Noite Ilustrada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Noite Ilustrada (desambiguação).
Noite Ilustrada
Informação geral
Nome completo Mário de Souza Marques Filho
Nascimento 10 de abril de 1928
Local de nascimento Pirapetinga, MG
 Brasil
Morte 28 de julho de 2003 (75 anos)
Local de morte Atibaia, SP
Gênero(s) Samba
Ocupação(ões) cantor, violonista
Instrumento(s) violão
Afiliação(ões) GRES Portela

Mário de Souza Marques Filho (Pirapetinga, 10 de abril de 1928Atibaia, 28 de julho de 2003),[1] mais conhecido como Noite Ilustrada, foi um cantor, compositor e violonista brasileiro.

O pseudônimo foi dado por Zé Trindade, que comandava a revista musical Noite Ilustrada em Além Paraíba (Minas Gerais), onde o jovem Mário começou a carreira de violonista.

Vida e obra[editar | editar código-fonte]

Mudou-se para o Rio de Janeiro, onde ingressou na GRES Portela. Em 1955 foi com a escola se apresentar em São Paulo e lá se estabeleceu.

Em 1958, contratado pela Rádio Nacional e pela TV Paulista, gravou o primeiro disco, com a música Cara de Boboca. Sua carreira se estendeu até 2001, quando lançou seu último CD, "Perfil de um Sambista".

Em 1973, canta e atua no filme A Pequena Órfã. Em 1984, foi morar no Recife; em 1994, mudou-se para Atibaia (São Paulo), onde viveria até a morte, em 2003. Em 2002 recebeu o título de cidadão paulistano.[2]

O cantor deixou dois álbuns tributos inéditos, um em homenagem a Ataulfo Alves e outro a Lupicínio Rodrigues.[3]

Morte[editar | editar código-fonte]

Noite Ilustrada morreu em 28 e julho de 2003. Após se internar em 27 de junho no Hospital Novo Atibaia para o tratamento de câncer de pulmão.[2]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • O Ilustre' (1962)
  • Noite Ilustrada (1963), com "Volta por Cima", música de Paulo Vanzolini que se tornaria seu maior sucesso
  • Noite no Rio (1964), com outro sucesso, "A Flor e o Espinho", de Nélson Cavaquinho, Guilherme de Brito e Alcides Caminha
  • Caminhando (1965)
  • Depois do Carnaval (1966)
  • Noite Ilustrada (1969)
  • Samba sem Problemas (1970)
  • Noite Ilustrada (1971), com "Balada Número 7", outro grande sucesso que depois seria gravado por Moacyr Franco
  • Noite Interpreta Marques Filho
  • O Irmão do Samba (1973)
  • Samba sem Hora Marcada (1974)
  • Não Me Deixe Só (1978)
  • O Fino do Samba (1981)
  • Cada vez Melhor (1986)
  • Aplauso do Povo (1987)
  • Eu Sou o Samba (1997) - CD
  • "Perfil de um Sambista" (2001) - CD


Referências

  1. «Noite Ilustrada». Dicionário Cravo Albin de Música Brasileira. Consultado em 22 de setembro de 2011 
  2. a b «Cantor Noite Ilustrada morre em São Paulo aos 75 anos». Folha de S. Paulo. Consultado em 28 de julho de 2020 
  3. Marco Antonio Barbosa (30 de julho de 2003). «Noite Ilustrada deixa dois CDs inéditos». CliqueMusic 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.