Rubens Berardo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rubens Berardo
Deputado estadual do Distrito Federal
Período 1955 até 1960
Deputado estadual da Guanabara Guanabara
Período 1960 até 1967
1971 até 1973
Vice-governador Guanabara Guanabara
Período dezembro de 1965
a março de 1971
Antecessor(a) Raphael de Almeida Magalhães
Sucessor(a) Erasmo Martins Pedro
Dados pessoais
Nascimento 7 de julho de 1914
Recife, Pernambuco
Morte 7 de fevereiro de 1973 (58 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Progenitores Mãe: Gasparina Loureiro Berardo Carneiro da Cunha.
Pai: Oscar Berardo Carneiro da Cunha
Cônjuge Ana Bezerra de Melo Berardo Carneiro da Cunha
Partido Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e Movimento Democrático Brasileiro (MDB)
Profissão Industrial, usineiro e empresário de emissora de televisão

Rubens Berardo Carneiro da Cunha (Recife, 7 de julho de 1914Rio de Janeiro, 7 de fevereiro de 1973) foi um industrial, usineiro e empresário de emissora de televisão brasileiro. Foi vice-governador do estado da Guanabara entre 1965 e 1971. Fundou no Rio de Janeiro a Rádio Continental e a TV Continental.

Biografia[editar | editar código-fonte]

No Nordeste, Rubens Berardo atuou como dono de usina de sucroalcooleira e industrial.[1]

Iniciou sua carreira política na cidade do Rio de Janeiro, então Distrito Federal, ao eleger-se deputado federal pelo Partido Trabalhista Brasileiro, no ano de 1954.[1]

Em 1958 fundou, no Rio de Janeiro, a Rádio Continental e a TV Continental, através da Organização Rubens Berardo S.A. (ORB). A Rádio Continental era voltada principalmente para o jornalismo esportivo. Já a emissora de TV funcionou no canal 9 e durou pouco mais de dez anos; sua programação entrou no ar em junho de 1959 e terminou em 1971, quando a emissora faliu. Na ocasião de sua falência, a emissora já enfrentava dificuldades financeiras e vários integrantes de sua equipe foram para outras redes de televisão por melhores salários — sobretudo a TV Globo que, inaugurada em 1965, absorveu muitos artistas e técnicos que trabalhavam em emissoras de menor porte como a Continental e a TV Rio.[2]

Rubens Berardo foi reeleito ao cargo de deputado em 1958. Com a transferência da capital federal para Brasília, ocorrido em 21 de abril de 1960, Berardo passou a representar consequentemente o estado da Guanabara que fora criado na cidade do Rio de Janeiro. Em outubro de 1962 foi novamente reeleito deputado federal.[1]

Nas eleições ao governo do Estado da Guanabara, de 1965, Rubens Berardo formou chapa, na condição de candidato a vice-governador, com Francisco Negrão de Lima, do Partido Social Democrático (PSD). Uma vez vitoriosa a campanha, tornou-se vice-governador, cargo em que se manteve até 1971.[1]

Com a extinção do Partido Trabalhista Brasileiro, Rubens Berardo filiou-se ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Em novembro de 1970, voltou a eleger-se deputado federal pela Guanabara.[1]

Foi assassinado em sua casa, no Rio de Janeiro, no dia 7 de fevereiro de 1973, quando tentava impedir a ação de um assalto.[1]

Referências

  1. a b c d e f Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil - (CPDOC). «Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro, verbete: Rubens Berardo» 🔗. Fundação Getúlio Vargas - FGV. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  2. Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil - (CPDOC); Tatiana Murilo. «Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro, verbete: TV Continental» 🔗. Fundação Getúlio Vargas - FGV. Consultado em 13 de janeiro de 2018.