Piancó

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Piancó
"Princesa do Vale"
Bandeira de Piancó
Brasão de Piancó
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 8 de novembro
Fundação 8 de novembro de 1748 (269 anos)
Gentílico piancoense
Prefeito(a) Daniel Galdino de Araujo Pereira (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Piancó
Localização de Piancó na Paraíba
Piancó está localizado em: Brasil
Piancó
Localização de Piancó no Brasil
07° 11' 52" S 37° 55' 44" O07° 11' 52" S 37° 55' 44" O
Unidade federativa Paraíba
Região
intermediária

Patos IBGE/2017[1]

Região
imediata

Itaporanga IBGE/2017[1]

Região metropolitana Vale do Piancó
Municípios limítrofes Aguiar, Coremas, Emas, Igaracy, Itaporanga, Olho d'Água e Santana dos Garrotes.
Distância até a capital 395 km
Características geográficas
Área 564,730 km² [2]
População 16 039 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 28,4 hab./km²
Altitude 264 m
Clima semi-árido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,634 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 65 377,690 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 005,74 IBGE/2008[5]

Piancó é um município brasileiro do estado da Paraíba, localizado na Região Metropolitana do Vale do Piancó. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2016 sua população era estimada em 16.039 habitantes e sua área territorial é de 564 km². Sendo umas das cidades mais antigas do estado da Paraíba, com 266 anos de emancipação política, Piancó destaca-se por ser o marco da Coluna Prestes e o lugar onde tombou o corpo do maior bandeirante/sertanista de todos os tempos; Domingos Jorge Velho, o paulista que desafiou os limites dos perigosos e selvagens sertões sul-americanos muito antes de haver as marchas para o oeste em qualquer uma das Américas.

Piancó é, também, o município sede da 7ª gerência Regional de saúde do estado da Paraíba.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1800, precisamente no dia 18 de setembro, Francisco Dias Gomes, senhor da casa da Torre e proprietário a mais de três décadas de uma fazenda de gado existente na referida localidade, denominada Pinho Sol, cedeu boa parte dessas terras para formar o patrimônio da segunda igreja, dedicada a Santo Agostinho, erguida às margens do Rio Piancó, com uma arquitetura invejável, mantida até os dias atuais. Representou o doador durante o ato jurídico de transferência de bens, o Mestre de Campo Pedro Alves Cabral (filho do fundador da povoação Francisco de Paulo) e como curador e administrador da beneficiária o Sargento-Mor Manuel da Silva Passos. Esse acontecimento é tido como o marco oficial da oficialização da fundação de Piancó, motivo pelo qual a data é anualmente lembrada com diversas comemorações.

A emancipação política foi conquistada em 11 de novembro de 1871, recebendo a denominação de Vila Constitucional de Santo Antonio de Piancó. Sua instalação oficial se deu no dia 2 de maio de 1832. Já a Comarca foi criada pela lei provincial 250, de 9 de outubro de 1884, suprimida por decreto de 17 de abril de 1890 e restaurada pela lei nº 8, de 15 de dezembro de 1892. O retrocesso voltou a ser registrado pôr pouco tempo, no ano de 1916, quando nova supressão veio a ocorrer por iniciativa do Padre Otaviano, chefe de política dominante, em represália ao Juiz de Direito da época, que acabou removido, trazendo em conseqüência a normalização do trabalho forense.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005[6]. Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca.

Clima[editar | editar código-fonte]

Dados do Departamento de Ciências Atmosféricas, da Universidade Federal de Campina Grande, mostram que Piancó apresenta um clima com média pluviométrica anual de 915.7 mm e temperatura média anual de 26.5 °C.

Dados climatológicos para Piancó
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 34,3 33,3 32,5 32,1 31,5 30,9 31,1 32,6 34,0 35,1 35,5 35,2 33,2
Temperatura média (°C) 27,7 26,9 26,4 26,2 25,6 24,9 24,8 25,5 26,7 27,6 27,9 28,0 26,5
Temperatura mínima média (°C) 22,1 21,8 21,7 21,4 20,8 19,8 19,2 19,2 20,2 21,1 21,7 22,1 20,9
Precipitação (mm) 81,5 170,0 242,8 185,1 89,5 33,5 17,0 9,4 5,1 12,5 22,2 35,3 915,7
Fonte: Departamento de Ciências Atmosféricas.[7][8][9][10]

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Centro
  • Maria Nazaré Remigio
  • Mondionça
  • Govenador Antonio Mariz
  • Campo Novo
  • Ouro Branco
  • São Vicente
  • Mutirão
  • Piancozinho
  • Caixa d'água
  • Belo Horizonte
  • Socorro Brasilino
  • Santo Antônio
  • Padre Luciano
  • Cassaco

Saúde[editar | editar código-fonte]

Piancó é destaque em saúde, com a melhor estrutura do vale do Piancó, oferecendo serviços que atendem toda a região.

  • Consórcio Intermunicipal de Saúde
  • Hospital Regional Wenceslau Lopes (Com oito leitos de UTI)
  • Hospital Infantil de Piancó
  • UPA 24h - Unidade de Pronto Atendimento
  • CAPS AD 24h
  • CAPS TM
  • CAPS I
  • SAMU 192 - Central de Regulação (Atendendo 23 municípios)
  • Centro Especializado em Reabilitação (CER II)

Rádio[editar | editar código-fonte]

Piancó dispõe de duas emissoras de rádio em estação FM e uma comunitária:

  • Radio Cidade, FM 95,5
  • Radio Nativa, FM 87,9
  • Serviço de Alto Falantes "A Voz do Vale"

A Voz do Vale, como é chamada, foi o primeiro meio de comunicação da cidade de Piancó. Fundada em 1981.

Telefonia Móvel e Fixa[editar | editar código-fonte]

O município de Piancó dispõe de atendimento de três operadoras de Telefonia Móvel:

Claro, que dispõe de serviços 2G e 3G, último desde 25 de Novembro de 2015.

TIM, que dispõe apenas de serviços 2G e 4G, último desde 10 de Outubro de 2017.

VIVO, que dispõe de serviços 3G, desde 08 de Junho de 2017.

Telefonia Fixa:

Somente a Oi atende o município com serviços de Telefonia Fixa .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Padre Aristides e a Coluna Prestes

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 17 de agosto de 2017.. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2017 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  6. «Ministério da Integração Nacional, 2005. Nova delimitação do semiárido brasileiro» .
  7. «Temperatura Máxima Mensal e Anual da Paraíba». Departamento de Ciências Atmosféricas. 1911–1980. Consultado em 13 de julho de 2018.. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  8. «Temperatura Compensada Mensal e Anual da Paraíba». Departamento de Ciências Atmosféricas. Consultado em 13 de julho de 2018.. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  9. «Temperatura Mínima Mensal e Anual da Paraíba». Departamento de Ciências Atmosféricas. Consultado em 13 de julho de 2018.. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 
  10. «Precipitação Mensal». Departamento de Ciências Atmosféricas. 1911–1990. Consultado em 13 de julho de 2018.. Cópia arquivada em 11 de junho de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]