Meshuggah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Meshuggah
A banda ao vivo na Austrália em 2008
Informação geral
Origem Umeå, Suécia
Gênero(s) Metal extremo
Metal progressivo
Avant-garde metal
Groove metal
Período em atividade 1987–atualmente
Gravadora(s) Nuclear Blast
Página oficial meshuggah.net
Integrantes Fredrik Thordendal
Jens Kidman
Tomas Haake
Mårten Hagström
Dick Lövgren
Ex-integrantes Niklas Lundgren
Peter Nordin
Gustaf Hielm

Meshuggah é uma banda sueca de metal extremo em atividade desde 1987. A banda é conhecida pelo uso prolongado de passagens polimétricas, compassos de bateria complexos, andamentos atípicos, riffs de guitarra angulares com sonoridade dissonantes, e vocais agressivos.

História[editar | editar código-fonte]

O Meshuggah é uma banda da Suécia, formada em Umeå em 1987. Dois anos depois a banda lançou um EP intilutalado Psykisk Testblind (traduzido fracamente como teste de imagem psicológico, talvez uma referência ao método psicológico Rorschach). Este álbum mostra uma influência muito forte de thrash/death metal antigo, principalmente de bandas como Dismember e Dark Angel. O que faz a banda única é seu som complexo, com fortes influências de jazz fusion. Conforme o grupo amadureceu, notou-se que os músicos se refinaram tecnicamente a cada álbum.

Nos álbuns Contradictions Collapse e Destroy Erase Improve, há o início das experimentações de extreme metal com elementos de metal progressivo e jazz fusion, enquanto nos álbuns Chaosphere, Nothing e I, a banda se fixa na roupagem experimental, misturando elementos de death metal, metal progressivo e jazz fusion.

O Meshuggah começou a entrar no mainstream em 1995, com o lançamento do álbum Destroy Erase Improve, pela fusão de um rápido death metal, thrash metal, e metal progressivo com elementos de jazz fusion. Desde o lançamento do álbum Nothing de 2002, a banda mudou da guitarra de 7 cordas para de 8 cordas afinadas abaixo da afinação padrão. O Meshuggah se tornou conhecido pelo seu estilo musical inovador, complexo, estruturas polimétricas e polirítmicas. A banda foi rotulada como uma das 10 bandas mais importantes do heavy metal pela revista Rolling Stone e a mais importante baanda no metal pela Alternative Press. O Meshuggah ainda encontrou pouco sucesso no cenário mainstream, mas é bastante importante na música underground. Entretant, a banda começou a ganhar atenção e respeito na cena mainstream desde o início dos anos 2000, inspirando o movimento djent dentro do metal progressivo.

No álbum Catch Thirtythree, o baterista Tomas Haake utiliza uma bateria programada chamada Drumkit From Hell, que é um catálago de baterias pré-gravadas feito pela Toontrack com as baterias de Morgan Ågren e do próprio Tomas Haake. Haake diz que com isso, as batidas se tornam um reforço a mais para a criatividade da banda. Outros membros da banda dizem que essa ferramenta foi utilizada devido ao pouco tempo dado pela gravadora para produção desse álbum.

O álbum de estúdio obZen retomava a extrema agressividade da banda sem eliminar a sofisticação técnica e experimentação pela qual a banda é reconhecida.

A banda lançou o álbum Koloss em 2012.

O primeiro show da banda em terras Tupiniquins ocorreu no dia 16 de novembro de 2013, o Show contou com a abertura da banda Third Ear.

Membros[editar | editar código-fonte]

Formação atual[editar | editar código-fonte]

Ex-membros[editar | editar código-fonte]

  • Gustaf Hielm – baixo (1995–2001, ao vivo/sessão 1995–1998)
  • Peter Nordin – baixo, vocal de apoio (1987–1995)
  • Niklas Lundgren – bateria (1987–1989)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

  • "Bleed" (2008)

EP[editar | editar código-fonte]

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • A banda tocou no Ozzfest por indicação de Jack Osbourne (filho de Ozzy Osbourne), que é fã da banda. A música Soul Burn, do álbum "Destroy Erase Improve", é posta a tocar em um dos episódios da série The Osbournes.
  • Mike Portnoy, ex-baterista do Dream Theater, disse ser um enorme fã da banda e, durante a gravação de seus álbuns, diz sempre reescutá-la para se inspirar.
  • O vocalista Jens Kidman faz uma participação especial na música "The Dream Is Over", do álbum "XIII", da banda Mushroomhead.
  • O baterista Tomas Haake foi convocado para gravar sons de bateria pela empresa ToonTrack, por ocasião do lançamento da expansão Drumkit From Hell, para o popular VST Ezdrummer.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]