Mario Zan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mario Zan
Nome completo Mario Giovanni Zandomeneghi
Nascimento 9 de outubro de 1920
Roncade,  Itália
Morte 9 de novembro de 2006 (86 anos)
São Paulo,  São Paulo
 Brasil
Nacionalidade Itália italiana
Ocupação acordeonista
compositor

Mario Giovanni Zandomeneghi (Roncade, 9 de outubro de 1920São Paulo, 9 de novembro de 2006), conhecido como Mario Zan, foi um acordeonista italiano radicado no Brasil, famoso por compor o hino comemorativo do IV Centenário da cidade de São Paulo e por suas músicas típicas das festas juninas de São Paulo e da Região Centro-Sul do Brasil.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mario Giovanni Zandomeneghi nasceu em Roncade, região do Vêneto, província de Treviso, na Itália e, na década de 1920, imigrou junto a família para São Paulo. A família Zandomeneghi instalou-se na região de Catanduva, interior de São Paulo, onde Mario Zan teve como principal incentivador o primo e acordeonista Hilário Fossalussa, da cidade de Olímpia, também em São Paulo.

Mario Zan começou a tocar acordeão aos treze anos de idade e foi considerado um dos melhores acordeonistas do Brasil, tendo se tornado famoso pelas composições (mais de mil gravadas), sendo muitas delas as mais populares canções das festas juninas paulistas, como a Quadrilha Completa, Balão Bonito, Noites de Junho e Pula a Fogueira. Mario Zan também foi o autor dos hinos comemorativos dos 400 anos e 450 anos da cidade de São Paulo. O "Rei do Baião" Luís Gonzaga disse uma vez que Mario Zan era o verdadeiro "Rei da Sanfona".[1]

Duas de suas canções ultrapassaram as fronteiras brasileiras: Nova Flor (escrita em parceria com Palmeira e gravado em inglês como Love me like a Stranger, em espanhol como Los hombres no deben llorar, em alemão como Fremde oder Freunde) e o Hino do Quarto Centenário de São Paulo, escrita em parceria com J. A. Alves.

Morte[editar | editar código-fonte]

Mário Zan morreu após uma parada cardíaca, em São Paulo. Seu corpo foi velado na Assembleia Legislativa de São Paulo e sepultado no Cemitério da Consolação, em frente ao jazigo onde está enterrada a Marquesa de Santos, conforme desejo do próprio Mário, grande admirador de Domitila de Castro Canto e Melo A Marquesa de Santos.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.