Nikita Mikhalkov

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nikita Mikhalkov
Nascimento 21 de outubro de 1945 (71 anos)
Nacionalidade russo
Ocupação Diretor de cinema
Oscares da Academia
Óscar de Melhor Filme Estrangeiro
1995
Festival de Cannes
Grand Prix du Jury
1994
Outros prêmios
Leão de Ouro
1991

Nikita Mikhalkov (Moscou, 21 de outubro de 1945) é um cineasta russo, que nas décadas de 1970 e 1980 foi um conhecido dissidente soviético e pró-czarista, atualmente é defensor do presidente Vladimir Putin.[carece de fontes?]

Irmão do também grande cineasta Andrei Konchalovsky, Nikita Mikhalkov, como seu irmão se dedicou a filmes históricos na então URSS durante das décadas de 1970 e 1980. Seus primeiros filmes faziam reflexões sobre o gênero cinematográfico com construções em abismos, como pode ser notado em A Slave of Love, de 1976. Em 1977 dirigiu Peça Inacabada de Piano Mecânico. Nesta película mostra o choque das duas Rússias (monárquica vs. revolucionária) no seio de uma família da classe média.

Entre seus filmes mais notáveis, destacam-se Olhos Negros, com Marcello Mastroianni e Silvana Mangano, filmado na Itália, e Anna dos 6 aos 18, documentário filmado ao longo de 12 anos com sua filha, tendo como pano de fundo a vida política soviética em seus últimos anos, da morte de Leonid Brejnev ao golpe de agosto de 1991.

Em 1995 Mikhalkov ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro com O Sol Enganador, de 1994.

A falência espiritual e o isolamento dos personagens são temas constantes em seus filmes, que acabam sendo reflexões críticas sobre a modernidade e sobre os regimes políticos (decadência da democracia inclusivé), como transparece em obras como Urga, de 1992, e O Sol Enganador.

No final dos anos 1990 dirigiu a refilmagem de Siberiade, filme realizado por seu irmão em 1979, chamado O Barbeiro da Sibéria (1998), e que na época de seu lançamento foi comparado ao filme Titanic em razão de seu alto custo de produção.

Nikita Mikhalkov apresentou seu "drama épico" O Sol Enganador 2: Cidadela.[1] no Festival de Cannes de 2010, mas não recebeu nenhum prêmio.[2]

É filho de Serguei Mikhalkov, poeta admirador dos estadistas soviéticos Stálin e Brejnev, escritor de livros infantis e compositor das letras das duas versões do Hino Nacional da União Soviética e do atual Hino da Federação Russa.

Referências

  1. «Polêmica em torno do Oscar na Rússia». gazetta russa. Consultado em 3 de julho de 2012 
  2. «O Sol Enganador 2 é o pior filme da competição». Consultado em 3 de julho de 2012 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Nikita Mikhalkov
Ícone de esboço Este artigo sobre um cineasta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.