mais conhecida por Lenita Gentil[1] (Marinha Grande, Marinha Grande, 6 de agosto de 1948) é uma cantora portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Lenita Gentil nasceu na Marinha Grande cidade onde viveu até aos seus 14 anos, altura em que se muda para o Porto, por motivos familiares. È neste período que o maestro Resende Dias, amigo do pai de Lenita, a ouve cantar, elogia a sua afinação vocal e incentiva-a a cantar. Inscreve-a nos Serões para Trabalhadores, transmitidos pelos Emissores do Norte Reunidos, e aos 17 anos dá-se a sua estreia no Palácio de Cristal.

Após esta estreia surgem os primeiros convites para a televisão, destacando-se a sua estreia televisiva no programa "Riso e Ritmo" (1964), de Francisco Nicholson e Armando Cortês, e "a partir daí foi um nunca mais parar, com programas de televisão, discos, festivais da canção, tanto cá como fora”, afirmou a cantora.

Lenita Gentil participa no Festival da Canção da Figueira da Foz (1967), e vence o Festival da Canção da Costa Verde, em Espinho (1968). Nesse mesmo ano recebe o Prémio de Música Ligeira, categoria Cançonetista, atribuído pela Casa da Imprensa. Participa também nos anos 1971 e 1989 no Festival da Canção da RTP.

Em 1966 e 1968 Lenita vence o Festival de Aranda del Duero (Espanha) e representa Portugal noutros festivais internacionais realizados no México, Polónia, Roménia, e nas Olimpíadas da Canção, realizadas na Grécia, onde recebe o prémio da crítica, experiências que Lenita considera como muito estimulantes para o seu percurso artístico. Paralelamente, teve duas significativas participações noutros domínios, uma no cinema, no filme "Os toiros de Mary Foster" (1972), realizado por Henrique Campos, e outra no teatro de revista "Em águas de bacalhau" (1977).

A versatilidade de Lenita é uma das características que marcam a sua carreira e que passa não só pelo Fado, como também pela música ligeira e marchas populares, "fui das primeiras cantoras de música ligeira a dedicar-me ao Fado, com o primeiro LP em vinil, gravado há mais de 28 anos, sendo a primeira cantora de música ligeira a cantar e a gravar Fado". Apaixonada pelo som fascinante da guitarra portuguesa, a par da admiração por Amália Rodrigues, Lenita Gentil rende-se ao Fado e a convite de Simone de Oliveira actua no restaurante gerido pela cantora, e onde Lenita partilha o elenco com nomes como Vasco Rafael e Artur Garcia. Pouco tempo depois, e apesar de não se identificar com o ambiente das casas típicas de Fado, aceita o convite para actuar durante um mês no elenco do "Fado Menor", propriedade de Tony de Matos.

Naturalmente, Lenita acabou por ficar mais tempo do que o previsto e graças a uma ascendente projecção, é convidada para actuar no restaurante típico "O Faia", onde ainda hoje se mantêm. Para a fadista esta passagem pelas casas de Fado são "uma experiência muito enriquecedora de Fado, aprendi muito, é uma grande escola, deu-me uma experiência de vida e artística...".

Lenita Gentil percorreu praticamente toda a Europa inclusivé alguns países do Leste. Viajou também à Austrália, Macau, Hong Kong, África do Sul, México, Estados Unidos da América e Canadá.

O seu enorme profissionalismo e entrega reflectem-se na selecção de repertório, onde se destacam os poemas de Artur Ribeiro, Maria de Lurdes de Carvalho, Vasco de Lima Couto e Frederico de Brito, entre outros. Manifestando o seu apreço, Lenita é também uma das poucas vozes femininas na interpretação do Fado de Coimbra que considera: "muito rico, com melodia, nostálgico, uma coisa que entra e que se sente, acho o Fado de Coimbra muito bonito".

Em 2005 a editora Ovação lança o CD "Outro lado do Fado", laureado com o Prémio Amália Rodrigues para Melhor Álbum de Fado e que inclui temas inéditos e outros criados por Amália Rodrigues.

Para além dos inúmeros espectáculos e digressões, com particular incidência nas comunidades de emigrantes, podemos encontrar Lenita Gentil no restaurante "O Faia", onde continua a encantar todos os que lá se dirigem para ouvir e apreciar Fado.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Certidão de lista de associadas da Audiogest» (PDF). IGAC/Ministério da Cultura. 25 de julho de 2007. Consultado em 16 de Janeiro de 2014.. Arquivado do original (pdf) em 24 de dezembro de 2013 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma cantora é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.