Mem Rodrigues de Vasconcelos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mem Rodrigues de Vasconcelos
Rico-homem, senhor de Freiriz, de Penegate, da Torre de Vasconcelos, e de Penela
Brasão com as Armas da família Vasconcelos
Cônjuge ● Maria Martins Zote
● Constança Afonso de Brito
Descendência Ver descendência
Morte 1330/1339
Pai Rodrigo Anes de Vasconcelos
Mãe Mécia Rodrigues de Penela

Mem Rodrigues de Vasconcelos (ca. 1275-1330/1339), filho de Rodrigo Anes de Vasconcelos e de Mécia Rodrigues de Penela, foi um rico-homem do Reino de Portugal, senhor dos coutos de Freiriz e Penegate,[1] da Torre de Vasconcelos e de Penela. Documentado a partir de 1297 e membro da cúria régia do rei D. Dinis I desde 1318, exerceu o cargo de meirinho-mor da região de Entre Douro e Minho entre 1321 e 1324 e foi também alcaide-mor do Castelo de Guimarães.[2]

Foi vassalo do rei D. Dinis na guerra que opôs este monarca ao seu filho, o futuro rei D. Afonso IV. Foi o rei D. Dinis que deu a autorização para a construção da Torre de Penegate, cujo documento está datado de 5 de Outubro de 1322, onde se refere que ele havia proibido a construção destas casas fortificadas a não ser com sua expressa autorização.[1][3] Esta fortificação tinha a função de proteger Mem Rodrigues das represálias do infante Afonso que pretendou apoderar-se da vila de Guimarães.[2] A torre de Penagate, por heranças passou às mãos dos condes de Penela. Em 1324, quando o infante Afonso "se dispôs a fazer as as paces com D. Dinis, exigiu para isso a expulsão do reino do odiado irmão Afonso Sanches, e do cargo de meirinho-mor, a Mem Rodrigues de Vasconcelos".[4] Depois de subir ao trono, Afonso IV incluiu a Mem Rodrigues em 1328 no grupo de fidalgos portugueses que deveria garantir o cumprimentos dos acordos de paz com Castela. Esta foi a última vez que Mem aparece na corte e faleceu entre 1330 e 1339.[5]

Matrimónios e descendência[editar | editar código-fonte]

O seu primeiro casamento foi no ano de 1297 quando doou em arras a quintã de Penela e outros herdamentos a Maria Martins Zote, filha de Martim Peres Zote e de Maria Vicente de Urgeses e viúva de Gil Nunes de Chacim, seu primeiro marido. Maria morreu antes de 1308.[6] Deste casamento nasceram três filhos:

O seu segundo casamento, ocorrido antes de agosto de 1308, foi com Constança Afonso de Brito,[10] filha de Afonso Anes de Brito e de Ausenda de Oliveira. Desde casamento nasceram nove filhos:[9]

Referências

  1. a b c Braamcamp Freire 1921, p. 339.
  2. a b Sottomayor Pizarro 1997, p. 837, vol. II.
  3. Mattoso 1982, p. 228.
  4. Sottomayor Pizarro 1997, p. 837-838, vol. II.
  5. Sottomayor Pizarro 1997, p. 838-839, vol. II.
  6. Sottomayor Pizarro 1997, p. 371-372, vol. I e 837, vol. II.
  7. a b c Mattoso 1982, p. 229.
  8. Sottomayor Pizarro 1997, p. 839, vol. II.
  9. a b c d Sottomayor Pizarro 1997, p. 840, vol. II.
  10. Braamcamp Freire 1921, p. 340.
  11. Braamcamp Freire 1921, p. 342.
  12. Sottomayor Pizarro 1997, p. 841-842, vol. II.
  13. a b c d e f g Sottomayor Pizarro 1997, p. 841, vol. II.
  14. Mattoso 1982, p. 228–233 e 250–264.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]