Rudolf Laban

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde setembro de 2015)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

Rudolf Laban, nome artístico de Rezső Keresztelő Szent János Attila Lábán (Pressburg, atual Bratislava, 15 de Dezembro de 1879 - Weybridge, Inglaterra, 1 de Julho de 1958), foi um dançarino, coreógrafo, teatrólogo, musicólogo, considerado como o maior teórico da dança do século XX e como o "pai da dança-teatro". Dedicou sua vida ao estudo e sistematização linguagem do movimento em seus diversos aspectos: criação, notação, apreciação e educação.

Biografia:[editar | editar código-fonte]

Símbolos da Labanotation. O retângulo ao centro representa a posição estática, as figuras ao redor representam movimentos para frente, para atrás, para direita, para esquerda e para as quatro diagonais.

Biografia

Representação do passo de dança "Pas de Bourrée" segundo o sistema de notação de Laban.

Laban, inicialmente estudou Arquitetura na "Escola de Belas Artes de Paris", interessando-se pela relação entre o movimento humano e o espaço que o circunda. Aos 30 anos mudou-se para Munique e sob a influência seminal do dançarino/coreógrafo Heidi Dzinkowska passou a se dedicar à arte do movimento.

Em 1915 Laban criou o Instituto Coreográfico de Zurique, que teve ramificações na Itália, na França, e na Europa central.

Em 1928 publica "Kinetographie Laban", uma de suas grandes contribuições para o mundo da dança e da compreensão do movimento. Neste livro articula os princípios da "Labanotation" um dos principais sistemas de notação de movimento utilizados atualmente.

Suas teorias sobre o movimento e a coreografia estão entre os fundamentos principais da Dança Moderna e fazem parte de todas as abordagens contemporâneas da dança.

Além de seu trabalho criativo e de análise da dança, Laban também se dedicou à realização de propostas de dança para as massas do corpo,desenvolvendo com esta finalidade a arte da Dança Coral, onde grande número de pessoas se movem juntas segundo uma coreografia de estrutura simples, porem instigante, que permita bailarinos e pessoas leigas dançarem juntas de forma colaborativa.

Este aspecto de seu trabalho se relaciona intimamente com suas crenças espirituais pessoais, baseadas numa combinação da Teosofia Vitoriana, do Sufismo e do Hermetismo popular no final do século XIX. Em 1914 aderiu ao "Ordo Templi Orientis" e compareceu à sua conferência de 1917, no Monte Verita, em Ascona, onde realizou workshops popularizando suas idéias e seus pensamentos.

De 1930 a1934 foi diretor da "Allied State Theatres" em Berlim.

Em 1937 foge do Nazismo indo para Manchester.

Na Inglaterra redirecionou o foco de seu trabalho para a industria, estudando o tempo e a energia despendida para realizar as tarefas no ambiente de trabalho. Tentou desenvolver métodos que auxiliassem os operários a se concentrar nos movimentos construtivos necessários para a realização de seu trabalho. Laban Continuou a ensinar e a realizar pesquisas no país até a sua morte.

O estudo do movimento[editar | editar código-fonte]

Laban Dance Center, em Londres.

Junto com o industrial F.C. Lawrence, desenvolveu uma metodologia de análise do movimento - "Effort-Study" (estudo dos esforços). Esta abordagem, apesar de ter sido direcionada primeiramente para a seleção e treinamento de operários, possibilitou uma melhor compreensão da movimentação humana geral.

A partir deste estudo, Laban chegou à formulação de uma minuciosa análise dos elementos de movimentos e suas combinações. Atribuiu o nome de Coreutica ao estudo da organização espacial dos movimentos, e de Eukinética ao estudo dos aspectos qualitativos do movimento (como seu ritmo e dinâmica).

Laban utiliza as figuras geométricas para dar suporte à movimentação do ator-dançarino. Ele propõe a escala dimensional, respeitando a relação entre altura, largura e comprimento das figuras geométricas como o cubo, o tetraedro, o octaedro, o icosaedro e o dodecaedro; tais representações geométricas viabilizavam movimentos pl (vertical), (horizontal), (sagital)e nos níveis alto, médio e baixo. Dessa forma, ações dramáticas podem ser realizadas nas posições das vértices dessas figuras, bem como em suas diagonais, de forma que o ator atua ampliando a sua kinesfera, buscando uma limpeza gestual e organicidade, assim, ele também amplia seu espaço cênico.

As concepções expressas por Laban sobre o movimento humano causaram grande impacto e passaram a influenciar os trabalhos desenvolvidos em áreas tão diversas como Educação, Psicologia, Fonoaudiologia, Teatro, Dança, Música, Artes e Educação Física.

