Naftali Bennett

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Naftali Bennett
Naftali Bennett
Dados pessoais
Nascimento 25 de março de 1972 (45 anos)
Haifa, Israel
Partido Lar Judaico
Profissão empresário

Naftali Bennett é um político israelense líder do partido ultranacionalista Bait Yehudi (Lar Judaico).[1]

Bennett é filho de judeus norte-americanos que imigraram para Israel logo após a Guerra dos Seis Dias, em 1967. Após prestar serviço militar, criou uma empresa de software que vendeu aos 33 anos por 145 milhões de dólares.[1]

Bennett é totalmente contrário à criação de um estado palestino.

Uma de suas propostas é a anexação de 62% da Cisjordânia, o que inviabilizaria a criação do estado palestino.[1]

Nas eleições legislativas de 2013, seu partido obteve 12 cadeiras no parlamento, tornando-se a terceira maior força no parlamento de 120 assentos.[2]

Serve como Ministro da Educação de Israel desde 2015 e como Ministro da Informação e Diáspora desde 2013. Entre 2013 e 2015 foi Ministro da Economia e Ministro dos Serviços Religiosos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bennett, nascido em Haifa, é um dos três filhos de Jim e Myrna Bennett, judeus americanos que emigraram para Israel, após terem se mudado para San Francisco após o Guerra dos Seis Dias. Frequentou a Yeshivá Yawne em Haifa e se tornou um líder juvenil (Madrich) na organização religiosa-sionista juvenil Bnei Akiva.[3]

Durante o período em que serviu nas Forças Armadas de Israel, integrou as unidades Sayeret Matkal e Maglan como comandante de companhia e continua a servir na reserva, no posto de Major. Após o serviço militar, Bennett formou-se em Direito na Universidade Hebraica de Jerusalém.

Mudou-se para o Upper East Side, em Nova York para construir uma carreira como empresário de software.[4] Em 1999, ele foi um dos fundadores da "Cyota", uma empresa de software anti-fraude, e tornou-se seu CEO. A empresa foi vendida em 2005 para RSA Security por 145 milhões de dólares, fazendo de Bennett um multi-milionário ao final da operação.[5]

Assim que se desfez de sua empresa de software, Bennett voltou a Israel e casou-se com Gilat, secularista que trabalhou como chef de pastelaria profissional. O casal tem quatro filhos e vive em Ra'anana.[6][4][6] Bennett é religioso praticante.[7][8][9]

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.