Riad Ismat

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Riad Ismat
Nascimento 11 de julho de 1947
Damasco, Síria
Morte 13 de maio de 2020 (72 anos)
Chicago, Estados Unidos
Cidadania República Síria, República Árabe Unida, Síria
Alma mater Universidade de Cardife, Universidade de Damasco
Ocupação escritor
Religião Islã
Causa da morte COVID-19

Mohammad Riad Hussain Ismat 'Riad' Ismat (em árabe: رياض عصمت , رياض عصمت)‎; (Damasco, 11 de julho de 1947 – Chicago, 13 de maio de 2020) foi um escritor, diplomata, professor, crítico literário, e diretor de teatro sírio. Foi Ministro da Cultura da Síria[1] de 3 de outubro de 2010 a 23 de junho de 2012.[2][3][4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Estudou na Síria, onde em 1968 graduou-se com uma licenciatura em literatura inglesa.

Em 2000, tornou-se no Reitor da Academia de Arte Dramática, após anos de ensino.[5] Em 2003, Ismat converteu-se em Director Geral da Rádio e Televisão Estatal síria, e depois ocupou o cargo de vice-ministro de Cultura sírio. Em 2005, foi nomeado embaixador no Paquistão e em 2010, embaixador sírio em Qatar. Em outubro de 2010, Ismat foi nomeado Ministro de Cultura, servindo nessa posição até o 23 de junho de 2012.[6] De 2013 a 2014, desempenhou funções como convidado do Buffett Center na Universidade de Northwestern.

Morreu no dia 13 de maio de 2020 em Chicago de COVID-19.[7]

Diplomas[editar | editar código-fonte]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Ismat dirigiu mais de quinze produções teatrais, incluindo interpretações de Shakespeare, Tennessee Williams, e Frank Wedekind, além de produzir sua própria visão pessoal das 1001 Noites.[8] Fundou a primeira companhia de mimos, em Damasco, e ensinou mímica, actuação e direcção na Academia Síria de Arte Dramática.[9] Ali ensinava o método de actuação baseado em Stanislavsky.[10]

Seu grande avanço como dramaturgo chegou com The Game of Love & Revolution; entre suas obras dramáticas mais conhecidas encontram-se: Was Dinner Good, dear sister, Mourning Becomes Antigone, Sinbad, Shahryar's Nights, Abla & Antar, Mata Hari e Em procura de Zenobia. Ismat também dirigiu sua própria trilogia televisiva para a televisão síria, "The Artist & Love", 1985.

Publicações[editar | editar código-fonte]

Ismat publicou 36 livros, incluindo contos e vários livros sobre o drama árabe e mundial. Também escreveu um livro sobre o Prémio Nobel Naguib Mahfouz e um livro sobre cinema. Como roteirista de televisão, tem escrito guiões para sete séries de televisão.[11]

Premiações[editar | editar código-fonte]

  • 1993: Deutsche Welle da Alemanha ao melhor conto breve árabe.

Como membro[editar | editar código-fonte]

  • Júri de vários festivais internacionais de teatro e cinema.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Ismat foi casado com Azza Qanbaz, e tem dois filhos.

Referências