Omofório

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Arcebispo maior Sviatoslav Shevchuk da Igreja Greco-Católica Ucraniana. As cinco barras horizontais em seu omofório representam sua posição como cabeça de uma igreja do Rito Oriental

Omofório (do grego ōmophórion, da junção do prefixo grego ōmo-, que significa "ombro" com o sufixo -phorion do grego tardio, derivado do grego phérein "carregar"[1] , significando "que cobre/se carrega sobre os ombros"[2] ) é uma vestimenta litúrgica usada por bispos das igrejas seguidoras do rito oriental. É uma faixa de tecido, originalmente , decorada com cruzes e vestida pelos bispos abaixo do pescoço, à volta dos ombros[2] durante os rituais litúrgicos.[3]

Simbologia[editar | editar código-fonte]

É o correspondente, nas igrejas do rito oriental, ao pálio do rito latino. Entretanto, ao contrário do pálio, que só pode ser vestido por arcebispos, o omofório é usado por todos os bispos. Por ser uma faixa, difere do pálio moderno, que é uma vestimenta circular posta sobre os ombros, mas assemelha-se ao pálio romano original. Notadamente, o omofório foi provavelmente a origem do pálio.[4]

O omofório faz parte da simbologia do Bom Pastor, ao representar a ovelha perdida tomada sobre os ombros. É um símbolo da autoridade espiritual do bispo.[5] Usualmente, quando se quer dizer que determinada instituição (paróquia, monastério, clérigo etc.) está sob jurisdição de determinado bispo ou episcopado, fala-se que a tal instituição está sob o omofório do bispo.[6]

Origens[editar | editar código-fonte]

Isidoro de Pelúsio dá testemunho de que o omofório já era utilizado como vestimenta litúrgica episcopal por volta de 400. Feito de lã, o omofório já representava à época o dever pastoral do bispo. Um livro alexandrino intitulado "Crônicas do Mundo", do século V, já apresentava o omofório em suas miniaturas. A tábua de mármore de Trier também representa a veste, assim como afrescos dos séculos VII e VIII. Nestes afrescos, os omofórios representados são basicamente idênticos aos atuais.[4]

Várias teorias foram propostas para a origem do omofório. Provavelmente o omofório episcopal originou-se do omofório civil, uma vestimenta de uso geral da Antiguidade Clássica. Os bispos podem ter introduzido uma nova vestimenta litúrgica, dando-lhe o nome de omofório. Também é possível que os bispos tenho adotado o omofório como um ornamento comum, sem significado especial que, com o tempo, associou-se à ideia do episcopado e, por fim, adquiriu o papel de um emblema episcopal.[4]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «omophorion». Dictionary.com. Consultado em 20 de março de 2011.  Ligação externa em |publicado= (Ajuda)
  2. a b «Omophorion». AllWords.com. Consultado em 20 de março de 2011.  Ligação externa em |publicado= (Ajuda)
  3. «Omophorion». Oxford Dictionary of the Christian Church. Oxford University Press in answers.com. 2006. Consultado em 20 de março de 2011.  Ligação externa em |publicado= (Ajuda)
  4. a b c Braun, Joseph (1913). "Pallium". Enciclopédia Católica. Nova Iorque: Robert Appleton Company. Consultado em 20 de março de 2011. 
  5. «Omophorion». [1]. Consultado em 20 de março de 2011.  Ligação externa em |publicado= (Ajuda)
  6. Michael (17 de fevereiro de 2011). «Most ancient of all mysteries: the Great Omophor». All of Creation Rejoices. Consultado em 20 de março de 2011.