Otto Pérez Molina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Otto Pérez Molina
Molina em Davos, Suíça, 24 de janeiro de 2013
48.º Presidente da Guatemala
Período 14 de janeiro de 2012
a 3 de setembro de 2015
Vice-presidente Roxana Baldetti (2012-2015)
Alejandro Maldonado (2015)
Antecessor(a) Álvaro Colom
Sucessor(a) Alejandro Maldonado
Ministro da Defesa da Guatemala
Período 14 de Janeiro de 2006
a 20 de Abril de 2007
Dados pessoais
Nome completo Otto Fernando Pérez Molina
Nascimento 1 de dezembro de 1950 (67 anos)
Cidade da Guatemala
Alma mater Escola das Américas
Primeira-dama Rosa Leal de Pérez
Filhos Otto Pérez Leal
Partido Partido Patriota
Religião Católico
Profissão Militar
Serviço militar
Serviço/ramo Exército
Graduação General

Fernando Otto Pérez Molina (Cidade da Guatemala, 1 de dezembro de 1950) é um general da reserva do Exército e político da Guatemala, foi presidente do seu país, de 2012 até 2015.

Presidência da Guatemala[editar | editar código-fonte]

Foi eleito Presidente da República da Guatemala para o período (2012-2016) pelo Partido Patriótico, no segundo turno das eleições presidenciais, realizadas em 6 de novembro de 2011; sua vice-presidente eleita foi Roxana Baldetti. Segundo dados oficiais do Tribunal Superior Eleitoral guatemalteco, recebeu um total de 53,86% dos votos. Seu rival foi o empresário de centro-esquerda Manuel Baldizón, que teve 45,8% dos votos. Tomou posse em 14 de janeiro de 2012.

Renúncia e Prisão[editar | editar código-fonte]

Sua vice, Roxana Baldetti, renunciou em maio de 2015, acusada de corrupção; ela negou qualquer ligação com a alegada má gestão de Monzon, que é acusado de aceitar subornos, depois de uma gravação telefônica de dois homens que falam de entregar 2,3 milhões de quetzales em dinheiro como suborno[1]. Em agosto de 2015, Baldetti foi presa, enquanto estava recebendo tratamento em um hospital, por suspeita de associação ilícita, suborno e fraude ligada ao esquema das aduaneiras conhecido como "La Linea"[2].

Molina renunciou ao cargo de presidente em 3 de setembro de 2015, em meio a um escândalo de corrupção, e foi preso horas depois.[3] Foi sucedido no cargo por Alejandro Maldonado Aguirre, que havia substituído Roxana Baldetti no cargo de vice. Ele permaneceu como presidente até 14 de Janeiro de 2016, quando foi sucedido pelo teólogo e comediante Jimmy Morales.

Referências


Precedido por
Álvaro Colom
Presidente da Guatemala
2012 – 2015
Sucedido por
Alejandro Maldonado Aguirre