Maria José Silveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Maria José Rios Peixoto da Silveira Lindoso (Jaraguá, Goiás, 1947) é uma escritora, tradutora e editora brasileira.[1][2]

Filha do político José Peixoto da Silveira, nasceu poucos meses depois de o pai se eleger deputado estadual e mudar-se para Goiânia. Em 1963, quando ele se elegeu deputado federal, foi para Brasília, onde mais tarde se formou na Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília. Trabalhou como redatora publicitária a partir de 1969, em São Paulo. Foi perseguida pela ditadura militar, que a acusou de subversão em 1971. Viveu como clandestina ao lado do marido até 1973, quando os dois se exilaram no Peru. Estudou antropologia na Universidade Nacional Maior de São Marcos. Voltou para o Brasil em 1976 e fez pós-graduação em ciências políticas na Universidade de São Paulo.[3]

Fundou a Editora Marco Zero em 1980, ao lado de Felipe Lindoso e Márcio Souza. Foi diretora da empresa até 1998.[4]

Recebeu o prêmio APCA Revelação por seu romance de estreia, A Mãe da Mãe de sua Mãe e suas Filhas.[5]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • 2002 - A Mãe da Mãe de sua Mãe e suas Filhas - Editora Globo
  • 2002 - Eleanor Marx, Filha de Karl - Editora Francis
  • 2004 - O Fantasma de Luis Buñuel - Editora Francis
  • 2006 - Guerra no Coração do Cerrado - Record
  • 2010 - Com esse ódio e esse amor - Global
  • 2012 - Pauliceia de Mil Dentes - Editora Prumo
  • 2016 - Felizes Poucos - ZLF

Referências

  1. Maria José Silveira lança livro de contos sobre a ditadura. PublishNews, 25 de enovembro de 2016
  2. Maria José Silveira é uma escritora que ilumina a vida. Jornal Opção, 3 de janeiro de 2013
  3. Maria José Silveira. Enciclopédia Itaú Cultural
  4. A liberdade na solidão. Jornal Rascunho #199
  5. Maria José Silveira. SP Cultura

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.