Djent

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Math metal)
Ir para: navegação, pesquisa
Djent
Origens estilísticas Metal Progressivo
Contexto cultural Do fim da década de 2000 ao presente no norte da Europa, nordeste dos Estados Unidos e sudeste da Austrália
Instrumentos típicos Baixo, bateria, guitarra, sintetizador, teclado e voz
Popularidade Em crescente popularidade do fim da década de 2000 ao presente
Formas regionais
Austrália • Escandinávia • Estados Unidos • Reino Unido

Djent, também conhecido como metal djent ou djent metal,[1] é um recente movimento de heavy metal que se desenvolveu como um spin-off do metal progressivo,[2] [3] tendo como berço, assim como sendo mais evidente, lugares como o norte da Europa, o nordeste dos Estados Unidos e ainda a Austrália. A palavra "djent" é uma onomatopéia para o som de uma guitarra com distorção (alto ganho) sendo tocada com palm muting (abafamento), como empregado, por exemplo, pela banda sueca Meshuggah, e quanto termo, tendo sido cunhado pelo guitarrista Fredrik Thordendal, da já citada banda Meshuggah. Tipicamente, o termo é usado para se referir à música que faz uso desse som, o som em si, ou a melodia que o envolve.[4]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O guitarrista da banda Meshuggah, Fredrik Thordendal, criador do termo Djent.

Na década de 2000, bandas como a sueca Meshuggah e a britânica Sikth[4] já apresentavam uma sonoridade com intenso uso de palm muting (abafamento) em cima de contratempo, assim como o uso de ambiente, sendo essas bandas, portanto, principalmente o Meshuggah, precursoras do Djent. Ainda entre bandas pioneiras do Djent temos a neerlandesa Textures,[5] a inglesa TesseracT[6] [7] [8] e a americana Animals as Leaders.[3] As bandas After the Burial e Born of Osiris também foram descritas como sendo inspiradoras no gênero.[9] [10] O movimento, entretanto, surgiu após as gravações solo de Misha Mansoor, guitarrista da banda americana Periphery, que posteriormente "trouxe" o Djent do "mundo virtual" para o "real".[4] Em pouco tempo o gênero cresceu e se tornou uma tendência,[9] com inúmeras bandas emergindo nas cenas, em especial europeia e americana, entre 2009 e 2010.[4]

Características[editar | editar código-fonte]

Djent, em seu sentido original, é um acorde pesado, tocado de forma sincopada em um riff de guitarra, fortemente processado ​​digitalmente.[4] O Djent como um gênero musical tem sido descrito e apresentado com acordes de guitarra intensamente abafados e dissonantes, fortemente distorcidos, assim como com solos virtuosos [2] e ambientes dinâmicos. Ainda é caracterizado como progressivo, técnico, rítmico e muitas vezes incluindo a polirritmia, e portanto, complexo.[8] Outro atributo comum do estilo é o som computadorizado e o uso de sampler para a reprodução de sons ambientes.

As cordas no djent[editar | editar código-fonte]

Entre as bandas djent predominam as guitarras de sete, oito e até nove cordas (essa última sendo menos comum), em que as cordas mais graves associadas as baixas afinações das guitarras soam o peso que caracterizam a sonoridade do gênero. Havendo inclusive séries de guitarras voltadas para o estilo.[11] [12] Também há o comum emprego de baixos de cinco e seis cordas, também em baixas afinações.

O termo THALL[editar | editar código-fonte]

O termo THALL, que é difundido na cena djent.

O termo THALL, que é disseminado dentro da cena djent, foi criado pelos membros da banda Vildhjarta, e propagado pela internet através de vídeos e de redes sociais.[13]

O seu significado, no entanto, não é conhecido na cena djent, uma vez que os membros da banda não o revelam, alegando que o mesmo pode perder o seu significado, e por isso, o significado do termo tem ficado restrito aos membros da banda Vildhjarta,[14] o que consequentemente tem o tornado sinônimo da própria banda e mesmo do djent.

Lista de bandas principais[editar | editar código-fonte]

Links externos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Stickler, John (28 February 2011). "You Me At Six, All Time Low, Sum 41, House Of Pain & More Added To Sonisphere Knebworth Line-Up". Stereoboard.com. Consult. 17 October 2011. 
  2. a b Bowcott, Nick (26 June 2011). "Meshuggah Share the Secrets of Their Sound". Guitar World. Future US. Consult. 17 October 2011. 
  3. a b Angle, Brad (23 July 2011). "Interview: Meshuggah Guitarist Fredrik Thordendal Answers Reader Questions". Guitar World. Future US. Consult. 17 October 2011. 
  4. a b c d e "Djent, the metal geek's microgenre". The Guardian. 3 March 2011. Retrieved 26 June 2011
  5. Bland, Ben (3 October 2011). "Textures - Dualism (Album Review)". Stereoboard.com. Consult. 17 October 2011. 
  6. GuitarWorld Staff Member (16 March 2011). "TesseracT Unveil New Video". Guitar World. Future US. Consult. 17 October 2011. 
  7. Rivadavia, Eduardo. "One". Allmusic. Rovi Corporation. Consult. 17 October 2011. 
  8. a b Rivadavia, Eduardo. "Concealing Fate". Allmusic. Rovi Corporation. Consult. 17 October 2011. 
  9. a b Colgan, Chris (24 June 2011). "Born of Osiris: The Discovery". PopMatters. Consult. 19 October 2011. 
  10. Reid, Evelyn (1 September 2011). "Evelyn Reid Montreal Concerts: September 2011". About.com. Consult. 17 October 2011. 
  11. http://www.mayones.com/en/katalog/djentlemen_series
  12. http://oglobo.globo.com/blogs/overdubbing/posts/2008/11/04/ibanez-da-marretada-na-orelha-com-guitarra-de-8-cordas-137129.asp
  13. http://www.nocleansinging.com/2011/12/21/an-ncs-interview-daniel-bergstrom-vildhjarta/
  14. http://www.blistering.com/fastpage/fpengine.php/templateid/24873/menuid/3/tempidx/5/link/1