Rogério Buratti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2011). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rogério Buratti
Nome completo Rogério Tadeu Buratti
Nascimento 10 de fevereiro de 1963 (55 anos)
São Paulo, SP  Brasil
Ocupação Administrador
Advogado
Contador

Rogério Tadeu Buratti (São Paulo, 10 de fevereiro de 1963) é um administrador, advogado e contador brasileiro, pós-graduado em Finanças e Controladoria e especializado em comunicação política e marketing eleitoral, tendo trabalhado em campanhas em países de toda a América Latina.

Rogério teve participação política ativa como partidário do PT, e obteve notoriedade nacional após ter sido assessor do ex-ministro Antonio Palocci.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carreira profissional[editar | editar código-fonte]

Foi sócio e diretor da Assessoarte, empresa que atua na organização de concursos públicos no interior de São Paulo, e executivo de empresas na área de limpeza urbana, concessionária de rodovias e construtoras. Foi proprietário de uma empresa de roupas de Belo Horizonte e atuou como advogado autônomo naquela cidade. Consultor de empresas, prestou consultoria a confecções de Belo Horizonte e a algumas empresas que atuam em comércio exterior no Paraguai e na China.

Atua em marketing eleitoral, trabalhou na coordenação da campanha presidencial de El Salvador que elegeu o atual Presidente daquele País, Salvador Sanches Ceren (2014). Regressou a El Salvador em dezembro de 2014 onde coordenou a campanha em 12 cidades, obtendo vitória em 7 delas.

Participou de campanhas eleitorais no Haiti e Venezuela. Coordenou equipe de comunicação para difusão dos Acordos de Paz do Governo Colombiano com as FARC-EP, no período de 2016 a 2018, tendo acompanhado os principais eventos da desmobilização da antiga Guerrilha.

Ainda na Colombia foi produtor de uma WebSérie e participou da campanha eleitoral para o Congresso da República e nas eleições presidenciais de 2018.

Na vida pública[editar | editar código-fonte]

Ingresso e funções partidárias[editar | editar código-fonte]

Rogério foi um dos fundadores do PT em Osasco em fevereiro de 1980 ao lado de políticos como João Paulo Cunha e outros, tendo sido dirigente do PT por vários anos além de secretário partidário de organização no interior de São Paulo bem como o responsável pela criação do atual modelo de organização partidária por macrorregiões[carece de fontes?].

Outras funções ao longo dos anos[editar | editar código-fonte]

Foi chefe de gabinete da liderança do PT na ALESP. Em 1987, foi um assessor do então deputado estadual José Dirceu na ALESP durante a gestão estadual de Orestes Quércia. Na primeira gestão de Palocci na prefeitura de Ribeirão Preto, foi o secretário de governo e membro do Conselho de Adminstração da Coderp, Cohab e Transerp em 1994.

Em Brasília[editar | editar código-fonte]

Em 1995, foi um assessor parlamentar do deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP). Em 1999, assumiu a vice-presidência da empreiteira Leão & Leão, a maior financiadora da campanha que veio a eleger Palocci novamente prefeito de Ribeirão Preto em 2000. Em 2004, saiu da Leão & Leão.

Condenação por desvio de dinheiro[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2012, em decisão do TRF1, foi condenado a pagar R$ 89.505,72 de multa por improbidade administrativa e R$ 5.112,73 em honorários advocatícios por desvios de dinheiro da Loterj.[1]

Referências

  1. «oglobo.globo.com/brasil/waldomiro-diniz-rogerio-buratti-sao-condenados-pagar-multa-de-368-mil-7693402». O Globo. 27 de fevereiro de 2013. Consultado em 6 de novembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.