Prémio Nacional de Narrativa (Espanha)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Prêmio Nacional de Literatura na modalidade de Narrativa é um prémio literário com uma longa trajectória que é entregue anualmente pelo Ministério de Cultura de Espanha.

Premeia a melhor obra na modalidade de narrativa escrita por um autor espanhol, em qualquer dos idiomas espanhóis, entre todas as obras deste género publicadas em Espanha no ano anterior, na sua primeira edição. Está dotado com 20.000 euros.

É um prémio de longa trajectória, já que tem os seus antecedentes na Ordem de criação do Ministério da Governação de 25 de janeiro de 1949.

A sua configuração actual data de 1977. Os seus mais de trinta anos de história permitiram-lhe assistir à renovação do romance espanhol.

Vencedores[editar | editar código-fonte]

1ª época do galardão: Prémio Nacional de Literatura[editar | editar código-fonte]

2ª época do galardão: Prémio Nacional de Literatura "Miguel de Cervantes" de narrações [editar | editar código-fonte]

3ª época do galardão: Prémio Nacional de Narrativa[editar | editar código-fonte]

Autores que obtiveram em duas ocasiões o Prémio Nacional de Narrativa[editar | editar código-fonte]

Autores que obtiveram com a mesma obra o Prémio Nacional de Narrativa e o Prémio da Crítica de narrativa castelhana[editar | editar código-fonte]

  • 1959: Ana María Matute, por Los hijos muertos
  • 1966: Ignacio Agustí, por 19 de julio
  • 1986: Luis Mateo Díez (1º), por La fuente de la edad
  • 1987: Antonio Muñoz Molina por El invierno en Lisboa
  • 1989: Luis Landero, por Juegos de la edad tardía
  • 1999: Luis Mateo Díez (2º), por La ruina del cielo
  • 2000: Juan Marsé, por Rabos de lagartija
  • 2004: Alberto Méndez, por Los girasoles ciegos
  • 2005: Ramiro Pinilla, por Verdes valles, colinas rojas III. Las cenizas del hierro
  • 2013: Rafael Chirbes, por En la orilla

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências