Grande Marcha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
History of China.png
História da China
História Antiga
Neolítico 8500 AEC – 2070 AEC
Dinastia Xia 2070 AEC – 1600 AEC
Dinastia Shang 1600 AEC – 1046 AEC
Dinastia Zhou 1046 AEC – 256 AEC
 Zhou Ocidental
 Zhou Oriental
   Primaveras e Outonos
   Estados Combatentes
História Imperial
Dinastia Qin 221 AEC – 206 AEC
Dinastia Han 206 AEC – 220 EC
  Han Ocidental
  Dinastia Xin
  Han Oriental
Três Reinos 220–280
  Wei, Shu and Wu
Dinastia Jin 265–420
  Jin Ocidental
  Jin Oriental Dezesseis Reinos
Dinastias do Norte e do Sul
420–589
Dinastia Sui 581–618
Dinastia Tang 618–907
  (Segunda dinastia Zhou 690–705)
Cinco Dinastias
e Dez Reinos

907–960
Dinastia Liao
907–1125
Dinastia Song
960–1279
  Song do Norte Xia Ocidental
  Song do Sul Jin
Dinastia Yuan 1271–1368
Dinastia Ming 1368–1644
Dinastia Qing 1644–1911
História Moderna
República da China 1912–1949
República Popular
da China

1949–presente
República da
China
(Taiwan)

1949–presente
 v  e 

A Grande Marcha (chinês simplificado: 长征; pinyin: Chángzhēng) foi uma retirada das tropas do Partido Comunista Chinês, Exército de Libertação Popular, para fugir à perseguição do exército do Kuomintang. O exército comunista, liderado por Mao Zedong e Zhou Enlai, composto por 100 mil homens (30 mil soldados, dos quais 20 mil feridos, e 70 mil camponeses) percorreu, entre 16 de outubro de 1934 e 20 de outubro de 1935, 9.650 km em condições extremamente duras. A marcha prolongou-se até que as tropas comunistas estabeleceram-se na região de Shensi, extremo norte da China.[1]

Em face das severas condições, muitos integrantes da marcha, incluindo o irmão de Mao Zedong, Mao Zedan (Mao Tsé-Tan, em transliteração Wade-Giles), morreram. Mas a Grande Marcha consagrou-o como principal líder da Revolução Chinesa.[carece de fontes?]

História[editar | editar código-fonte]

O dia 16 de outubro de 1934, em desvantagem numérica e cercados pelas forças nacionalistas de Chiang Kai-shek, os comunistas da província de Jiangxi abandonaram seu acampamento dando origem a um dos momentos mais importantes do comunismo chinês: a Grande Marcha. Derrotados pelos nacionalistas e facções militares, os comunistas marcharam cerca de 9.600 km até Yan'an, província de Shaanxi. ao norte do país, deixando para trás mulheres e filhos e uma retaguarda de vinte e oito mil soldados, vinte mil deles doentes e feridos. Na travessia, o Exército Vermelho terminou por consolidar a identidade revolucionária do movimento: enquanto atravessavam o território iam pregando o socialismo para seus habitantes.[1]

Referências

  1. a b Novo Tempo: "A Grande Marcha", volume I, pg. 2—10. Editora Klick. São Paulo (1995)

Ligação externa[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre comunismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.