Pastorinhos de Fátima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Monumento do Anjo de Portugal com os três pastorinhos no local das suas aparições nos Valinhos.

Os Pastorinhos de Fátima[1], também conhecidos como Os Três Pastorinhos, foram as três crianças portuguesas nascidas na pequena aldeia de Aljustrel[2] que viveram e testemunharam as aparições do Anjo de Portugal e de Nossa Senhora, ocorridas entre 1916 e 1917, na Cova da Iria, em Fátima.

Os seus nomes eram:

Os pastorinhos tiveram durante o ano de 1916, três aparições de um Anjo, identificando-se como o Anjo da Paz ou Anjo de Portugal. O relato dessas aparições permaneceu em segredo, até Lúcia as divulgar pela primeira vez em 1937, na designada obra Memórias da Irmã Lúcia I. A narração é mais completa dos restantes acontecimentos e o texto definitivo das orações do Anjo foi, posteriormente, publicado na obra Memórias da Irmã Lúcia II, escrita em 1941.

Em 1917, as crianças assistiram a seis aparições de Nossa Senhora, entre 13 de Maio e 13 de Outubro.

No dia 23 de março de 2017, a Santa Sé anunciou que o Papa Francisco aprovou o milagre necessário para a canonização dos Beatos Francisco e Jacinta Marto, videntes de Fátima.[3] Logo a Conferência Episcopal Portuguesa congratulou-se com essa mesma notícia, sobretudo pela «feliz coincidência» desta ter sido dada em pleno ano das celebrações do centenário das aparições de Fátima.[4]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pastorinhos de Fátima