Richard Musgrave

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Richard Musgrave
Nascimento 14 de dezembro de 1910
Königstein im Taunus
Morte 15 de janeiro de 2007 (96 anos)
Santa Cruz
Cidadania Alemanha, Estados Unidos
Alma mater Universidade Harvard
Ocupação economista
Prêmios Bolsa Guggenheim
Empregador Universidade de Michigan, Universidade Harvard

Richard Abel Musgrave (14 de dezembro de 1910 – 15 de janeiro de 2007) foi umeconomista americano, de ascendência alemã.[1] Seu maior trabalho citado é A Teoria das Finanças Públicas (1959), descrito como "o primeiro tratado do campo na língua inglesa."[2] e "uma grande contribuição para o pensamento do financiamento público."[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Início da vida[editar | editar código-fonte]

Musgrave nasceu em Königstein im Taunus, Alemanha, na família do escritor e tradutor Curt Abel Musgrave, um farmacêutico de profissão. Seu avô paterno (professor de linguística em Berlim, Instituto Humboldt Carl Abel) e sua avó materna eram Judeus, mas ele se converteu ao Cristianismo.[4]

Ele dedicou-se ao campo da literatura, com um interesse em se tornar um diretor de teatro, estoudou filosofia e  economia nas Universidades de Munique e Heidelberg (Diplom-Volkswirt, 1933), em seguida, em Harvard (Ph. D., 1937).[5] Depois disso, ele passou quatro anos como um economista pesquisador do Federal Reserve e lecionou em várias universidades americanas, incluindo a Universidade de Michigan, onde ele trabalhou em seu tratado de 1951 a 1959.[6] Serviu como conselheiro do governo e voltou a Harvard, em 1965, como professor de Economia Política na faculdade de Artes e Ciências e na faculdade de Direito. Ele também foi editor do Jornal Trimestral da Economia. Seu livro A Teoria das Finanças Públicas (1959), continua a ser um dos principais teóricos do trabalho. Finanças públicas Teoria e Prática (1973), em co-autoria com sua esposa, Peggy Brewer Musgrave, foi um dos líderes como livro didático por muitos anos.

Carreira em economia[editar | editar código-fonte]

Martin Feldstein o citou no obituário do New York Times  (20 de Janeiro de 2007) "Richard Musgrave transformou a economia nos anos 1950 e 1960, a partir de um descritivo e assuntos institucionais, para os quais usou as ferramentas de Microeconomia e Macroeconomia  Keynesiana para entender o efeito dos impostos." Musgrave publicou seu artigo seminal, "Troca Voluntária Teoria da Economia Pública", no Quarterly Journal of Economics, em 1939. Paul Samuelson viria a converter este a partir de uma teoria positiva para uma teoria normativa.

É a partir de 1939, no paper de "Trocas Voluntárias e  Teoria da Economia Pública", que o quadro das três funções de Musgrave se origina. Este quadro é a sugestão de que a atividade do governo deve ser separada em três ramos de funções, "a estabilização macroeconômica",  "a redistribuição de renda" e "a alocação de recursos".

A estabilização, é assegurar a realização de elevadas taxas de emprego e a estabilidade de preços, a distribuição é alcançar uma distribuição equitativa de renda, e a alocação é garantir que os recursos sejam utilizados de forma eficiente.

Esta divisão conceitual das responsabilidades do governo nos permite restringir o escopo de inquérito sobre o imposto de cessão, indicando que as três funções são mais apropriadamente atribuídas aos diversos níveis de governo. O restante da presente seção centra-se sobre as implicações do quadro dos três ramos, da atribuição das fontes de receitas entre os níveis de governo, e especialmente da atribuição entre o governo central e do segundo escalão dos governos.

Em seu artigo, "Uma Teoria Múltipla da Determinação do Orçamento", publicado em Finanzarchiv 1957, Musgrave introduziu o conceito econômico de bom mérito (e mais tarde, bom demérito). O conceito tem sido amplamente discutido, e foi bastante controverso na teoria econômica.

Seu plano de fundo nas escolas de economia política,  Alemão, Austríaca, italiano e sueco mais a exclusiva contribuição alemã de Finanzwissenschaft, ou fiscal de sociologia, deu-lhe uma posição única para fazer uma contribuição para o pós-guerra, na teoria das finanças do governo.

Elogios[editar | editar código-fonte]

Musgrave, foi eleito membro da Academia Americana de Artes e Ciências, membro honorário da Associação do Imposto Nacional, e Presidente honorário do Instituto de Finanças Públicas (1978). Premiado com o Frank E Seidman prêmio em Economia Política (1981), doutor honoris causa de Alleghany college, da Universidade de Heidelberg, na Universidade de Milão, Universidade de Michigan e da Universidade de Munique, ele foi professor emérito de Harvard, até a sua morte, e Professor adjunto na Universidade da Califórnia em Santa Cruz.

Musgrave, foi designado um Distinto Companheiro pela American Economic Association, em 1978, junto com William S. Vickrey. Uma declaração a seguir se refere a ele como "o indiscutível pai da moderna Economia da Organização Industrial ."[7]

O Instituto Internacional de Finanças Públicas, criou um prêmio, em 2003, para comemorar o trabalho realizado por Richard e sua esposa.[8]

Pessoal[editar | editar código-fonte]

Ele morreu em 15 de janeiro de 2007, em Santa Cruz, Califórnia.[9]

Trabalhos selecionados[editar | editar código-fonte]

  • Buchanan, James M. & Musgrave, Richard A. Public Finance and Public Choice: Two Contrasting Visions of the State. [S.l.: s.n.]  Descrição e capítulo-visualização de links.
  • Musgrave, Richard A. The Theory of Public Finance: A Study in Public Economy. [S.l.: s.n.] 
  • Musgrave, Richard A. & Musgrave, Peggy B. Public Finance in Theory and Practice. [S.l.: s.n.] 
  • Musgrave, R. A. «Public finance». The New Palgrave Dictionary of Economics. [S.l.: s.n.]  Resumo.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Peter Mieszkowski, updated by the editors, 2008. "Musgrave, Richard Abel (1910–2007)," The New Palgrave Dictionary of Economics, 2nd Edition. Abstract.
  2. «The Theory of Public Finance». Southern Economic Journal. 26 
  3. Shoup, Carl S. (1959). "The Theory of Public Finance: A Review Article," American Economic Review, 49(5): 1018-1029.
  4. Hans Werner Sinn, On the European Roots of Richard Abel Musgrave
  5. Peggy B. Musgrave (2009). "Remembering Richard Musgrave, 2010-2007," in Reform in the 21st Century: A Volume in Memory of Richard Musgrave, p. 4.
  6. Richard A. Musgrave (1959). The Theory of Public Finance, p. ix.
  7. (1979). "Richard A. Musgrave: Distinguished Fellow 1978," American Economic Review, 69(3), [2 unnumbered front pages] (via JSTOR).
  8. «Peggy and Richard Musgrave Prize» 
  9. «Richard Musgrave, renowned pioneer of public finance, dies at 96». UC Santa Cruz [ligação inativa] 

Links externos[editar | editar código-fonte]