Lupicínio Rodrigues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lupicínio Rodrigues
Informação geral
Nome completo Lupicínio Rodrigues
Nascimento 16 de setembro de 1914
Local de nascimento Porto Alegre (RS)
Brasil
Morte 27 de agosto de 1974 (59 anos)
Local de morte Porto Alegre (RS)
Nacionalidade brasileiro
Gênero(s) marchinha
samba-canção
MPB
Ocupação(ões) Compositor, cantor
Período em atividade década de 1920–1973
Afiliação(ões) Felisberto Martins, Francisco Alves

Lupicínio Rodrigues (Porto Alegre, 16 de setembro de 1914Porto Alegre, 27 de agosto de 1974) foi um cantor e compositor brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Lupi, como era chamado desde pequeno, compôs marchinhas de carnaval e sambas-canção, músicas que expressam muito sentimento, principalmente a melancolia por um amor perdido. Foi o inventor do termo dor-de-cotovelo, que se refere à prática de quem crava os cotovelos em um balcão ou mesa de bar, pede um uísque duplo, e chora pela perda da pessoa amada. Constantemente abandonado pelas mulheres, Lupicínio buscou em sua própria vida a inspiração para suas canções, onde a traição e o amor andavam sempre juntos.

De 1935 a 1947, trabalhou como bedel da Faculdade de Direito da UFRGS. Nunca saiu de Porto Alegre, apenas por alguns meses em 1939, para conhecer o ambiente musical carioca.

Boêmio, foi proprietário de diversos bares, churrascarias e restaurantes com música.

Torcedor do Grêmio, compôs o hino tricolor, em 1953: Até a pé nós iremos / para que der e vier / Mas o certo é que nós estaremos / com o Grêmio onde o Grêmio estiver. Seu retrato está na Galeria dos Gremistas Imortais, no salão nobre do clube.

Deixou cerca de uma centena e meia de canções editadas; outras centenas que compôs foram perdidas, esquecidas ou estão à espera de quem as resgate. Encontra-se sepultado no Cemitério São Miguel e Almas em Porto Alegre.

Em 4 de novembro de 2014, a Câmara Municipal de Porto Alegre concedeu o título in memoriam de Cidadão Emérito de Porto Alegre a Lupicínio Rodrigues.[2]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Aves daninhas
  • Cadeira vazia
  • Cevando o amargo
  • Ela disse-me assim
  • Esses moços, pobres moços
  • Exemplo
  • Felicidade
  • Foi assim
  • Hino do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense
  • Judiaria
  • Loucura
  • Maria Rosa
  • Migalhas
  • Nervos de Aço
  • Nunca
  • Quem há de dizer
  • Se acaso você chegasse
  • Se é verdade
  • Sozinha
  • Torre de Babel
  • Um favor
  • Vingança
  • Volta
  • Zé Ponte

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Francisco Egydio (com Walter Wanderley e Seu Conjunto) - Vive os Sucessos de Lupicínio Rodrigues - LP 1963 (Odeon)
  • Jamelão - Interpreta Lupicínio Rodrigues - LP 1972 (Continental)
  • Lupicinio Rodrigues - Gravações Originais - LP 1974 (Discos Copacabana)
  • NELSON COELHO DA CASTRO, GELSON OLIVEIRA, BEBETO ALVES, PAULO GAIGER, NEUSA ÁVILA, PERY SOUSA, NANCI ARAÚJO - Coompor Canta Lupi - LP 1989
  • Vários Interpretes Revivendo 4 CDs - CD (Cedar Revivendo)
  • Thedy Corrêa Lupcínio - CD 2005 (Orbe)

Referências

  1. Lupicínio Rodrigues
  2. Câmara Municipal de Porto Alegre (4 de novembro de 2014). «Lupicínio Rodrigues agora é Cidadão de Porto Alegre». Consultado em 30 de maio de 2018