O Acidental

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
O Acidental
Slogan O blog que a direita gosta!
Gênero Política
País de origem Portugal Portugal
Idioma(s) Língua Portuguesa
Lançamento 8 de Abril de 2004
Extinção 9 de Abril de 2006
Endereço eletrônico http://oacidental.blogspot.com/

O Acidental foi um antigo blog colaborativo português de conteúdo maioritariamente político onde escreveram diversos autores que são atualmente comentadores de programas de televisão e colunistas de alguns dos principais jornais em Portugal. Criado a 8 de Abril de 2004 pelo antigo jornalista e atual consultor de comunicação, Paulo Pinto Mascarenhas, que também fez parte do blog colaborativo português 31 da Armada. O Acidental foi encerrado a 9 de Abril de 2006, mês em que o seu fundador e primeiro autor se tornou diretor da revista Atlântico.[1]

Posicionamento[editar | editar código-fonte]

Blogue assumidamente de direita, liberal e conservador, O Acidental reuniu ao longo dos seus dois anos de existência, um grupo alargado de colaboradores das mais diversas proveniências, desde partidos com representação parlamentar, universidades, meios de comunicação social e sociedade civil. O blogue fez parte de um movimento de renovação e refrescamento da direita que se seguiu à eleição de Durão Barroso como presidente do PSD e de Paulo Portas no CDS.

Entre outras iniciativas, O Acidental teve importância de relevo na criação da iniciativa "Noites à Direita. Projecto Liberal", que teve na sua origem um grupo que reunia nomes como António Pires de Lima (antigo deputado e ex-vice-presidente do CDS), Luciano Amaral (professor universitário), Pedro Lomba (advogado), Rui Ramos (professor universitário), Filipa Correia Pinto (advogada) e Paulo Pinto Mascarenhas.[2]

Fotografia do livro "O Acidental - O blogue de que a Direita gosta", publicado em Maio de 2005 pela Hugin

Pedro Mexia escreveu sobre o blogue de direita, no Diário de Notícias, afirmando que “”O Acidental nasceu para combater o "monopólio" da esquerda“”. E acrescentava ainda que “”O Acidental surgiu num contexto em que a imprensa sublinhou o aparecimento de uma nova geração de intelectuais urbanos e trintões que se assumem descomplexadamente de direita e esboçam um espaço ideológico consistente, com alguns traços conservadores e algumas inclinações liberais“”.[3]

No blogue Acidental, que teve alguns textos dos seus autores reunidos em livro, também participou Manuel Castelo-Branco, que publicou em 2006 no blogue um dos primeiros textos públicos sobre o assassinato do seu pai, Gaspar Castelo-Branco, às mãos das FP-25 de Abril - Foi decidido esquecê-lo.

Como escreve António Araújo, no livro Da Direita à Esquerda, Paulo Pinto Mascarenhas foi o fundador de um dos mais influentes blogues da primeira geração, O Acidental, onde colaboraram inúmeros nomes que já tinham (ou viriam a alcançar) grande projeção pública: Bernardo Pires de Lima, Diogo Belford Henriques, Eduardo Nogueira Pinto, Francisco Mendes da Silva, Henrique Raposo, Inês Teotónio Pereira, João Marques de Almeida, Leonardo Ralha, Luciano Amaral, Manuel Castelo-Branco, Manuel Falcão, Nuno Costa Santos, Pedro Marques Lopes, Rodrigo Moita de Deus, Vasco Rato ou Vítor Cunha.[4]

Também Sérgio Barreto Costa, no livro "A Blogosfera Portuguesa" de 2021 refere O Acidental.[5]

Colaboradores[editar | editar código-fonte]

As origens dos vários colaboradores do blogue foram diversas, entre militantes ativos do PSD e do CDS, sendo um embrião para o aparecimento de uma nova geração de colunistas e comentadores da imprensa e televisão: Ana Albergaria, Bernardo Pires de Lima e Diogo Belford Henriques [6], Eduardo Nogueira Pinto[7], Francisco Mendes da Silva [8], Henrique Raposo [9], Inês Teotónio Pereira [10], Jacinto Bettencourt, João Marques de Almeida[11], João Vacas [12], José Bourbon Ribeiro [13], Leonardo Ralha [14], Luciano Amaral[15], Luís Goldschmidt, Manuel Castelo-Branco [16], Manuel Falcão, Nuno Costa Santos [17], Pedro Marques Lopes[18], Rodrigo Moita de Deus [19], Tiago Geraldo [20], Vasco Rato [21], Vitor Cunha[22] e o próprio Paulo Pinto Mascarenhas.

Após o encerramento do blogue, alguns dos seus autores vieram a ser também membros fundadores do blog 31 da Armada.

Referências

  1. «Revista Atlântico :: BLOGUE». revista-atlantico.blogspot.com. Consultado em 27 de fevereiro de 2022 
  2. «Repensar a direita depois de três anos ″frustrantes″». www.dn.pt. Consultado em 30 de novembro de 2021 
  3. Mexia, Pedro (11 de julho de 2005). «Nada acidental». www.dn.pt. Consultado em 17 de novembro de 2021 
  4. Araújo, António. «Da Direita à Esquerda». Público. Consultado em 17 de novembro de 2021 
  5. Costa, Sérgio Barreto (18 de fevereiro de 2021). A Blogosfera Portuguesa: Da coluna infame ao ocaso de uma era. [S.l.]: Fundação Francisco Manuel dos Santos 
  6. Secretário-Geral, Assembleia Da República- (7 de julho de 2011). «Despacho (extracto) 8948/2011, de 7 de Julho». Diários da República. Consultado em 15 de março de 2022 
  7. «Eduardo Nogueira Pinto - Sócios - Pessoas». PLMJ Transformative legal experts. Consultado em 15 de março de 2022 
  8. «Francisco Mendes da Silva | Advogado». PÚBLICO. Consultado em 15 de março de 2022 
  9. «Autores». Jornal Expresso. Consultado em 15 de março de 2022 
  10. «Autores». Dinheiro Vivo. Consultado em 15 de março de 2022 
  11. Observador. «João Marques de Almeida». Observador. Consultado em 15 de março de 2022 
  12. «João Vacas». IEP-Católica. 16 de janeiro de 2020. Consultado em 15 de março de 2022 
  13. dre.pt https://dre.pt/dre/detalhe/despacho/9039-2002-2835441. Consultado em 15 de março de 2022  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  14. «Leonardo Ralha». onovo.pt. Consultado em 15 de março de 2022 
  15. «Luciano Amaral - Colunistas - Opinião». www.cmjornal.pt. Consultado em 15 de março de 2022 
  16. Observador. «Manuel Castelo-Branco». Observador. Consultado em 15 de março de 2022 
  17. «Sistema Solar - Nuno Costa Santos». www.sistemasolar.pt. Consultado em 15 de março de 2022 
  18. «O plano de Pedro Marques Lopes para passar de ilustre desconhecido a influente». www.sabado.pt. Consultado em 26 de fevereiro de 2022 
  19. «Moita de Deus: O poder da linguagem para a ciência, tecnologia (e paz) humana». Dinheiro Vivo. 3 de fevereiro de 2022. Consultado em 15 de março de 2022 
  20. «Tiago Geraldo - Equipa». Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva & Associados, Sociedade de Advogados, Portugal. Consultado em 15 de março de 2022 
  21. «Vasco Rato». onovo.pt. Consultado em 15 de março de 2022 
  22. «Assim se vê a força do PC». Meios & Publicidade. 28 de maio de 2021. Consultado em 15 de março de 2022