Naji al-Ali

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Naji Salim al-Ali (c. 1937, al-Shajara, PalestinaLondres, 29 de agosto de 1987) foi um cartunista palestino, criador do personagem Handala,[1] um ícone da identidade e da resistência do povo palestino.

Em 1979, Naji al-Ali foi eleito presidente da Liga dos Cartunistas Árabes. Em 1979 e 1980, recebeu o primeiro prêmio em mostras dedicadas aos cartunistas árabes, em Damasco. Publicou três livros de cartuns, em 1976, 1983 e 1985. Estava preparando um outro, à época de sua morte.

Handala, em um muro de Bil'in, na Cisjordânia ocupada.

Em 22 de julho de 1987, Naji al-Ali foi alvejado no rosto, por desconhecidos, em Londres, na saída do jornal Al Qabas, periódico kuwaitiano para o qual ele trabalhava. Morreu sete semanas depois, no Hospital Charing Cross.

Em 1988, a Associação Mundial de Jornais (World Association of Newspapers - WAN) concedeu-lhe postumamente o prêmio Golden Pen of Freedom,[2] que foi recebido por sua mulher e seu filho, Khaled. Segundo a WAN, Naji al-Ali foi um dos maiores caricaturistas do final do século XX.

Livros[editar | editar código-fonte]

  • A Child in Palestine: The Cartoons of Naji al-Ali por Naji al-Ali. Introdução de Joe Sacco, 2009.

Referências

  1. Drawing defiance. The Guardian, 10 de março de 2008.
  2. 'Murdered Arab cartoonist honoured', The Guardian, 8 de Fevereiro de 1988.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre autor ou ilustrador de banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre a Palestina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.