Massacre de Xangai de 1927

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Massacre de Xangai de 1927, também conhecido como o Incidente de 12 de abril, foi um expurgo em grande escala dos comunistas do Kuomintang (KMT), em Xangai, ordenada pelo Generalíssimo Chiang Kai-shek, em 12 de abril de 1927, durante a Expedição do Norte contra os senhores da guerra.

O Generalissimo Chiang Kai-shek

O Massacre de Xangai foi um dos principais eventos de 1927, que assinou a ruptura entre o Kuomintang e o Partido Comunista Chinês, e marcou o início da Guerra Civil Chinesa. Este ataque contra os seus aliados comunistas, da facção do Kuomintang liderada por Chiang Kai-shek, destinou-se a expurgar os elementos de esquerda do partido e evitar o domínio pelos comunistas na República da China[1].

Em chinês, o incidente é chamado de "a purificação do Partido" (清党) pelo Kuomintang (KMT), enquanto o Partido Comunista da China (PCC) se refere a ele como o "Massacre de Xangai de 1927"[2], "golpe anti-revolucionário de 12 de abril" (四一二反革命政变) ou "Tragédia de 12 de abril" (四一二惨案). Muitos membros comunistas proeminentes do Kuomintang foram presos ou executados por Chiang em uma tentativa de destruir a influência do PCC. Ao longo de várias semanas após o incidente de 12 de abril em Xangai, ocorreram prisões e execuções de comunistas proeminentes, distribuídos por áreas da China controladas por Chiang e seus aliados, incluindo o co-fundador do Partido Comunista Chinês, Li Dazhao, em Pequim. Depois de derrotar as insurreições comunistas nas cidades, o Kuomintang tornou-se unificado sob a liderança de Chiang, e passou a derrotar as facções dos senhores da guerra e se tornar dominante na China. Os comunistas se retiraram para coletividades rurais, construindo uma força no meio rural para a próxima fase da guerra civil chinesa.

Referências

  1. Patricia Stranahan, Underground: The Shanghai Communist Party and the Politics of Survival, 1927-1937, Rowman & Littlefield Publishers, 1998
  2. Zhao, Suisheng. [2004] (2004). A Nation-state by Construction: Dynamics of Modern Chinese Nationalism. Stanford University Press. ISBN 0804750017.
  • Smith, Stephen Anthony (2000). A road is made: Communism in Shanghai, 1920-1927 University of Hawaii Press [S.l.] ISBN 9780824823146. 
  • Chan, F. Gilbert; Thomas H. Etzold (1976). China in the 1920s: nationalism and revolution New Viewpoints [S.l.] ISBN 9780531055892. 
  • Wilbur, Clarence Martin; Julie Lien-ying How (1989). Missionaries of revolution: Soviet advisers and Nationalist China, 1920-1927 Harvard University Press [S.l.] ISBN 9780674576520. 
  • Perry, Elizabeth J. (1995). Shanghai on strike: The politics of chinese labor Stanford University Press [S.l.] ISBN 9780804724913. 
  • Harrison, James P. (1972). The long march to power: a history of the Chinese Communist Party, 1921-72 Praeger Publishers [S.l.] 
  • Wilbur, Clarence Martin (1983). The nationalist revolution in China, 1923-1928 Cambridge University Press [S.l.] ISBN 9780521318648. 
  • Zhang, Guotao (1972). The rise of the Chinese Communist Party: 1928-1938 University Press of Kansas [S.l.] 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]