Juntamente com sua colaboradora, Lisa Ullmann, passou a aplicar estes conceitos na dança educativa. Na Inglaterra, a Dança passou a fazer parte do currículo das escolas a partir da década de 40 e, nos Estados Unidos, das escola elementar às universidades, o Sistema Laban se constitui como o saber mais difundido.

Até hoje seus ensinamentos continuam sendo transmitidos no mundo inteiro através de Centros e Universidades. As instituições Laban de maior importância são o LABAN, em Londres.

A importância dos trabalhos de Laban nas áreas de arte, comunicação, psicologia, educação, arquitetura já receberam reconhecimento universal. Centros universitários, de arte, de educação e companhias de dança na Inglaterra, Estados Unidos, França, Canadá, entre outros, trabalham com os referenciais de Laban há pelo menos meio século.

A abordagem da dança sob uma perspectiva labaniana permite ao artista e ao leigo compreender, desconstruir e transformar a arte da dança em seus aspectos coreográficos, técnicos e de fruição.

Tendo desenvolvido seus trabalhos sobre movimento na primeira metade do século XX, é mister que hoje sua visão e idéias sejam rediscutidas e relidas sob uma perspectiva contemporânea. Desse modo, o trabalho de Laban não se perdeu no passado e continua a contribuir para a dança presente e futura.

A influência de Laban no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil Laban é mais conhecido como teórico do movimento e educador. Mais recentemente, seu trabalho vem recebendo um olhar mais aprofundado sob a perspectiva da arte, da criação estética, da linguagem da dança e da comunicação nao-verbal.

A bailarina, coreógrafa e educadora Maria Duschenes foi uma das introdutoras deste método no Brasil, tendo formado gerações de alunos que utilizam a referência de Laban em seus trabalhos de criação e em suas atividades de arte-educação. Em seu trabalho destacam-se as propostas de ensino público de dança e a realização de diversas danças corais, inclusive uma apresentada no Parque do Ibirapuera na Bienal de São Paulo.

A coreógrafa Regina Miranda, primeira Brasileira formada pelo Laban/Bartenieff Institute de NYC (1975) introduziu o Sistema Laban/Bartenieff no Brasil e, desde então, tem se dedicado à difusão de suas teorias através de palestras e workshops e inumeras criações artisticas. Toda uma geração estelar de coreógrafos cariocas, como Paula Nestorov, Paulo Caldas, João Saldanha, Frederico Paredes, Esther Weissman, Lia Rodrigues, Marcia Rubin e Carlinhos de Jesus, estudou e/ou trabalhou com Miranda, que hoje divide residência entre o Rio de Janeiro, onde dirigiu o Centro Coreográfico, e Nova Iorque, onde é a Diretora Geral do Laban/Bartenieff Institute.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ARRUDA, Solange. "Arte do Movimento: as descobertas de Rudolf Laban na dança e ação humana." São Paulo: Parma, 1988.
  • CORDEIRO, Analívia. HOMBURGER, Claudia. CAVALCANTE, Cybele. "Método Laban - Nível Básico." São Paulo: LabanArt - Laban Centro de Dança e Arte do Movimento do Brasil, 1989.
  • CORDEIRO, Analívia. "Nota-Anna: A escrita eletrônica dos movimentos do corpo baseada no método Laban." (Livro + Vídeo), São Paulo: Annablume/Fapesp, 1998.
  • FERNANDES, Ciane "O Corpo em Movimento: o Sistema Laban/Bartenieff na formação e pesquisa em Artes Cênicas." São Paulo: Ed. Annablume, 2002.
  • J. Foster, "The Influences of Rudolf Laban.", London, Lepus Books, 1977.
  • LABAN, Rudolf. "Choreotics." London, MacDonald/Evans, 1976.
  • LABAN, Rudolf. "Domínio do Movimento." São Paulo: Summus Editorial, 1978.
  • LABAN, Rudolf. "Dança Educativa Moderna". São Paulo: Ícone, 1990.
  • MARQUES, Isabel. "Revisitando a “Dança Educativa Moderna” de Rudolf Laban.", Sala Preta. ECA/USP, n.2, ano I. 2002.
  • MIRANDA, Regina, "O Movimento Expressivo", Rio de Janeiro, Edição FUNARTE, 1980
  • MOMMENSOHN, Maria. e PETRELLA, Paulo. (Org). "Reflexões sobre Laban, o mestre do movimento." São Paulo: Summus Editorial, 2006.
  • RENGEL, Lenira. "DICIONARIO LABAN." São Paulo: Ed. Annablume, 2003.
  • S. Thornton, "A Movement Perspective of Rudolph Laban.", London, Macdonald & Evans, 1971.

Trabalho De Artes"A Vida De Rudolph Laban"São Paulo, 2015