Pastor-belga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Pastor-belga
Pastor-belga
Nome original Chien de berger belge
Outros nomes Pastor belga
Belgische herder
Belgischer Schäferhund
País de origem  Bélgica
Características
Peso macho 25-30 kg
Peso fêmea 20-25 kg
Altura macho 60-66 cm na cernelha
Altura fêmea 56-62 cm na cernelha
Pelo 3 variedades
Tamanho da ninhada 6-10 filhotes [1]
Expectativa de vida 12-14 anos
Classificação e padrões
Federação Cinológica Internacional
Grupo 1 - Cães pastores e boiadeiros (exceto boiadeiros suíços)
Seção 1 - Cães pastores
Estalão #15 de 13 de março de 2001

Pastor-belga[a][b](em francês: chien de berger belge) é uma raça de cães com origem na Bélgica, que possui 4 variedades com aparências bastante distintas e que não cruzam entre si. Estas são: Pastor belga Malinois, pastor belga Groenendael, pastor belga Tervueren e pastor belga Laekenois.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A documentação mais antiga do verdadeiro Pastor Belga remonta ao final de 1800, quando pessoas em países europeus estavam desenvolvendo espíritos individuais de orgulho e nacionalismo que incluíam o desenvolvimento de raças de cães que seriam identificados com sua pátria particular. Em 1891 foi fundado o Clube Pastor Belga com esta finalidade e adotou o primeiro padrão do Pastor Belga em 1893.

Pastor Belga Groenendael foi desenvolvido principalmente e promovido por Nicolas Rose, um dono de restaurante e proprietário do Chateau de Groenendael, ao sul de Bruxelas. Rose estabeleceu um canil próspero em 1893, e suas ações se tornaram a base dos belos Pastores Belgas Negros de hoje, que foram oficialmente nomeados Groenendael em 1910.

Eles determinaram que os traços perfeitos de um Cão Pastor seriam de tamanho grande, quadrados, com orelhas triangulares largas e olhos muito castanhos. É fácil ver que o Pastor Belga corresponde a esses critérios extremamente bem e é um cão impressionante. O Pastor Belga Groenendael, assim como as outras variedades de Pastores Belgas, herdou a impressionante inteligência típica de seus ancestrais, o que o fez ser considerado um dos melhores cães de trabalho que existem e, especificamente, como um magnífico cão Pastor.

Uma vez posto para trabalhar, eles adquiriram o reconhecimento oficial da raça entre 1891 e 1897. Para estes objetivos, no dia 29 de setembro de 1891, o “Clube de Cão de Pastor Belga” foi fundado em Bruxelas. Dias depois, o professor A. Reul selecionou um grupo com os melhores exemplare e reuniu em Cureghem e preparou um censo com eles. Nos anos seguintes dedicou-se ao fortalecimento da raça, selecionando-os e criando-os, para os quais não hesitou em recorrer ao cruzamento entre os mais valorizados garanhões.

No ano de 1892, em 3 de abril, o “Pastor Belga Dog Club”, escreveu o primeiro padrão da raça e admite uma única raça com três variedades de pelo. Naquela época, aquele com quem estávamos lidando era um cachorro pertencente à classe trabalhadora e carente de prestígio. Em 1901 os primeiros exemplares dos Pastores belgas viram seus nomes registrados no Livro das Origens da Société Róyale Saint Hubert, cujas iniciais são LOSH. Durante os anos seguintes os cinófilos trabalharam nas tarefas de unificação do tipo e de correção dos defeitos, o que provocou que em 1910 se estabelecesse tanto o tipo como o caráter padrão deste cão. Ao longo dos anos não fez as diferentes variedades e cores que são aceitas foram livres de controvérsia. No entanto, tem havido unificação de critérios quanto ao caráter, aptidão para o trabalho e morfologia deste animal nobre. [3]

Variedades (Identificação de raças)[editar | editar código-fonte]

No país de origem, em 1891 o professor Adolphe Reul, considerado o criador da raça, que frequentou a Escola Veterinária de Cureghem, estudou todos os cães de pastoreio da Bélgica e estabeleceu essas quatro variedades como raças diferentes.[4] Contudo, a Federação Cinológica Internacional (FCI), sediada na Bélgica, estabelece que o pastor belga é uma única raça dotada de quatro variedades.[5] [6][7]

Pastor belga malinois

Malinois[editar | editar código-fonte]

(pronuncia: Malinoá) De pelagem dourada, curta e lisa, é nativo da região de Malines e tido como um dos mais comuns entre seus parentes. De todos, é o mais próximo do pastor alemão e do holandês de pelo liso. Conhecido pelo vigor, foi o primeiro dos belgas a ser descrito. o Malinois figura no Guiness Book como o maior cão farejador de drogas de todos os tempos. Com tanta habilidade, só podia ser mesmo a raça escolhida pelo Serviço Secreto para guardar a Casa Branca nos EUA. Um verdadeiro astro. [8]

Groenendael[editar | editar código-fonte]

(pronuncia: Grunendaal. Em francês.) De pelagem negra, alongada, macia e abundante até as pernas, começou a ser criado por volta da década de 1890 quando Nicholas Rose, dono do Café du Groenendael, cruzou um exemplar negro e obteve outro, considerados então base desta variedade.

Tervueren[editar | editar código-fonte]

(pronuncia: Terviurrenn. Em francês.) É majoritariamente classificado como raça separada, tornou-se popular quando começou a ser usado como farejador de entorpecentes.[6] Possui pelagem longa, abundante e macia, com colaração em tons de preto com dourado/amarelo claro.

Laekenois[editar | editar código-fonte]

(pronuncia: Lekenoá) O mais raro, tem a aparência felpuda e rústica, de pelagem densa e ondulada. Predileto da rainha Maria Henriqueta da Bélgica, possui o nome vindo do Castelo de Laeken. Fácil de adestrar, assim como os demais, é visto como excelente companheiro. Idílio the famour.

Bobettely[editar | editar código-fonte]

(pronuncia: Bóbetili em Paulistense) É um tipo criado no nordeste do Brasil que resulta do cruzamento entre duas raças de cães, tais como Rottweiler e Pastor Belga. São dócis, carinhosos, brincalhões, bobinhos e adoram crianças. Podem crescer até 1m20cm. Se alimentam de ração específica para a idade ou de carne de galinha com pirão de fubá.

Características gerais[editar | editar código-fonte]

Independente das diferenças, os belgas são considerados campeões na realização de várias atividades: provas de obediência, campeonatos de agility, pastoreio de ovelhas, flyball, exposições de beleza, cão de companhia e guarda; o que os tornaram populares em todo o mundo, apesar das baixas das expectativas no início. Segundo estudos, nos belgas é vista a variedade de pelagens que remonta à época em que cães eram utilizados em trabalho, cães funcionais.[6]

Bem como o temperamento e as qualidades físicas, os belgas podem ter alguns problemas de saúde: podem desenvolver displasia, epilepsia, atrofia progressiva da retina e pannus.[9]

A raça Pastor Belga estabeleceu-se definitivamente no ano de 1897, depois de uma série de cruzamentos entre diversos exemplares dedicados ao pastoreio que se iniciou em 1891.

Visão geral das variedades[editar | editar código-fonte]

Abaixo imagens das 5 variedades desta raça:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Pastor-belga


Ícone de esboço Este artigo sobre cães é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.