Avant-garde metal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde janeiro de 2012). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde fevereiro de 2008)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Avant-garde metal
Origens estilísticas Heavy metal, rock experimental, avant-garde jazz, metal extremo, rock progressivo, art rock
Contexto cultural Meados da década de 1980 na Europa central
Instrumentos típicos Guitarra, baixo, bateria, teclado e vários instrumentos de corda e sopro
Formas derivadas Post-metal
Drone metal
Gêneros de fusão
Djent metal

Avant-garde metal, também conhecido como metal experimental ou art metal, é um gênero de transição do heavy metal caracterizado pela experimentalidade e pela forma não estruturada de sons, instrumentos e letras, fundindo características específicas de diferentes estilos. Diferentemente de outros subgêneros do Metal, o Avant-garde possui maior liberdade lírica, e não se prende a estruturas. Esse maior fluxo de liberdade e criatividade faz com que o resultado apresente rendimentos abstratos sob foma de regime estranho e estruturas anormais.

As primeiras bandas a serem classificadas como Avant-Garde Metal foram: Celtic Frost, Master's Hammer, Fleurety e Ved Buens Ende.

Caracteristicas[editar | editar código-fonte]

Não há qualquer regra comum entre as bandas identificadas como Avant-Garde no Metal mundial, mesmo que seja claro o uso da experimentação não há uma característica unificadora do estilo como se encontra no Thrash, Power, Death, Doom, etc.

Para ser classificada Avant-Garde Metal cada banda deve ser avaliada individualmente.

Porém, traços comuns podem ser observados nas analises particulares, tais como:

  • Uso de arranjos não convencionais
  • Ênfase em timbres e tonalidades novas
  • Uso constante de harmonia experimental (acordes dissonantes, escalas incomuns).
  • Frequente uso de técnicas vocais não convencionais e instrumentais

Às vezes, soando como Metal progressivo se encontra também:

  • Uso de uma estrutura sonora incomum, sem modelos exatos
  • Uso de ritmos e tempo não convencionais.

O Avant-Garde Metal é normalmente tocado com foco em uma atmosfera mais sombria, sendo a sonoridade normalmente associada ao Extreme Metal (particulamente Black Metal e Doom Metal)

Apesar de sua ampla similaridade ao Extreme Metal, por ser um estilo experimental, pode estar associado também a qualquer outro sub-gênero.

Uso de acordes dissonantes[editar | editar código-fonte]

Antes de se discutir o uso da dissonância no Avant-Garde Metal é preciso entender do que se trata e qual a diferença entre a Consonância e a Dissonância.

Em uma música, uma consonância pode ser uma harmonia, um acorde ou um intervalo estável, fazendo com que o som soe agradáveis aos ouvidos.

Quanto a dissonância é um som mais instável, fazendo com que o som pareça estranho e incomum.

No Avant-Garde Metal a dissonância é usada como mais um artificio experimental para fazer com que o som soe incomum e o menos estruturado possível.

As diferenças entre o Avant-Garde e o Metal Progressivo[editar | editar código-fonte]

Um erro muito comum cometido pelas pessoas é geralmente confundir o Avant-Garde como sendo um subgênero do Metal Progressivo e não raramente o confundem entre si.

O Metal Progressivo é produzido com ritmos complexos e canções estruturadas, aderindo a um método clássico de instrumentação. Pode-se dizer que no Metal Progressivo "a arte é feita seguindo regras de um livro".

Já no Avant-Garde Metal a sonoridade concentra-se em sons e melodias incomuns que não estão presas a nenhuma estrutura rigorosa, deixando uma liberdade de criação. Pode-se dizer que no Avant-Garde "o livro foi atirado pela janela".

Origens do termo[editar | editar código-fonte]

Embora já tenha sido usado o termo "Metal Alternativo" antes para se identificar outros estilos, ele começou a ser usado no Metal no início do século XXI por parte de alguns jornalistas especializados e fãs.

O termo pode definir alguns traços estilísticos, que por sua vez são ainda debatidos:

  • A marginalidade do estilo que permanece no underground do cenário do Metal e muitas vezes têm sua existência ignorada.
  • Seus traços muito similares e confundido com o Metal Progressivo e o Alternativo.
  • Não há uma estética estrutural definida para o estilo.

Bandas do gênero[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. ^ Wesley D. Cray, "The Avant-Garde", on Metal Observer (em inglês)
  2. ^ "Mittel Ethan, "The Avant Garde And How To Swing It" on Metal Storm" 2006. (em inglês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]