Pequena Central Hidrelétrica Nova Dorneles

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
PCH Nova Dorneles
Localização
Localização Passa Tempo, Minas Gerais,  Brasil
Rio Pará
Coordenadas 20°32'47"S, 44°32'18"W
Dados gerais
Proprietário Ferlig[1]
Período de construção 2009-2010
Data de inauguração 2010
Dados da barragem
Tipo barragem, central hidroeléctrica
Altura 1,6[2] m
Reservatório
Área alagada 0.090[2] km²
Capacidade de geração 4,70[1] Megawatt-hora

PCH Nova Dorneles é uma pequena central hidrelétrica (PCH) instalada no rio Pará no município de Passa Tempo, em Minas Gerais. A PCH pertence à empresa Ferro Liga Ltda e a energia gerada é destinada à autoprodução de energia (APE).[1] A capacidade instalada de geração da usina é de 4,70 MW. Por ter potência instalada superior a 3.000 kW e igual ou inferior a 30.000 kW, a usina é classificada como pequena central hidrelétrica (PCH).[3]

A PCH Nova Dorneles foi uma expansão da antiga PCH Dorneles, que possuía capacidade de geração de 1,2 MW. Para isso, foi necessária substituição das duas turbinas e outras adaptações na usina, como expansão do canal de adução. As obras de expansão se iniciaram em janeiro de 2009 e terminaram em outubro de 2010.[4]

Características da usina[editar | editar código-fonte]

A hidrelétrica é do tipo fio d’água. O empreendimento compreende as seguintes estruturas:[2]

  • Barramento de concreto, com 60,0 metros de largura e 1,6 metros de altura. A barragem inunda uma área de aproximadamente 90.000 metros quadrados dentro do município de Passa Tempo.
  • Vertedouro: A barragem é do tipo vertente, com um vertedouro de 60,0 metros de largura, suficiente para permitir a passagem da cheia milenar (Q1.000 = 337 m³/s), com sobre elevação de aproximadamente 2,0 metros.
  • Canal de adução: Construída em concreto, com comprimento de 600 metros.
  • Tomada d’água: Construída em concreto, com comporta de fechamento deslizante, com a vazão máxima turbinada de 17,89 m³/s e nível mínimo operacional do reservatório de 821,25 m.
  • Casa de máquinas: A casa de força abriga duas turbinas e dois geradores. As duas turbinas são do tipo Francis, com eixo horizontal e potência unitária de 2.610 kVA.
  • Canal de fuga: O novo canal de fuga tem aproximadamente 45 metros de comprimento.

Em relação ao trecho de vazão reduzida (TVR), o empreendimento possui uma particularidade devido à existência de duas ilhas entre o barramento e o novo canal de fuga. Essas ilhas fazem com que o TVR seja variável entre 484 metros na margem direita das ilhas e 673 metros na margem esquerda das ilhas.[2]

Referências

  1. a b c «BIG - Banco de Informações de Geração». Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL. 29 de outubro de 2016. Consultado em 29 de outubro de 2016. 
  2. a b c d «Parecer Único SUPRAM Alto São Francisco 465500/2011» (PDF). Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - SEMAD. 8 de julho de 2011. Consultado em 29 de outubro de 2016. 
  3. «Resolução Normativa nº 673» (PDF). Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL. 4 de agosto de 2015 
  4. «Relatório de Cumprimento de Condicionantes – Of. /Nº 138/2011» (PDF). Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - SEMAD. 13 de outubro de 2011. Consultado em 29 de outubro de 2016. 
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.