Manuel Vásquez Montalbán

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manuel Vásquez Montalbán
Data de nascimento 14 de junho de 1939
Local de nascimento Barcelona, Espanha
Nacionalidade Espanha Espanhol
Data de morte 18 de outubro de 2003 (64 anos)
Local de morte Banguecoque, Tailândia
Ocupação Escritor, jornalista, poeta e novelista
Magnum opus Assassinato no comité central
Página oficial Prémio Letras Españolas (1995)

Manuel Vázquez Montalbán (Barcelona, 14 de Junho de 1939Banguecoque, Tailândia, 18 de Outubro de 2003) foi um escritor, jornalista, poeta e novelista espanhol.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O seu pai, Evaristo Vázquez, republicano exilado em França, entrou clandestinamente em Espanha para conhecer o filho recém-nascido e foi preso. Enquanto estudava jornalismo, Montalbán trabalhou como cobrador de uma casa funerária e deu aulas no seu bairro. Estudou Filosofia e Letras na Universidade Autónoma de Barcelona.

O seu primeiro trabalho profissional foi uma biografia do Cid. Em 1960 foi chefe nacional de propaganda do Servicio Universitário del Trabajo e depois colaborador interno da imprensa do Movimiento. Em 1961 casou com Ana Sallés e depois passou um ano e meio na prisão por ter participado numa manifestação. Ali escreveu o seu ensaio Informe sobre la información (1963). Entre 1963 e 1969 foi-lhe proibido o acesso aos meios de comunicação, e foi-lhe retirado o passaporte até 1972.

Participou na revista CAU (1970-74) e foi colaborador fixo da Triunfo e animador indiscutível das revistas Mundo Obrero, La Calle e Interviú. Em 1977 ingressou no Comité Central do Partido Socialista Unificado da Catalunha.

Montalbán é o criador do detetive galego Pepe Carvalho, protagonista de uma série policial que se passa em Barcelona. Escreveu ainda livros de poesia e vários ensaios. Publicou também a Autobiografia do General Franco (1992).

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Recordando a Dardé, 1969
  • Crónica sentimental de España, 1971
  • Yo maté a Kenedy, 1972
  • A la sombra de las muchachas sin flor, 1973
  • Happy End, 1974
  • Tatuaje, 1975
  • La soledad del mánager, 1977
  • Los mares del Sur, 1979 - (Distinguido com o Prémio Planeta, 1979)
  • Manifesto subnormal, 1979
  • Assassinato no comité central - no original Asesinato en el Comité Central, 1981
  • Los pájaros de Bangkok, 1983
  • La rosa de Alejandría, 1984
  • El pianista, 1985
  • Praga, 1985
  • El balneario, 1986
  • Los alegres muchachos de Atzavara, 1987
  • El delantero centro fue asesinado al atardecer, 1989
  • Pêro el viajero que huye, 1990
  • Galindez, 1990
  • Movimiento sin êxito, 1990
  • El laberinto griego, 1991
  • Autobiografia del General Franco, 1992
  • Sabotaje olímpico, 1993
  • El hermano pequeño, [1994]]
  • El Premio, 1996
  • O quinteto de Buenos Aires - no original Quinteto de Buenos Aires, 1997
  • El hombre de mi vida, 2000
  • Milenio Carvalho, 2004

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Manuel Vásquez Montalbán
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.