Quarentena (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Quarantine
Quarentena (PT/BR)
 Estados Unidos
2009 • cor • 90 min 
Direção John Erick Dowdle
Produção John Erick Dowdle
Roteiro John Erick
Drew Dowdle
Elenco Jennifer Carpenter
Steve Harris
Jay Hernandez
Johnathon Schaech
Género terror, suspense
Distribuição Brasil Sony Pictures[1]
Lançamento Brasil 16 de janeiro de 2009[1]
Idioma inglês
Cronologia
Último
Último
Quarantine 2: Terminal
Próximo
Próximo
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Quarantine (Quarentena no Brasil e em Portugal) é um filme americano, remake do filme espanhol REC (2007). Estreou no Brasil no início de 2009.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Uma repórter de TV chamada Angela Vidal (Jennifer Carpenter) e seu cameraman (Steve Harris) são designados para passar a noite na central do corpo de bombeiros de Los Angeles. Após uma chamada de emêrgencia, eles vão para um prédio suburbano. Logo descobrem que uma senhora do prédio foi infectada por algum vírus desconhecido. Quando outros moradores começam a sofrer ataques, o pânico é instaurado. A polícia interdita o edifício - mesmo sabendo que ainda há pessoas lá. Refilmagem do terror espanhol [Rec], de Jaume Balagueró.[2]

Elenco[editar | editar código-fonte]

O vírus[editar | editar código-fonte]

A infecção mostrada no fime tem a ver com a raiva, que diferente da realidade, possui maiores e aterrorizantes proporções. O contato com a saliva ou com o sangue da pessoa ou do animal infectado contamina quem for atacado, e o tempo para o vírus começar a agir varia dependendo do tipo sanguíneo. O contágio deu início quando o cientista religioso roubou o vírus do centro de pesquisas de Boston e o levou para ser estudado em seu apartamento isolado, no condomínio. Os ratos infectados, consequencia de testes, levaram a infecção aos gatos de uma idosa e ao cachorro de uma garota, contaminando ambas.

Diferenças do filme original[editar | editar código-fonte]

Apesar do contexto quase idêntico ao de REC, na versão espanhola o vírus possui proporções além do normal, ligadas à possessão demoníaca. Enquanto em Quarentena o prédio é infestados apenas de pessoas doentes, em [REC] os moradores se tornam criaturas demoníacas e com habilidades sobrenaturais. Ao mesmo tempo, a origem do vírus também é diferente. Na versão americana o monstro visto no fim é o cientista infectado, mas na versão original, a criatura era na verdade a menina medeiros infectada e levada para o prédio (Maria de Medeiros), que deu início à propagação viral.

A sequência[editar | editar código-fonte]

Em março de 2010, a Screen Gems anunciou quem John Pogue dirigiria a continuação, que focaliza o lacre de um aeroporto. A história não será como a continuação de REC], REC 2, lançada em 2009, que se passa alguns minutos após o término do primeiro filme. Mercedes Masohn e Josh Cooke estarão em Quarentena 2: O Terminal, que será lançado em 2011, diretamente em vídeo.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências