NT Almirante Gastão Motta (G-23)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde março de 2015).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Navio-Tanque Almirante Gastão Motta (G23)
NT Almirante Gastão Motta (G-23), junho de 2009.
Carreira   Bandeira da marinha que serviu Brasil
Operador  Marinha do Brasil
Fabricante Ishikawajima do Brasil Estaleiros S/A
Lançamento 1 de julho de 1990
Batismo 11 de dezembro de 1989
Comissionamento 26 de novembro de 1991
Porto de registo Porto do Rio de Janeiro
Indicativo visual G23
Estado Em atividade
Outro(s) nome(s) São Bernardo[carece de fontes?]
Características gerais
Tipo de navio Navio tanque
Classe Classe Gastão Motta
Deslocamento 9 398 t (20 700 000 lb) padrão; 10 300 t (22 700 000 lb) máxima
Comprimento 135 m (443 ft)
Boca 19 m (62,3 ft)
Calado 7,5 m (24,6 ft)
Propulsão 2 x motores a diesel Wärtsilä Vasa
- 11 700 hp (8 720 kW)
Velocidade 20,5 kn (38,0 km/h)
Autonomia 10 000 m.n. (18 500 km) à 15 kn (27,8 km/h)
Tripulação 121
Notas
Carga: 5 000 t (11 000 000 lb)[nota 1] de óleo diesel
Lema: Nós fazemos a Esquadra ir mais longe.

O NT "Almirante Gastão Motta" (G-23) é uma embarcação da Marinha do Brasil que exerce a função de navio tanque.

Primeira embarcação a ostentar esse nome na Armada Brasileira, a sua construção foi ordenada a 15 de dezembro de 1987, para substituir o NT Marajó (G-27) e o Navio de Apoio Logístico Almirante Gastão Motta (G29) (ex-NM Itatinga, do Lloyd Brasileiro), que teve a sua conversão para uso naval cancelada, sendo vendido em 1987.

Com projeto desenvolvido a partir de requisitos definidos pela Marinha, foi construído pelo estaleiro Ishikawajima do Brasil Estaleiros S/A (ISHIBRAS), no Rio de Janeiro, com elevado nível de nacionalização. Teve a sua quilha batida a 11 de dezembro de 1989, sendo lançado ao mar e batizado em 1 de junho de 1990. Após concluir as provas de mar, foi submetido a Mostra de Armamento e incorporado à Armada em 26 de novembro de 1991.

NT Almirante Gastão Motta (G-23) ao fundo, em faina de abastecimento da F Defensora (F-41).

Subordinado ao Comando do Primeiro Esquadrão de Apoio, integra a Força de Superfície da Esquadra com a função de prover apoio logístico móvel às Forças Navais, em particular o reabastecimento de combustíveis utilizados por embarcações e aeronaves.

Conta com um moderno Sistema de Reabastecimento no Mar, projetado para realizar, mesmo sob condições meteorológicas adversas, diurnas ou noturnas, transferências de combustível com eficiência e segurança. Totalmente automatizado, o sistema permite que as fainas possam ser executadas nas Estações de Meio-Navio, simultâneamente em ambos os bordos, e na Estação de Popa. Possui ainda recursos para transferência de água, pessoal e material.

Em junho de 2009 participou da missão de resgate dos destroços do Voo Air France 447 no Oceano Atlântico.

Mascote[editar | editar código-fonte]

O São Bernardo, belo e imponente é típico das regiões polares, sendo de grande importância uma vez que tem a nobre função de prestar socorro às vitimas do frio nesses locais inóspitos. Para tal, carrega um barril que fica preso ao seu pescoço uma quantidade de rum, precioso líquido que serve para aquecer os necessitados, dando-lhes uma sobrevida e fazendo-os ir mais longe. Por essas características esse cachorro é o mascote do NT “Almirante Gastão Motta”, visto que o óleo combustível que carrega consigo proporciona uma autonomia maior aos meios da esquadra, sendo assim essencial para que estes cumpram sua missão pelos mares, não importando a distância.

Lema: Nós fazemos a Esquadra ir mais longe!

Ex-comandantes[editar | editar código-fonte]

Capitão de Fragata José Carlos Guapyassu Trovão: 26/11/1991 à 22/01/1993;

Capitão de Fragata Marcus Vinicius Iorio Hollanda: 22/01/1993 à 01/02/1994;

Capitão de Fragata Roberto Amorim Da Fonseca: 01/02/1994 à 10/02/1995;

Capitão de Fragata Paulo Roberto Oliveira Mesquita Spranger: 10/02/1995 à 12/02/1996;

Capitão de Fragata Francisco Martinho Carvalho Sarmento: 12/02/1996 à 21/02/1997;

Capitão de Fragata Alexandre Origuela 21/02/1997: à 19/02/1998;

Capitão de Fragata Roberto Carvalho De Medeiros: 19/02/1998 à 26/02/1999;

Capitão de Fragata Luiz Antonio Carvalho: 26/02/1999: à 17/02/2000;

Capitão de Fragata Hamilton Jorge Da Gama Henrique: 17/02/2000 à 07/02/2001;

Capitão de Fragata Wilson Pereira De Lima Filho: 07/02/2001 à 15/02/2002;

Capitão de Fragata Antonio Carlos Gomes Guerreiro: 15/02/2002 à 10/02/2003;

Capitão de Fragata Almir Garnier Santos: 10/02/2003 à 29/01/2004;

Capitão de Fragata Sérgio Luiz Moreira Da Rocha: 29/01/2004 à 31/01/2005;

Capitão de Fragata José Carlos Lopes Da Silva: 31/01/2005 à 16/02/2006;

Capitão de Fragata Simão Cirineu Zoccolaro: 16/02/2006 à 15/02/2007;

Capitão de Fragata Luiz Guilherme Silva Da Gama: 15/02/2007 à 14/02/2008;

Capitão de Fragata Amintas Da Silva Viamonte: 14/02/2008 à 16/02/2009;

Capitão de Fragata Ednaldo Blum De Oliveira Santos: 16/02/2009 à 19/02/2010;

Capitão de Fragata Alexandre Luiz De Moura: 19/02/2010 à 23/02/2011;

Capitão de Fragata Ricardo Lindgren De Carvalho: 23/02/2011 à 29/02/2012;

Capitão de Fragata Robson Conde De Oliveira: 29/02/2012 à 25/02/2013;

Capitão de Fragata Claudio Alvarez Simões: 25/02/2013 à 20/02/2014;

Capitão de Fragata André Sá De Mattos: 20/02/2014 à 29/02/2016; e

Capitão de Fragata Francisco Das Chagas Lemos Júnior: em exercício.

Notas

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre a Marinha do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.