Renée Richards

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Renée Richards
Nascimento 19 de agosto de 1934 (85 anos)
Nova Iorque
Residência Condado de Putnam
Cidadania Estados Unidos
Estatura 188 centímetros
Alma mater Universidade Yale, Horace Mann School, Universidade de Rochester
Ocupação tenista, cirurgiã, oficial, oftalmologista, médica, autobiógrafo, acadêmico, treinador de tênis, escritora

Renée Richards (Nova Iorque, 19 de agosto de 1934) é uma ex-tenista transexual estadunidense, que chegou a ocupar o top 20 na década de 70 após mudar de sexo.

No ano 2000, ela foi incluída no USTA Eastern Tennis Hall of Fame.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Nascido com o nome de Richard Raskind, em 1934, o jovem foi um dos melhores juvenis no fim da década de 40 e capitão do time de tênis de seu colégio. Richard também liderou a equipe da universidade de Yale em 1954. O rapaz ainda se alistou, depois, na Marinha americana.Erro de citação: Elemento de abertura <ref> está mal formado ou tem um nome inválido

Em 1960, disputou a chave masculina do US Open, do qual foi derrotado já na primeira rodada. Em 1975 se submeteu a uma cirurgia de mudança de sexo. Em 1977, precisou de uma ação na Suprema Corte de Nova York para garantir seu direito de disputar novamente o US Open - porém, desta vez, na chave feminina - o qual foi derrotada também na primeira rodada.[2]

Renée Richards é uma oftalmologista americana e ex-jogadora de tênis que teve algum sucesso na década de 70 e se tornou mundialmente conhecida após a cirurgia de redesignação de sexo do masculino para o feminino,após a cirurgia bem sucedida ela lutou pelos seus direitos e tentou competir no U.S open de 1976,nesse ano a USTA começou a exigir exames genéticos para as atletas.

Ela desafiou essa política e a suprema corte de Nova Iorque decidiu a seu favor, um caso que deu notoriedade ao direitos dos transgêneros.

Como uma das primeiras atletas profissionais transgêneras, ela se tornou porta-voz de atletas transexuais, em 2000 ela foi incluída no hall da fama do tênis, não só pelas jogadas e sim por ter vencido os preconceitos e conquistando seu espaço e reconhecimento.

Após sua aposentadoria como jogadora ela virou treinadora da Martina Navratilova que ganhou dois títulos de Wimbledon.

Em 1983 Richards publicou Second Serve sua autobiografia, em 2007 lançou No Way Renée: The Second Half Of My Notorius Life, onde ela fala do arrependimento sobre o tipo de fama que o transgenerismo trouxe a ela, que não se arrepende da cirurgia de redesignação mas sim do tipo de situação preconceituosa que ela teve que passar por ser ela mesma,o primeiro livro de Richards serviu de base para o filme principal do Tribecca film Festival de 2011 e conta a história de superação dela  

   


Prêmios e Honrarias[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Prange, Peter. «Simon & Schuster: Renee Richards – Biography». Simonsays.com. Consultado em 19 de março de 2011 
  2. uol.com.br/ Os dez casos mais extraordinários do tênis
  3. Prange, Peter. «Simon & Schuster: Renee Richards – Biography». Simonsays.com. Consultado em 19 de março de 2011